quinta-feira, 31 de maio de 2018

As maravilhas de termos a nossa casinha

Uma das melhores coisas de termos a nossa própria casa, e a que mais valorizo, é podermos fazer o que raio nos apetecer. Sabem aquelas coisas que sempre quiseram muito ter/fazer em casa mas como viviam com os pais ou sob as regras de terceiros não podiam ter/fazer? A partir do momento em que somos nós a ditar as regras, podemos ter/fazer o que quisermos. Sempre quiseram um gatinho mas os vossos pais não deixavam? Agora quem manda são vocês, podem encher a casa de gatos! Sempre quiseram pintar as paredes do vosso quarto de preto? You can do it!  Que maravilhosa sensação de liberdade...

Além de ser maravilhoso decorar uma casa aos nossos gostos (e da pessoa com quem vamos viver, se for o caso), é ainda melhor poder fazer o que quer que nos apeteça sem ter que estar a pensar nos outros, nas vontades dos outros. Querem andar nus pela casa? Querem ver tv até às 3h da manhã sem medo de incomodar ninguém? Querem jantar chocapic todos os dias enquanto vêem séries no sofá? Guess what? Não estará lá ninguém para vos recriminar ou com quem tenham que se preocupar em não incomodar. Além de que as coisas passam a ser feitas à nossa maneira. Falo por mim: é libertador fazer as coisas à minha maneira, principalmente tendo vivido tantos anos com uma mãe que acha que só a forma dela fazer as coisas é que é a correta e, portanto, temos todos que seguir a forma dela e pronto. A minha casa, embora ainda não esteja totalmente pronta como eu quero que esteja, é o meu refúgio, o meu santuário, onde me sinto mais eu, finalmente.  Sinto-me tão livre!

6 comentários:

  1. Obrigada por este post. Sempre vivi com alguém: primeiro com os meus pais e depois com um namorado. Agora vivo sozinha e sinto muitas vezes uma solidão imensa. Mas aqui está uma visão óptima que vou levar comigo. Posso realmente fazer o que bem me apetecer e ter tudo à minha maneira. Realmente não podia ser mais libertador. Claro que não resolve a solidão, mas ao menos é um ponto positivo.

    ResponderExcluir
  2. Também senti tudo isto quando vim morar com o meu namorado. É maravilhoso passarmos a ser nós a ditar as regras.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito. E, também sinto isso... Embora não viva (ainda) sozinha, mas tenho essa mesma vontade.

    Obrigada! :)

    ResponderExcluir
  4. Senti exactamente o mesmo quando saí de casa e muitas vezes ainda sinto, quade 5 anos depois ;)

    ResponderExcluir
  5. Eu percebo a sensação de que falas, é por isso que nem me imagino a voltar a viver com os meus pais!

    ResponderExcluir