quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Cuidar da vida dos outros

Quando eu digo que vivo numa terrinha, vivo mesmo numa terrinha. É uma mini cidade onde toda a gente se conhece e, claro, toda a gente fala da vida dos outros. Vejam, por exemplo, a situação que vos vou contar e digam lá se isto acontece em cidades grandes.

Os meus pais decidiram comprar um carro depois de 26 anos com o nosso fiel amigo velhote, que está a cair aos pedaços (paz à sua alma e que continue a andar, pelo menos mais um aninho ou dois, se faz favor). No dia em que o fomos buscar (e como só temos um lugar de garagem), o novo ficou na garagem e o velho teve que ficar no estacionamento exterior. Os meus pais estavam na garagem a mostrar o carro ao meu irmão e estava lá um senhor (amigo do meu tio) que também tem lá o carro, portanto viu-os mas não os abordou. Passam-se quase duas semanas quando o meu pai vai a sair com o carro e encontra o meu tio na rua, parando para conversar. E o meu tio começa a desbobinar tudo o que o carro tinha de novo, que arranjos o senhor do stand lhe tinha feito etc, sem o meu pai ter dito nada. Era a primeira vez que ele estava o ver o carro e já sabia tudo isso. Como? Sucede que o amigo do meu tio, que viu o carro na garagem no primeiro dia, é amigo do senhor do stand. Pois que o homem foi ao stand e fez um rol de perguntas ao dono do stand sobre o carro, indo depois partilhar informações com o meu tio.

Acho curioso este interesse que as pessoas demonstram por pormenores tão irrelevantes da vida dos outros. Deu-se ao trabalho de ir perguntar ao outro coisas sobre o carro dos meus pais, para quê? Para fazer fofoca no café da terrinha. Para saber se foi um bom negócio, se o carro está em bom estado, quanto pagou, como pagou... E isto interessa porquê? Porque aqui as pessoas gostam de fazer contas à vida dos outros. Se comprou um carro é porque está cheio de dinheiro! Deve andar a ganhar bem...ricas vidas! Enfim.
Isto alguma vez iria acontecer numa cidade grande? As pessoas nem conhecem os vizinhos, quanto mais saberem se mudaram de carro!

12 comentários:

  1. Exacto, é horrível esse interesse por algo que nem faz sentido, o que tem ou não o carro novo :\

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um giftcard de 35€ na Sephora!

    ResponderExcluir
  2. Falta de vida própria, aqui por esta zona é igual.
    Quando comprei o meu tabém me vieram perguntar quanto paguei e eu perguntei à pessoa se queria saber o valor para me pagar o carro... e a conversa ficou pr ali, cada uma.

    ResponderExcluir
  3. As pessoas em meios mais pequenos acham que tem o direito de ter conhecimento do que se passa com a vida dos vizinhos. Como todos se conhecem, como todos conhecem aspectos gerais da vida uns dos outros, acham que coisas mais privadas, ou até coisas nada relevantes (como este caso) mas que só devem ficar entre família, devem ser discutidas em praça pública! Em conversa de café um avança com uma informação, outro completa e outro ainda acrescenta e assim se passa a vida!
    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Até fiquei mal disposta. Detesto que falem na vida uns dos outros e não entendo, honestamente, o interesse. Eu sou tão desinteressada pela vida alheia que gostava que toda a gente fosse assim, pelo menos em relação à minha vida.

    ResponderExcluir
  5. Credo! Também vivi numa terrinha assim e até aqui em lx passei por algo idêntico. Nos trocámos de carro e esse "amigo" começa a dizer que os motores de 1600 cv não valiam nada e bla bla bla. Ele tinha um Mercedes 2000cv com uns 4anos e afirmou que o dele estava em óptimo estado. o nosso era uma carrinha opel astra, a nova que tinha saído, então eles passados 3meses foram comprar um carro novo,a cor era quase igual à nossa e o pior é que foram comprar com os mesmos CVS que ele disse que não prestavam.
    Como o meu sogro diz. "não podem ver roupa nova ao pobre....

    ResponderExcluir
  6. Nas terras pequenas é assim, as pessoas distraem-se à conta da vida dos outros...

    ResponderExcluir
  7. Isto é doentio! Se fizesse essas perguntas ao teu pai, eu até podia entender (sobretudo se surgisse em conversa). Agora, dar-se ao trabalho de ir ao stand? Não entendo :o

    ResponderExcluir
  8. Olá :)
    Compreendo perfeitamente o que falas, também tenho a "sorte" de viver num sítio assim. Os meus vizinhos só estão bem a saber uns da vida dos outros, a cochichar, metidos a arranjar confusão...
    É triste e chato!
    Uma pessoa, por muito que não passe cartão, estão sempre a tirar nabos da púcara.
    Enfim.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  9. Nossa, realmente, quanto interesse na vida dos outros... Não sei como é que as pessoas chegam a esses extremos xD

    ResponderExcluir
  10. Acredita que nas cidades também acontece .. na zona onde moro então tudo o que fazemos faz confusão a muita gente .

    ResponderExcluir
  11. Nas cidades existem pequenas aldeias .. tudo depende da formação das pessoas , neste caso da falta dela .

    ResponderExcluir
  12. Eu sou da aldeia, mas agora vivo na cidade. E não, aqui no meu prédio nem conheço 1/10 das pessoas que cá moram... mas nas aldeias sabe-se tudo. Mas aí foi demais!

    ResponderExcluir