terça-feira, 25 de julho de 2017

Jornais e redes sociais

Temos vindo a assistir a uma completa descredibilização dos jornais do nosso país devido à propagação de notícias completamente parvas, inúteis e forçadas, ao estilo revista cor de rosa. Antigamente eram as revistas de cusquice que nos punham a par das novidades acerca dos famosos, agora os jornais já vão na onda só para gerarem tráfego e atraírem cliques. 

Percebo que estamos numa era completamente diferente para os meios de comunicação, mas acho que há um limite. Por um lado, percebo que os jornais sintam necessidade de concorrer com as redes sociais na partilha de informação, mas por outro, já enjoa. Tudo é notícia e recorrem aos truques mais estapafúrdios para terem cliques. Não me parece que as pessoas comprem jornais para saber quem é a mãe das crianças do Ronaldo, quantos quilos perdeu a famosa fulana ou como está o corpo pós-parto de cicrana. Para isso existem as revistas de fofocas. Depois como cada vez mais são estas pessoas "famosas" a partilhar em primeira mão notícias das suas próprias vidas no facebook e instagram, os jornais não têm mais nada... toca de seguir esta malta toda nas redes sociais e fazer notícias com base das publicações dos mesmos. "Fulana exibe corpo escultural", abre-se a notícia e mostram-nos fotos do instagram que a própria publicou, nas férias não sei onde, e o próprio jornal deixa o link para vermos. "Cicrana ousada nas redes sociais" e espetam com fotos da dita na praia/numa aula de dança do varão/com o namorado/eu sei lá. Chega a enervar. Em primeiro lugar porque não é função de um jornal dar notícias deste tipo e depois porque são coisas que os próprios famosos publicam e querem mostrar. Já não há paparazzis, as pessoas publicam tudo nas redes sociais. Percebo que a adaptação a estas novas formas de comunicação não seja fácil, mas tal só prejudica o bom trabalho e o bom nome de algumas instituições que eram tidas como sérias. 

3 comentários:

  1. Eu tenho 31 anos e sinto que em muito pouco tempo, muito mudou nos órgãos de comunicação social. O que dantes era credível, agora já não é bem assim. Já para não falar dos meios de comunicação social totalmente descabidos, tipo Correio da Manhã.

    ResponderExcluir
  2. Já lá vai o tempo em que lia as notícias do Expresso e as suas reportagens e acreditava piamente.

    ResponderExcluir