quinta-feira, 28 de abril de 2016

Não me pagam para isto #27

Quando as pessoas me dizem que o meu trabalho é muito bom "porque vês muita gente!" e "não tens que dar produção" só me apetece trucidá-las. Eu sei que este trabalho tem algumas vantagens. De facto não é toda a gente que pode ler um livrinho nas horas mortas e é verdade que vejo muitas pessoas e não tenho que dar produção. Mas há sempre o lado mau de tudo.

Não dou produção, mas se tiver a casa cheia e estiver a trabalhar sozinha (como estou quase sempre), tenho que atender toda a gente o mais rapidamente possível. Há que ir às mesas, registar pedidos, processar os pedidos, fazer as contas, levantar mesas, lavar loiças e tudo isso sempre a correr, ao mesmo tempo. É quase como dar produção com uma pessoa sempre a dizer "vai demorar muito?", "não se esqueceu de mim pois não?", "traga-me mais um café". O feedback é imediato. 

O facto de ver muita gente significa que tenho que lidar com os mais variados tipos de pessoas, desde clientes simpáticos a completas bestas. Há de tudo, vê-se de tudo e ouve-se de tudo. E as pessoas dizem "pois, mas não tens que aturar encarregados/supervisores/chefes sempre a criticar ou a berrar contigo". Pois não, em vez de ouvir de um superior, ouço de toda a gente. 

"Ah mas tens um horário fixe". Só que não! Nas fábricas e nas grandes empresas raramente se trabalha ao fim de semana. Vejo pelos meus pais que são operários fabris: é fins de semana, é feriados, é pontes e férias. Estão sempre por casa. Fora os horários bons que permitem que saiam do trabalho às 17h30 ou 18h. Eu tenho sempre hora de entrada mas só saio quando a patroa vem para me substituir (e nunca chega a horas) ou quando os clientes saem para eu fechar. Já cheguei a sair mais de uma hora depois da hora de saída porque os clientes parece que colam o cu às cadeiras e não percebem que está na hora de ir, preciso de os expulsar. Não há feriados (e não, não ganho a dobrar), não há fins de semana e as folgas são quando a patroa lhe apetece. Passo o dia a aturar pessoas estranhas, sozinha, de pé, a levar com tudo e mais alguma coisa dos clientes e nunca posso programar a minha vida porque trabalho aos fins de semana e os meus horários são sempre instáveis. Ainda assim as pessoas acham que é muito bom porque vejo gente e não dou produção. Sure,..

5 comentários:

  1. Trabalhar num café é duro, muito duro, já trabalhei num bar de praia e... uff, há mesmo de tudo, eu tiro-te o chapéu!

    ResponderExcluir
  2. Essas pessoas que falam, gostava de as ver no teu lugar e até no meu .

    ResponderExcluir
  3. O lugar dos outros parece sempre mais fácil que o nosso... mas de facto não deve ser uma vida de moleza!

    nem mais nem menos | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  4. As pessoas têm sempre tendência a achar a vida dos outros mais fácil do que a delas...

    ResponderExcluir
  5. Comigo acontece o mesmo,,,é mesmo uma tendência geral, devem pensar que temos vida de rainhas,,lol .espero que consigas rapidamente um estágio ou emprego na tua área .. Vais ver os comentários terminarem...quando trabalhava na minha área ( e ainda não perdi a esperança de voltar), ninguém me chateava. Agora dizem: "epa que sorte que tiveste, aqui estás melhor, pelo menos não andas de um lado para o outro a aturar alunos,,,,". Pois for para "aturar" so filhos de mt boa gente que investi 5 anos na minha formação . Fiz uma opção sim, mas não é sinônimo de ser definitivo.

    ResponderExcluir