segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

People change

Volta e meia gosto de ir aos arquivos do blog ver as coisas que escrevi. Por vezes procuro por datas em específico, outras vezes simplesmente vou lendo ao acaso. Apesar de ficar muitas vezes envergonhada com as coisas que fui escrevendo, gosto de ter esta perspetiva. Gosto muito de ver como me sentia há 2 ou 3 anos atrás, gosto de relembrar situações que já nem sabia terem existido na minha vida, gosto de ver, acima de tudo, a minha evolução.

Ao longo deste 5 anos de blog poucas coisas mudaram. A minha vida, na sua essência, continua a ser igual. Continuo a viver na mesma casa, os meus mais próximos continuam bem, estou envolvida na mesma relação... Quando comecei estava a dias de entrar na faculdade e agora já acabei o curso, entretanto aprendi umas coisinhas, arranjei um emprego e fui perdendo algumas pessoas, mas a base de tudo é a mesma. Onde noto mais diferenças é, acima de tudo, na minha maturidade, no meu filtro. Fui crescendo com e neste blog. Antes era muito mais sem filtro, escrevia o que queria, quando queria, como queria. Escrevia sobre tudo, absolutamente tudo! Era mil vezes mais lamechas (continuo a ser, mas só para mim) e não tinha vergonha de escrever as coisas mais pirosas do mundo. Escrevia mais sobre nós os dois e deixei de o fazer, comecei a preservar e a manter mais privado esse aspeto da minha vida. Sinto que tinha uma ingenuidade quase infantil em relação às coisas e que, não tendo desaparecido completamente, se foi perdendo à medida em que fui crescendo e fui perdendo coisas e pessoas importantes. Dentro de mim houve alguma coisa que mudou e eu sei perfeitamente em que momento isso se deu, embora sinta que foi tudo muito gradual até chegar aqui. É engraçado porque nunca temos bem noção que mudamos, que as coisas da nossa vida mudaram, até termos estes factos que comprovam como éramos e como somos agora. 

Às vezes sinto uma certa saudade da pessoa que eu era no início. Era tão boa aquela ingenuidade, aquele encantamento permanente por todas as coisas (que não deixou de existir, apenas está mais atenuado), escrever para pessoas desconhecidas (entretanto sei que algumas pessoas que me conhecem já foram descobrindo o blog). Mas depois lembro-me que aquela pessoa que eu era também era muito mais sofredora, muito mais instável, muito mais emocional e pouco racional. Estes 5 anos fizeram-me crescer, tornar-me mais estável, mais consciente do que sou e do que quero. E é bom ter consciência desse processo. Só espero continuar com o blog por muitos anos, para ver todas as etapas que ainda estão por chegar quando for velhinha.

2 comentários:

  1. É um exercício que também gosto de fazer - ver o que mudou, como evoluí, em que sentido cresci. E acho que é importante percebermos essas diferenças :)

    (Enviei-te um email!) :)

    ResponderExcluir
  2. Não gosto muito de fazer isso, a não ser que sejam poemas

    ResponderExcluir