segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Aquelas vezes em que perdi uma boa oportunidade para estar calada #2

No ano passado fiz um post sobre coisas que dizia/pensava e como mudei de opinião, que podem ler aqui. Entretanto tenho pensado muito nesse post porque, felizmente, tenho mudado de opinião em relação a muitas coisas e lembrei-me de como é interessante ver a nossa evolução. Cada vez mais dou valor àquele ditado que diz para não cuspir para o ar...

Uma das coisas que eu tento fazer cada vez menos mas ainda faço, como comum mortal cheia de falhas que sou, é julgar negativamente algumas atitudes de terceiros. Não julgar no sentido de condenar, mas formar uma opinião errada sobre aquele assunto (embora respeitando). Por norma, tento sempre perceber as perspetivas do outro, procuro entender porque é que a pessoa é assim ou assado, o porquê daquela atitude, mas confesso que nem sempre entendia. Não é que me achasse dona da verdade ou que a minha opinião era melhor do que a dos outros, simplesmente havia coisas que eu não entendia e secretamente julgava de forma errada (para dentro, para mim) por não ter um verdadeiro entendimento sobre o assunto. Agora acho que é normal não entender certas coisas, até porque nunca tendo passado por elas, torna-se difícil saber o que vai na cabeça das pessoas em certas situações. Depois de ter passado por situações parecidas é que entendi melhor a atitude de terceiros quando passaram por aquilo e percebi o ponto de vista deles, arrependendo-me de ter interpretado mal as suas atitudes ou opiniões. 

Mesmo que eu tenha esse cuidado de tentar não julgar negativamente ou criticar, acho que é uma característica típica dos seres humanos. Até porque julgar significa formar um conceito de... Ou seja, mesmo quando não o fazemos com maldade, mesmo que estejamos de acordo com as outras pessoas, estamos sempre a julgá-las, a formar uma ideia delas, a avaliá-las. É, portanto, uma atitude normal. O que não é normal é criticar as pessoas com base nesses julgamentos que fazemos e isso sim, é errado e tento não o fazer. Felizmente a vida está cá para se encarregar de que vamos aprendendo uma coisa ou outra pelo caminho. Uma dessas coisas, para mim, foi aprender a ter mais calma e ser mais ponderada na hora de formar julgamentos acerca das pessoas. Já me enganei muito com as opiniões que eu tinha de muitas pessoas que depois conheci e adorei, já mordi muito a língua com coisas que eu julguei negativamente nos outros e acabei por fazer igual quando passei pelo mesmo. Quem nunca? 

3 comentários:

  1. Um bom post para refletirmos sobre a nossa conduta neste mundo cruel...
    "Quem nunca?", dizes tu muito bem, eu sou assim e devem ser raras as pessoas que não fazem julgamentos e opiniões erradas sobre outras pessoas. O importante é admitirmos o erro, "morder a língua" e auto-melhorarmos essa nossa capacidade de criticar aquilo que não sabemos/entendemos/conhecemos.

    ResponderExcluir
  2. O mais importante é admitirmos que errámos :)

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que faz parte, é normal que as coisas mudem com o tempo ou mesmo não estando nas circunstâncias, acho que é normal julgar.. Lá está, quem nunca?

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um cabaz de novidades da Nyx!

    ResponderExcluir