terça-feira, 14 de novembro de 2017

There is no such thing as too many books| A rapariga no comboio by Paula Hawkins


Já sei que já toda a gente leu o livro mas eu sou sempre a atrasadinha. Quando as coisas são muito faladas eu fico sempre reticente e só depois de uns tempos é que lhes dou uma oportunidade. Nunca teria comprado este livro por isso mesmo, li pois foi emprestado por uma amiga. E ainda bem!

Sinopse (wook): Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.
Até que um dia... Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.

Para quem não leu, não vou dar spoilers, mas é um daqueles livros intrigantes que lemos em três tempos de tão envolvente que é. A história é dividida por dias e em parte da manhã e parte da tarde, referindo-se à viagem de comboio de ida e depois à viagem de regresso. É interessante e diferente. Temos três narradoras distintas e vamos conhecendo a história da perspetiva de cada uma delas. Gostei. Qualquer uma das personagens consegue ser interessante e cativante à sua maneira, mas a personagem principal, Rachel, é obviamente a que se destaca. Também não estava à espera daquele final, embora tenha lido já pessoas que dizem que sabiam logo que ia acabar assim. Só comecei a antever aquele final já a mais de metade do livro, por isso não acho que seja assim tão evidente como muita gente diz que é. Talvez sejam mais espertos do que eu, é possível :p
Achei interessante a mensagem de que não fazemos ideia de como é a vida dos outros, principalmente tendo só em conta aquilo que vemos e pensamos sobre eles. Por muito perfeito que tudo possa parecer, toda a gente tem os seus problemas, as suas falhas, nenhuma pessoa nem nenhuma relação são perfeitas. Interessante, tendo em conta que cada vez mais invejamos a vida dos outros só pelo que vemos nas redes sociais. 
Recomendo muito! 

7 comentários:

  1. Li no início do ano e gostei imenso sem dúvida que nos prende :)

    ResponderExcluir
  2. Devo ser das poucas pessoas que ainda não li o livro ..

    ResponderExcluir
  3. Eu não li nem vou ler pois já vi o filme e, quando assim é, não leio livros após ver os filmes, mesmo que tenham detalhes muito diferentes! Beijinhos*

    ResponderExcluir
  4. Lembro-me que li esse livro num ápice ! É mesmo um daqueles que nos prendem do inicio ao fim e gostei mesmo muito ! :)

    ResponderExcluir
  5. Adorei este livro. Também li depois de toda a gente, no final deste verão ;) e foi dos melhores e que mais me prendeu nos últimos tempos. Lá mais a chegar ao final comecei a suspeitar de como poderia acabar, mas nunca esperei os pormenores finais.

    ResponderExcluir
  6. Adorei o livro e agora queria ler o "Escrito na água". Ainda não vi o filme, quando saiu tinha o livro muito fresco na memória... Mas agora já o via!

    ResponderExcluir
  7. Eu tb gostei mt do livro :) apanhei uma desilusão com o filme, pq me aborreci de morte. Mas o livro gostei. E tb não previa aquele final! N estás só :D

    ResponderExcluir