terça-feira, 16 de abril de 2013

Não percebo...

Pessoas que se agarraram a convenções sociais e a títulos para fazerem ou não fazerem o que quer que seja.
Vou ser médico, por isso não posso estar sentado confortavelmente neste café local porque não é chique, não é de bem. Sou advogado, não posso sair à rua de fato de treino, isso parece mal. Coisas assim. Como se fosse a porcaria de um canudo que fizesse das pessoas o que elas realmente são.

Pois eu não tenciono deixar de andar descalça, de comer pão com planta no forno, de sair à rua sem maquilhagem só porque daqui a algum tempo serei mais uma a quem as pessoas farão questão de chamar doutra só porque tirei um curso. Eu faço questão de ser sempre a M., só, sem títulos. E de continuar a parar em qualquer sítio para apanhar uma flor daquelas brancas que aparecem por todo o lado. E de sair à rua de fato de treino, de sapatilhas e de cabelo apanhado. E de comer feijoada e massa à lavrador, mesmo que isso não seja comida de gente fina. E Deus me livre de algum dia me tornar naquelas pessoas que têm medo do ridículo e nem com os filhos brincam em público porque não parece bem uma senhora doutora andar por aí a correr feita louca atrás das crianças. 

Isto tudo porque fiquei a saber ontem que, aparentemente, devia ter vergonha de ir ter com o meu namorado de bicicleta porque sou quase uma mulher licenciada.

12 comentários:

  1. a sociedade está cheia dessas mariquises

    ResponderExcluir
  2. Não tem jeito nenhum isso. Acho que fazes bem em não deixar de seres quem tu és! Além de uma vida profissional, tens uma pessoal em que és quem és e não o que querem que sejas :)

    ResponderExcluir
  3. essa gente não vive, não desfruta! sê livre, sê tu e sê feliz!

    ResponderExcluir
  4. Há comentários que não merecem nada mais que o nosso desprezo... ;)

    ResponderExcluir
  5. Oh God! Onde é que já chegámos... Aproveita a vida, as pessoas que pensam isso não serão tão felizes como tu!

    ResponderExcluir
  6. ahahah compreendo tão bem. eu já sou uma mulher feita, trabalhadora, e sou exatamente a mesma menina que anda de bicicleta e sai à rua de fato de treino, sem complexos. a minha avó é que me diz imensas vezes que me devo vestir de acordo com o título que tenho LOL não ligo nada a essas m€rd@s...

    ResponderExcluir
  7. Ai melher, que vergoonha (ler com sotaque à "tia") --' há pessoas com cada ideia... Essas sim, haviam de ter vergonha!

    ResponderExcluir
  8. Não podia concordar mais! E ficar feliz por ainda existirem pessoas que não ligam a titulos! Mui bien!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Olha que disparate. Como se os licenciados não andassem de bicicleta.

    ResponderExcluir
  10. 'Vou ser médico, por isso não posso estar sentado confortavelmente neste café local porque não é chique, não é de bem.'


    ??????????????????????

    Não convives com muitos médicos, pois não? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inês, aqui a profissão foi só um exemplo! Não tenho nada contra médicos nem conheço assim tantos para estar a tecer juizos de valor acerca dos mesmos. Tal como podes ler ao longo do post, não se trata de criticar pessoas com determinadas profissões mas sim dar exemplos daquilo que muitas vezes as pessoas consideram ou não adequado ao nível social e à carreia de cada um de nós. Quem diz médico, diz engenheiro, psicólogo, enfermeiro, professor, etc.

      Excluir