sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Ainda o feminismo

As mulheres têm que entender, de uma vez por todas, que os comportamentos que querem ou não querem ver num homem começa pela forma como elas educam os homens na sua vida. Não adianta uma mulher queixar-se que o marido não faz nada em casa mas depois ensina o filho nesse mesmo princípio.  Não interessa queixarem-se que os homens não fazem nada mas depois nunca os implicarem em tarefa nenhuma de casa porque há outras mulheres em casa para as fazer. 

A minha mãe queixa-se sempre que a vida das mulheres é mais difícil e que os homens deviam fazer mais coisas em casa, mas depois só me chama a mim para fazer alguma tarefa doméstica, mesmo quando o meu pai e o meu irmão estão mais livres. A minha mãe obrigava-me a limpar a casa toda à sexta-feira à tarde, depois das aulas, quando eu só tinha 11 anos, mas se o meu irmão, hoje em dia, limpar o quarto dele então já fez muito. A minha mãe ensinou-me a cozinhar quando eu tinha 13 anos, mas ainda não ensinou (nem vai ensinar, claro) o meu irmão, que já tem quase 18. A minha mãe chama-me sempre a mim para a ajudar a fazer a cama do meu irmão, mas ninguém faz a minha. A minha mãe teve grande discussão comigo quando eu me recusei a limpar o quarto do meu irmão porque ele é rapaz e essas coisas são tarefas de meninas. Mas depois queixa-se que o meu pai não mexe uma palha em casa e que o meu irmão só suja e desarruma e que ela é que tem que limpar. 

As mulheres queixam-se do machismo, mas são elas que criam os machistas. São elas que se põe a jeito, ao permitirem que estas situações se perpetuem e ao incitarem até este tipo de comportamentos. Nenhum homem vai fazer o que quer que seja em casa se houver alguém que faça por eles. Tal como nenhuma mulher o faria, se outra pessoa tratasse disso. É inerente à preguiça do ser humano: se alguém faz, eu não preciso de fazer. Não basta dizer que ninguém nos ajuda, até porque não é nenhuma ajuda. As mulheres não precisam que os homens as ajudem - que é outra coisa que me irrita, esta ideia de que o homem ajuda muito lá em casa - quando a casa é dos dois e as tarefas têm que ser dos dois. É preciso partilha, não ajuda. Eu sou perfeitamente capaz de fazer tudo dentro de casa, não preciso que um homem me ajude. Preciso que o meu homem partilhe comigo as tarefas que são também dele, para o bem-estar comum. Simples assim.

publicado originalmente na rubrica Tempo de Antena, aqui

5 comentários:

  1. Exato - as tarefas da casa são tarefas de todos que lá moram, há que acabar com a ideia idiota de que a mulher faz e o homem, se ajudar, já é um herói. Eu tive que me impor, desde muito nova, para que o meu pai percebesse que eu não tinha o dever de fazer certas coisas só por ser rapariga. Ele percebeu a mensagem e agora todo o trabalho da casa é dividido. Só não acho correto dizer que são as mulheres que criam os machistas - o machismo é um problema profundamente enraizado na nossa sociedade e são várias as suas proveniências. Não devemos culpar as mulheres pelo sistema que as oprime.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente estas ideias machistas ainda persistem nos nossos tempos. Enquanto as mentalidades não mudarem drasticamente não evoluímos . Mulheres com ideias machistas é das coisas que mais me deprime.

    ResponderExcluir
  3. Como eu entendo! Acontecia-me o mesmo...eu resmungava, e ela dizia-me "os homens não têm que fazer essas coisas", quando o meu irmão era ainda uma criança, mais novo que eu!!! rrr que raiva!!!

    ResponderExcluir
  4. O meu marido partilha quase todas as tarefas comigo, assim o fui motivando e ensinando, já os meus filhos, tenho dois rapazes a quem ensinei a fazer o mesmo, passam a vida a esquivar-se e não consigo, estão sempre a refilar e a discutir comigo. É verdade que muitas vezes só para não os ouvir, deixo que eles não façam... sim, tenho culpa :)

    ResponderExcluir