terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O meu bullet journal #2

No início do ano passado, comecei a fazer um bullet journal (bujo) e mostrei aqui como estava.  Era uma ideia que já tinha na minha cabeça, de tanto que já tinha ouvido falar, e decidi arriscar fazer o meu. Estava desempregada e tempo era o que mais tinha, portanto decidi experimentar. 
Gostei muito da experiência da construção do bujo e os meses foram-se passando e cada vez mais me apaixonei pela ideia. Ter uma espécie de diário e agenda, com direito a listas, trackers de tudo o que possam imaginar, é perfeito para uma control freak como eu. Ainda por cima posso expressar a minha criatividade, fazer desenhos, fazer os designs como eu bem entender... Sempre gostei de trabalhos manuais, de desenhar e pintar, portanto foi uma experiência muito gira construir o meu bujo no início.

O que é que vos posso dizer agora que passou um ano desde que comecei esta jornada? Acho que o facto de ter continuado com isto em 2018 diz tudo. Uma vez que começamos a registar as nossas coisas diariamente, torna-se um hábito. É como ver a agenda antes de um dia de trabalho. O dia só começa verdadeiramente quando abro as páginas do meu bujo e vou apontando as coisas. Normalmente abro de manhã, preencho o tracker dos hábitos do dia anterior (se bebi água, se vi séries, etc etc) e vou preenchendo com afazeres ou coisas que preciso apontar, à medida que essas coisas vão surgindo. Posso dizer-vos que tenho perfeita noção dos dias em que me senti bem/mal, quantos livros li e quantos filmes vi, em que dias é que nem sequer peguei num livro, quantas vezes fiz depilação ou fui jantar fora... São coisas que, no fundo, não interessam nada a ninguém mas que eu adoro saber. Sou toda louca por estas estatísticas. Ainda mais depois de ter aprendido que "o que não é medido, não é gerido", portanto adoro saber as coisas que faço, medir os meus hábitos, etc, para ter perfeita noção de onde tenho que melhorar, por exemplo. Adoro saber estas coisas, juro. Bem sei que pode parecer exagerado, mas gosto mesmo. No final do ano passado, com a ajuda do Mobills (uma aplicação de gestão financeira que também já falei aqui), fiz uma página com as estatísticas financeiras do meu ano 2015, 2016 e 2017. É assustador perceber que em 2015, por exemplo, gastei mais de metade do que ganhei em roupas (#shame, mas são fases da vida, enfim. Aprendi com isso). Quem é que tem acesso a este tipo de estatísticas? Quase ninguém se dá ao trabalho de saber estas coisas, quanto mais registá-las. Isto só para perceberem o meu nível de craziness :)

Mas, enfim, dando um balanço geral... Tenho a certeza que continuarei a fazer bujos por muitos anos, pelo menos conto arranjar sempre um tempo para isto. Porque na verdade nem consome assim tanto tempo, é só uma questão de prioridades. Este ano decidi imprimir algumas imagens com a indicação do mês do ano, para poupar tempo, em vez de ter que desenhar uma coisa à medida de cada mês. Mudei o layout da lista de livros e filmes, mantive o mesmo desenho para as poupanças, fiz uma página só para aniversários... Está tão querido! Entretanto fui colecionando alguns materiais que me ajudam a ter um bujo mais bonitinho, como uns stencils com desenhos e formas predefinidas, umas canetas todas pipis, enfim. Também imprimi frases inspiradoras para colar em cada mês, que será o motto para aquele mês em específico. Estou a gostar. Acho que está ainda mais bonito do que no ano passado. 

Mais alguém aí faz os seus bujos? Mostrem lá! :)

13 comentários:

  1. Também ando a fazer um..mais como agenda. Tem alguns trackers mas pouco, apenas livros, postais enviados do postcrossing e as finanças. Vou fazendo as semanas consoante o tempo, mas estou a gostar do resultado.
    Tu compraste o caderno e foste fazendo ou fizeste de raiz? O meu foi feito de raiz, tanto que ainda não tem capa 😃

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer de raiz como assim? Comprei um caderno bonito com folhas lisas e fui desenhando à medida que eu queria. Não estou a perceber o que significa, para ti, fazer de raiz :)

      Excluir
    2. Em vez de comprar um caderno eu dobrei folhas e encadernei feita totó. Digamos que fiz o próprio caderno...não ficou perfeito perfeito mas também não está assim tão mal! 😊 Falta a capa, ainda não a fiz...até ao final do ano tenho tempo 😃

      Excluir
    3. Não vamos ser assim tão radicais, tá? :) Comprei o caderno, claro. Nem me passou pela cabeça fazer tudo de raiz, dobrar as folhas, etc etc.

      Excluir
    4. Eu fui mesmo radical!! Tanto que o meu namorado disse que podia ter feito os gráficos e assim tudo no computador e depois imprimir...ficava na mesma com o bujo personalizado mas com menos trabalho. Para mim o mais complicado foi tentar organizar as folhas...o que era mais geral e o que era mensal. Qualquer dia faço um post no blog 😊

      Excluir
  2. Não consigo fazer isso! O teu estava mesmo bonitinho! Eu não tenho jeito nenhum para isso Ahah! Aponto tudo no telemovel e tá bom XD

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que podes perder o telemóvel ou ficar sem bateria na hora em que precisas ou perder os dados todos porque o telemóvel se foi. Eu gosto mais de ter os registos em papel :)

      Excluir
  3. Por aqui não temos grande tempo para criar bujos mas ando rendida à agenda da Mr Wonderful :)

    ResponderExcluir
  4. Também tenho um, que está a terminar, e já comecei a fazer o seguinte. Mas está muito simples. É mais para agenda e tenho pouca coisa de trackers e listas. E a nível de layout também são muito básicos porque o meu jeito para desenho e coisas que mais não é melhor. Mas divirto-me a fazê-lo e sinto que é muito mais pessoal do que uma agenda (digital ou física) xD

    ResponderExcluir
  5. Adoro ver imagens e como organizam, mas eu não teria jeito nenhum para isso! Não tenho mão nenhuma para o desenho...
    Eu uso uma espécie de bujo,para apontar os episódios de séries e filmes que vejo, ideias de posts, livros que leio, ideias de tattos e frases bonitas, mas só isso :)

    ResponderExcluir
  6. Eu queria imenso fazer, mas acaba por me render a uma agenda tradicional confesso!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um giftcard de 35€ na Sephora!

    ResponderExcluir
  7. Eu já tinha bullet journal muito antes de saber que aquilo tinha nome :). Na faculdade, no início de cada ano, o BES (o banco entretanto falecido) oferecia uma agenda a todos os alunos. Na altura, eu e mais três amigos começámos a usá-la de um modo diferente daquele que as pessoas habitualmente associam às agendas: não registávamos o que estava para acontecer, mas antes o que tinha acontecido - os filmes que tínhamos visto, os livros que tínhamos lido, os convívios que tínhamos feito (com descrição da localização, da companhia e do menú), etc. Escrevíamos ainda frases marcantes (por serem cómicas, por exemplo) que tivessem sido proferidas, fazíamos desenhos a ilustrar os eventos e colávamos fotografias, bilhetes de cinema, de concertos e de museus, panfletos de sítios onde tivéssemos ido... enfim, arquivávamos naquela agenda tudo o que pudesse ser enquadrado na classificação de efémera (objecto sem valor real, feito para ser efémero e que alguém guarda - um bilhete de cinema, um recado escrito num guardanapo, um talão de qualquer coisa especial,...).
    Sei "tudo" o que fiz durante os 6 anos de curso graças a estas agendas do BES. E é tão bom folheá-las e ver o tanto que vivi :)

    Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, Lúcia, que interessante! É o que faço também, só que neste registo de bujo. É muito giro e ficamos com memórias para sempre. Tenho pena de não ter começado mais cedo, nos tempos da faculdade, por exemplo.

      Excluir