domingo, 1 de maio de 2016

There is no such thing as too many books | Abandonada by Anya Peters


Este livro foi-me oferecido há muitos anos por uma grande amiga, no meu aniversário. Não voltei a ler desde então e talvez agora a minha opinião fosse diferente, mas na altura achei muito pesado. Tinha por volta de 15/16 anos quando o li e lembro-me de ter ficado muito angustiada com esta história, ainda por cima verídica. Não sei, na altura talvez fosse demais para a minha maturidade. Estou a pensar reler, porque acredito que vale a pena. 

"Anya cresce num ambiente de terror, dominado pelo seu tio manipulador e violento. Agredida, humilhada e violada por ele desde os seis anos de idade, Anya pensa que nada mais lhe poderá acontecer. Mas acontece...
Um dia, magoada com os insultos dos irmãos, Anya não consegue aguentar e todos os segredos são finalmente revelados. E então, a sua "Mamã", a única pessoa que Anya sempre amou e cujo afeto a ajudara a suportar aquela existência de terror, abandona-a.
Decidida a começar uma nova vida, Anya esconde os seus sentimentos e tenta seguir em frente. Mas quando se torna uma sem-abrigo, passando a viver no próprio carro, sabe que tem de lidar com os segredos do passado para poder encontrar a segurança e felicidade que sempre desejou.
Anya Peters começa, então, a descrever as suas experiências num diário na Internet. Rapidamente, o seu blogue conquista uma série de leitores, contribuindo para a reflexão sobre os "sem-abrigo escondidos" e levando à publicação da sua história. Hoje, Anya já não é uma sem-abrigo."


Sou muito sensível a histórias de abusos sexuais. É uma coisa que me deixa revoltada, angustiada, com medo. Ainda para mais sabendo que estas coisas ocorrem muitas vezes em casa, com pessoas com quem as vítimas convivem diariamente, enfim. E depois ver que os pais, muitas vezes, não acreditam nas crianças ou ainda tomam partido pelo lado do agressor. Fico mesmo revoltada. Talvez por isso me lembre bem do quão difícil foi ler este livro e me lembre sempre desta história. Mas é, sem dúvida, um bom livro e recomendo a sua leitura. Mas se acham que são demasiado sensíveis a esta temática, o melhor mesmo é não ler. 





2 comentários:

  1. Como é um tema com o qual trabalhei durante quase todos os 19 anos de profissão que tenho, já me habituei...o que não significa que seja indiferente...fico sempre revoltada. Mas já sei lidar com as situações.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço, mas parece-me interessante.

    ResponderExcluir