quinta-feira, 18 de julho de 2013


Isto vi eu ontem, numa das minhas incursões pelo tumblr. Já estou habituada a ver questões parvas, típicas de adolescentes ainda a descobrir o Mundo. Aqueles dramas normais pelos quais todas passamos: será que gosta de mim? Será que alguma vez alguém vai gostar de mim? Como saberei o que fazer quando chegar a altura do meu primeiro beijo? etc etc. Tendo em conta que a maioria dos blogs que sigo no tumblr são geridos por miúdas ainda muito novas, estou já habituada a ver estas coisas. Mas isto deixou-me perplexa.

Não vou entrar em moralismos e naquela velha história de que com essa idade eu ainda queria brincar com barbies porque não é verdade. E obviamente cada um tem o seu ritmo de crescimento e os seus próprios meios de passar o tempo. Sei de pessoas que com 15 anos ainda brincavam com barbies, sim, e outras que já pensavam em coisas mais adultas. Nem sequer é isso que está em causa. O que me preocupa é a leviandade com que as coisas se fazem hoje em dia. Perder a virgindade só porque sim, com 13 anos, pelo simples ato de o fazer, sem que haja aquele amor (que com 13 anos, ainda nem existe, na maior parte das vezes, mas pronto), a consciência de que é com aquela pessoa que faz sentido.

Bem sei que é um assunto muito controverso, cada um sabe como viver as suas experiências, mas pessoalmente, pra não não faz sentido. Eu sou daquelas pessoas em vias de extinção que acredita no amor e continuo a defender, mesmo que agora pareça incrivelmente antiquado ao olhar de muitas pessoas, que há experiências que devem ser vividas com alguém especial: a primeira saída, o primeiro passeio de mãos dadas, o primeiro beijo, a primeira vez. 

Assusta-me pensar que agora as coisas são assim. Vai-se pra cama com qualquer um, em qualquer idade, a qualquer altura, só porque sim. Sem que haja um grande envolvimento, sem que se tenha consciência das coisas. É tudo feito com pressa, uma pressa enorme em queimar etapas pelo simples prazer de as concluir o mais cedo possível, para que ninguém possa apontar o dedo ou para poder fazer bandeira de tais factos aos amigos. Que irresponsabilidade! Questiono-me sobre o que pensarão estas miúdas sobre estes assuntos quando forem mais velhas. O que pensarão quando e se um dia encontrarem alguém com quem realmente fizesse todo o sentido ter todas essas primeiras vezes de tantas e tantas coisas, sabendo que já as desperdiçaram com uma pessoa qualquer, só porque sim. 

2 comentários:

  1. Conheço pessoalmente uma rapariga que foi com 14 e acho-a uma cabeça de vento. Inclusive no grupo dela faziam questão de gozar com outra amiga que até aos 19 ainda não o tinha feito, porque o normal e no máximo é ser até aos 15, diz ela. wtf!! Concordo plenamente contigo, há cada vez mais miúdos que não sabem viver a idade que têm e têm muita pressa, depois queixam-se de que quiseram viver tudo e não aproveitaram nada.

    ResponderExcluir
  2. Quando vejo coisas destas sinto-me velha, muito velha mesmo.

    ResponderExcluir