quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Viagens de autocarro, sol e súbitas realizações ou como eu sou uma gaja demasiado emotiva


Na segunda-feira tive um dos maiores momentos de súbita realização de que tenho memória. Ia no autocarro, o sol a bater no vidro, quentinha, auriculares nos ouvidos e comecei a ouvir música. Nisto começou uma música que eu adoro e fez-se luz. Naquele momento tive uma espécie de vislumbre do que ainda está por vir. Tenho 25 anos e uma vida pela frente. Tudo aquilo que eu sonho para a minha vida ainda está para acontecer. Quão fantástico isso é? Saber que há todo um mundo de possibilidades à nossa frente... De repente a minha vida passou-me toda à frente dos meus olhos. "Vi" tudo aquilo que desejo e já está tudo tão próximo. Claro que não tenho como saber, de certeza absoluta, que tudo vai mesmo acontecer sequer, mas pelo menos já está mais próximo. Algumas coisas deixaram de estar no plano dos sonhos para se tornarem objetivos palpáveis, planos para um futuro muito próximo. Outras tantas ainda estão mais longe mas há essa possibilidade. Senti-me assoberbada pela ideia de todos esses momentos de felicidade que ainda vou ter oportunidade de vivenciar, se tudo correr como esperado. E senti, naquele momento, uma onda de amor e de felicidade difícil de expressar. Chorei de emoção, em pleno autocarro, perante a nova perspetiva com que estava a ver a minha vida.

É tão fácil perdermos o foco do que é importante. Sou uma pessoa positiva, tenho muitos planos e sonhos em mente e objetivos muito específicos que me movem. Sou uma pessoa feliz e tenho essa consciência, mesmo nos momentos maus. Mas às vezes também me deixo dominar pelas coisas chatas do dia a dia, pelo trabalho, pelas irritações de casa, pelos pequenos problemas diários, mesmo que inconscientemente. Depois chegam dias como aquela segunda-feira, em que de facto tive tempo para não pensar em nada, focar-me no agora e mudar de perspetiva e senti-me a pessoa mais feliz da face da terra, mesmo ainda com tantas coisas por realizar. Perspetiva. Acho que, às vezes, é só isso que precisamos para percebermos a nossa vida. Sair da rotina do dia a dia, fazer alguma coisa que gostamos, não pensar em problemas mas sim em planos e sonhos... Mudar o foco dos nossos pensamentos.

4 comentários:

  1. Que nunca percas o foco das coisas bonitas. Das coisas felizes! Adorei este texto :)

    ResponderExcluir
  2. Tão bom... E que consigas tudo aquilo que ambicionas <3 :)

    ResponderExcluir
  3. Acho mesmo bonito conseguir-se apreciar as pequenas coisas e sermos gratos pelo bom que temos. Que bom que consegues fazê-lo 😊!

    ResponderExcluir
  4. Sabes que, às vezes, dou comigo a pensar que também eu me desfoco do que realmente é importante: deixo-me levar pelos nervos do dia-a-dia, pelas dez mil tarefas que temos sempre em mão e o essencial... por vezes, fica invisível aos nossos olhos!

    ResponderExcluir