quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Sair debaixo das asas dos pais

Os meus pais sabem que os adoro mas que sempre estive desejosa de sair debaixo das asas deles, desde miúda. Sou muito independente nestas coisas, não gosto de me sentir presa nem gosto de dar justificações a ninguém. Não é que eles alguma vez me fizessem sentir sem liberdade, mas é sempre diferente viver com outras pessoas e ter que cumprir as regras e horários delas. Além de que, para mim, o curso natural da vida é mesmo deixar os pais seguirem o caminho deles e nós seguirmos o nosso. É o rumo natural da vida, os filhos têm que sair de casa e construir a vida deles, a família deles.

Vou ser muito sincera, não me custa nada sair de casa. Muito pelo contrário. Nunca fui daquelas crianças que vai a qualquer lado e quer ir logo para casa ter com os pais. Ficava duas ou três semanas em casa de tios, longe de casa, toda contente e não tinha saudades nenhumas de casa ou dos meus pais. Porque eu sabia que acabaria por voltar a casa e os meus pais estavam sempre disponíveis para mim, se eu precisasse. E agora é igual. Confesso que sempre me fez alguma confusão aquelas pessoas que dizem que choraram horrores quando saíram de casa porque tinham saudades dos pais ou que lhes custou muito deixar os pais. Vou viver noutra casa, não vou para a guerra ou deixar de os ver! Na prática, a única coisa que muda é que não vamos viver debaixo do mesmo teto mas vamos ver-nos sempre na mesma, vamos continuar a sair juntos, a fazer algumas refeições juntos, ... Vivi dois anos na minha cidade de estudante, a 30kms de casa, e nunca senti aquela necessidade louca de ter os meus pais por perto. Obviamente isto não significa que os amo menos ou que não preciso deles para nada. Claro que amo os meus pais, devo-lhes a minha vida como é óbvio, mas sou muito prática nestas coisas. Não quereria viver para sempre na sombra dos meus pais. Não podemos estar sempre dependentes dos nossos pais para tudo. Temos que crescer, fazer as coisas por nós mesmos, cair e levantar as vezes que forem necessárias. 

Eles vão estar lá sempre, vão sempre ser nossos pais e nós vamos sempre precisar deles. O melhor de tudo é podermos ir viver a nossa vida, sabendo que lhes podemos pedir conselhos, ajuda, que podemos voltar sempre que necessário. Mas nada como cada um ter o seu espaço, a sua vida, as suas coisas. Felizmente os meus pais pensam o mesmo que eu. Sabem perfeitamente que esta minha vontade imensa de sair de casa em nada tem a ver com eles ou com a forma como vivemos em família, mas sim pelo meu desejo de ser independente. Estão super contentes que eu vá fazer a minha vidinha (até porque já começam a pensar em netos, os doidos), embora a minha mãe esteja um bocadinho emotiva nos últimos dias. É mesmo assim.

12 comentários:

  1. Concordo plenamente! São nossos pais mas isso não quer dizer que não tenhamos de fazer a nossa vida. Para mim também é natural os filhos seguirem o curso natural da vida e saírem de casa dos pais. Aliás para mim, e para o bem de qualquer relação acho que é necessário mesmo ter a sua própria casa. No outro dia em conversa com uns colegas que vão casar no próximo ano discutíamos a questão de se viver com os pais (sogros) depois do casamento. Eu sei que às vezes a vida não nos corre como pretendemos. Que o dinheiro não chega para tudo, e que em casa dos pais poupamos imenso dinheiro. Mas por muito bons que sejam os pais (sogros) onde fica a privacidade do casal? Aliás dos dois casais! Os pais deixam de estar 100% à vontade em sua própria casa, e o recém casal não se sente 100% em casa! Pelo menos é assim que eu penso.
    Por isso, acho que sair de casa faz parte do processo. Também nós (filhos) precisamos da nossa independência. Mas continuamos na mesma a adorar os nossos pais e a saber que se um dia algo acontecer eles estarão de braços abertos para nos receber!
    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Que boa notícia! Vais mudar-te??? :D <3

    Eu também sempre fui assim e acho que é a ordem natural da vida e das coisas mas "cada um é como cada qual"...e apesar de também me fazer alguma confusão, há pessoas que não são nada assim. Pior é quando tu (filho) és e os teus pais não. Ai é que a coisa fica mais difícil.

    E não tem nada a ver com o gostar menos ou mais uns dos outros. Mais do que tudo, sabermos que as pessoas que amamos estão bem, deve ser mais que suficiente para nós também estarmos relativamente a elas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Também sempre fui assim, adoro ter a minha independência :)

    ResponderExcluir
  4. Também é algo que quero muito fazer mas confesso que me vai custar estar longe da minha mãe e dos meus irmãos mais novos. Sempre fomos só nós, e temos uma relação mesmo muito próxima.

    ResponderExcluir
  5. Sou exatamemte como tu. Sempre fui uma criança muito independente, sempre a querer fazer tudo, e sonho em ter a minha própria casa desde pequenina. Agora, em adulta, sinto cada vez mais necessidade de sair de casa dos pais, de ter a minha liberdade e as minhas regras. E querer isto não significa que não goste dos meus pais, como muita gente pensa, é apenas um sonho meu e o rumo natural da vida como dizes, porque ninguém vai viver na casa doa pais toda a vida, ate porque eles acabam por morrer ( infelizmente, pais deviam ser eternos para nos acompanharem sempre).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderExcluir
  6. Bem no meu caso ela estava mais emotiva pois quando sai de casa sai do país também lol mas é totalmente compreensivel!

    Tenho "Perguntas & Respostas" lá no Reino... faz uma visita ;)

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderExcluir
  7. Sou inteiramente a favor do teu ponto de vista. No meu caso, antes de casar, tive uma conversa séria com os meus pais, porque eles queriam que nós, casal, ficássemos a viver lá em casa visto que a casa dos meus pais é muito grande. Pois bem, logo lhes disse que isso não seria opção. Quem casa, quer casa. E hoje sei que foi a melhor decisão que tomei. Não me custou nada sair de casa dos meus pais, queria muito iniciar uma vida diferente com o meu marido. Eles continuam lá e eu aqui. E vivemos muito bem assim :)

    ResponderExcluir
  8. Compreendo-te perfeitamente e concordo contigo! E, já agora, aproveito para desejar felicidades para a nova fase que aí vem (=

    ResponderExcluir
  9. Sinto exactamente o mesmo ;) e tento não me pronunciar quando vejo alguém dizer essas coisas... sobre os horrores da separação dos pais. Que choram, que sentem a falta dos pais, que não podem passar um único dia sem ir lá para casa... Tento calar-me, a sério. Para não ferir susceptibilidades. Mas, por favor, menos.

    ResponderExcluir
  10. Se eu tivesse a tua idade quando saí de casa, concordaria com cada vírgula, e também estaria super ansiosa para sair.
    Mas sair aos 17 anos, para uma cidade a 900km de distância, como foi o meu caso, não é bem a mesma coisa. Custa e não é pouco.
    Mas neste momento (e já de há muitos anos para cá) não trocava a minha independência por nada (a não ser, claro, que a vida não me deixasse mesmo alternativa, o que espero que nunca aconteça).

    ResponderExcluir
  11. Muitos parabéns e muitas felicidades!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Olha, tens sorte! É bom que eles cooperem contigo nesse aspecto :) Eu sempre quis sair... E já tive de parar de dizer à minha mãe que quereria sair mesmo se morássemos na mesma terra, porque ela fica ofendida. Começa a dizer "mas eu faço-te mal? Não gostas de estar comigo?"... Enfim, dramas xD Mas coitadinha, ela às vezes passa mesmo muito tempo sem me ver... E eu sou filha única. Seja como for, é mesmo esse o curso da vida :) tu agora segues o teu, mas eles vão estar sempre lá para te apoiar :)

    ResponderExcluir