sexta-feira, 6 de março de 2015

Coisas do meu estágio #9

Uma das vertentes do meu estágio é ir às escolas fazer ações de formação com algumas turmas, sobre diferentes temas. A bem da verdade, não me imagino a fazer isto para o resto da vida mas até que não é mau de todo. Gosto de preparar os materiais e sinto-me verdadeiramente confortável no papel de oradora, estou a gostar da experiência. O problema disto tudo é a forma como as diferentes escolas e pessoas nos vão tratando. Se há uns que adoram a nossa presença e acham super útil, há outros tantos para quem só vamos causar incómodo. Convém salientar que são as próprias escolas que nos dão o tema a abordar e nos pedem para lá irmos. Por isso é que não percebo como é que há alguns professores que nos tratam como se nos estivessem a fazer o favor a nós, quando é precisamente o contrário. Nota-se que estão a fazer o frete, que olham para nós de lado. Já ouvi de tudo. Por isso é que é tão bom quando vamos a alguma escola e nos tratam como rainhas. Não gosto de bajulação nem que me tratem nas palminhas, com "Sra Dra" para aqui e para ali. Mas gosto de respeito! Gosto que tenham em consideração que desenvolvemos um projeto a pensar nas necessidades dos alunos deles e por isso sejam prestáveis, simpáticos e que nos agradeçam o trabalho e tempo despendido.   Gosto que perguntem se precisamos de alguma coisa e que nos deixem à vontade para nos sentirmos confortáveis. É tão mais fácil trabalhar assim! Sai-se de lá com uma outra atitude, muito mais positiva e menos de frete, porque sim, o frete é nosso! Imaginem dizer as mesmas coisas, exatamente como foram ditas pela primeira vez, a 3 turmas diferentes numa só manhã. E depois repetir, em dias diferentes, com turmas diferentes. É por isso que um pouco de simpatia torna tudo mais suportável.

3 comentários:

  1. Deve ser uma experiência gira, mas de facto tem esses contras... acredito que nem sempre há o respeito e a receptividade esperada.

    ResponderExcluir
  2. Ohhhh. Adoro o conceito! Uma das coisas que me imagino a fazer, como farmacêutica, é fazer workshops e palestras informativas sobre os mais variados temas de saúde... Quem me dera! Mas sim, concordo contigo que a simpatia e receptividade de quem nos convida é uma grande ajuda... Afinal, se não querem "perder o seu tempo", que não chamem as pessoas para essas actividades!

    ResponderExcluir