quinta-feira, 19 de abril de 2012

e em dia de jogo...

Apesar de até uma certa altura da minha vida ser bastante fã de futebol, sempre tive medo que me saísse na rifa um homem que só visse futebol à frente. Daqueles que ocupam os tempos livres a ver jogos de futebol e pra quem o domingo é dia sagrado pra ver o clube da terrinha; que só lêem jornais da bola e coleccionam cromos e camisolas e cachecóis; daqueles pra quem nem se pode falar quando está a dar um jogo, que sabem o nome de todos os jogadores até da 3º liga e que perdem tempo a ver tudo o que seja jogo, mesmo que não seja a sua equipa ou seja algo mesmo rasca, como um clube amador da China. Ou seja, daqueles homens que só vivem praquilo e parecem acéfalos colados à tv durante 90 minutos.
 Não me interpretem mal, acho muito bonito que todos tenhamos gostos diferentes, não quero também dizer que quem gosta de futebol é estúpido ou tem pouco cérebro e eu própria já fui daquelas que perde o juízo a ver futebol. Só que depois cresci e vi que aquilo nunca me ia trazer nada de bom, apenas me tirava anos de vida chatear-me por causa de uma dúzia de marmanjões que ganham milhares ao final do mês, quer ganhem ou percam. 
O futebol é um passatempo como outro qualquer e sei de imensas pessoas cultas, inteligentes, cujas vidas vão muito além daquilo, que viram outros quando têm um jogo à frente.

Eu pessoalmente não acho grande piada a ter monólogos enquanto há jogo ou ter que planear a minha vida em função do calendário da liga. É que, parecendo que não, estas cenas condicionam a vida dos homens que gostam de futebol. Hoje não podemos sair porque joga o Benfica, amanhã também não porque joga o Real, depois de amanhã não poderei falar contigo entre as 20 e as 22 porque dá o Sporting. que maçada! 

O meu namorado é lagarto, coitadinho. Também percebe-se porque é que os jogos não o entusiasmam de sobremaneira, não é? :) Gosta de futebol e eu não me importo nada com isso. Acho até normal e nunca me opus a que ele visse este ou aquele jogo. Mas isso porque há peso e medida. Se ele fosse como o meu pai, passava-me da cabeça. E é quando vejo o meu pai chamar todos os nomes possíveis e imaginários aos jogadores, à equipa de arbitragem, aos técnicos e porque não aos apanha-bolas, a estrebuchar na sala feito louco e branco como papel, prestes a dar-lhe uma qualquer coisinha má, que agradeço a todos os santinhos ter arranjado um homem que não liga assim tanto a futebol. 

4 comentários:

  1. Eu arranjei um leãozinho.. Mas, até ver, só liga aos jogos do clube e não são imperativos. Agrada-me.
    Sou um bocado como tu.. Epá, gosto de futebol, mas irrito-me tanto a ver jogos, que acho que não vale a pena xD

    ResponderExcluir
  2. E teu lagarto, neste momento, está muito feliz :)

    ResponderExcluir
  3. Há pessoas que ficam possessas :)

    ResponderExcluir
  4. Viciados pah... eheh...

    Também não gosto. Ainda bem que o teu (e o meu) não são assim. Acho que dava em doida.

    ResponderExcluir