segunda-feira, 26 de janeiro de 2015


Não há pior espécie de fundamentalistas que os pais. Detesto paizinhos que acham que fazem melhor/são melhor do que os outros pais; só o que eles fazem é que está bem, cheios de críticas e absolutismos sobre os modos de exercício de parentalidade dos outros. Porque não amamenta, porque não põe no infantário, porque não inscreve em mil atividades extracurriculares, porque não sabe como lidar com as birras, porque dá uma palmada de vez em quando, porque, porque, porque.... há sempre razão para estas pessoas meterem as garras de fora e gritarem aos sete ventos como são melhores pais do que todos os outros. Isto tira-me completamente do sério. Cada pai é livre de educar os seus filhos como bem lhe apetece, reger-se pelos valores que escolheu, seguir as diretrizes que quiser e que melhor se adequarem a si e aos seus filhos, contando que estejam salvaguardados todos os direitos das crianças. 
Somos todos diferentes, agimos de forma diferente em muitas situações, porque raio haveríamos de ser todos iguais na forma de educar? 
Não sou mãe, não sei em que pessoa me tornarei um dia que seja mãe, mas digo que não gostava nada de me tornar numa destas mãezinhas azedas, de dedo em riste, sempre pronta a apontar as falhas dos outros para enaltecer a minha forma de cuidar. Parece que estamos numa competição para ver quem é o melhor pai do mundo, quem é que ama mais os seus filhos. Já não há cu que aguente. 

2 comentários:

  1. aho que pior que isso é mesmo aqueles pais que acham que os seus filhos sao melhores que os outros... isto no sentido em q: ai o meu filho nao se peida, naaa isso é da ralé!

    ResponderExcluir