terça-feira, 4 de junho de 2013

No seguimento do post de ontem...


Eu sou daquelas que faz listinhas pra tudo e que conta os dias para o acontecimento x ou y. E também sou daquelas que olha pra trás frequentemente, para ver aquilo que já fiz, o que já ultrapassei, o que já conquistei. Sempre com um olho no passado, para aprender com os erros e saborear, vezes e vezes sem conta, os momentos bons presos na memória. Por isso, e apesar de ainda ter um mestrado pela frente, não posso deixar de estar um bocadinho...oh, nem sei explicar...com isto que se passa. Por um lado estou mesmo feliz, porque há uns anos atrás nem sequer queria ir pra faculdade e agora já estou aqui semi-licenciada. E por outro é assustador pensar que daqui a dois anos poderei ser mais uma a quem se fecham as portas dos possíveis locais de emprego.

Quero muito começar a minha vida, ser independente, ter as minhas coisas. Mas não deixa de ser assustador pensar que daqui a pouco tempo (tendo em conta a velocidade a que as coisas têm passado!) estarei por minha conta. Não literalmente, claro, mas serei ainda mais responsável pelas coisas que vão acontecer na minha vida, pelo rumo que quero dar. E isso é bom, claro, mas também é estranho. 

O importante é que as coisas têm acontecido, não como eu planeava, mas melhor ainda. Foram 3 anos inexplicáveis. E é por isso que fica agora a saudade, porque é um ciclo que se fecha (não necessariamente em relação ao curso, outras coisas). Um ciclo mesmo mesmo bom, aproveitado até ao fim. E é isso que me consola, é olhar pra trás e ver que fiz com que os dias valessem a pena... sem me focar em countdowns, em prazos. 


3 comentários:

  1. Eu também sou assim! E gosto :P

    ResponderExcluir
  2. Revi-me neste texto.E gostei!De saber que não sou a única e que é uma boa maneira de encarar a vida!:P

    ResponderExcluir
  3. Vai correr bem vais ver, é mormal ter sempre medo do futuro e sinal que estamos vivos ;)

    ResponderExcluir