quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Dramas capilares (isto quase que já dava um livro)

A cabeleireira onde eu vou é a única cabeleireira que eu conheço que só corta o que o cliente pede, nem um pouco a mais nem um pouco a menos. Os preços são imbatíveis, tendo em conta o que se pratica aqui na zona. É pertinho de minha casa. Alinha em todas as loucuras que lhe peçamos. A nível de pintura também faz bons trabalhos (embora continue a achar que não há ciência nenhuma em pintar um cabelo) e faz uns penteados com tranças muito giros. Tudo isto são vantagens, coisas que me fazem querer ficar com esta. O problema é que a mulher parou no tempo.

É uma rapariga nova, nem sequer 40 anos tem. Uma pessoa toda pra frente, sem chiquices e salamaleicos e eu gosto disso. Só que é uma cabeleireira da terrinha e está mais habituada a trabalhar com clientes velhas e/ou conservadoras, por isso não arrisca nada noutras coisas mais modernas. Para terem uma ideia, só sabem pentear o cabelo de três formas: ao natural, esticado ou cheio de caracóis tipo boneca de porcelana. No último dia em que lá fui, saíram de lá uma mulher nos seus 50 e outra ainda nem nos 30 e levavam exatamente o mesmo apanhado para um casamento. Não acho normal, a não ser que seja expressamente pedido pela cliente, que duas clientes com idades tão dispares levem o mesmo tipo de penteado. Eu pedi especificamente "umas ondas e não caracóis, não quero caracóis!" e saí de lá com uns cachos de fazer inveja a uma personagem de filmes de época. Deus nosso Senhor me dê paciência. Nem reclamei porque, de facto, percebo que não são capazes de melhor. 

Também percebi o porquê de eu andar sempre insatisfeita com o meu cabelo. É que até hoje ela ainda não foi capaz de reproduzir exatamente o que eu queria. Pedi umas madeixas "soltas", levei imagens do pinterest para mostrar, e saí de lá com madeixas todas certinhas um pouco abaixo da raiz. A cor está exatamente como eu queria (ao menos isso!) mas eu pretendia umas madeixas mais naturais, uma coisa tipo "olha aqui uma, olha ali outra", umas mais acima, outras mais abaixo, a apanhar o movimento do cabelo, e saí de lá a parecer que não pinto as raízes há 3 meses. Não era o pretendido. Já das outras vezes que tentamos saiu a mesma coisa e acho que o problema não sou eu que mudo de ideias mas sim elas que ainda não conseguiram fazer o que eu pedia. E levou-me um dinheirão por isto, que é outro dos males daquele sítio: nunca há preços fixos para nada. Às vezes pago x, no mês seguinte para fazer o mesmo pago y. Também diz que não pinta o cabelo a ninguém ao domingo, mas sei que faz isso a algumas. Para marcar é sempre uma confusão, quase que tem que ser com dois anos de antecedência... Oh pá, não estou nada satisfeita por várias razões.

O que me leva à parte chata que é ter que procurar uma nova cabeleireira que esteja atualizada, que saiba a diferença entre ondas e caracóis, que faça coisas giras e saiba fazer trabalhos técnicos tal como pedido, sem levar o couro e o cabelo no processo. Sei que há uma outra aqui na zona que cumpre alguns dos requisitos, mas nem sei. Também não gosto nada de andar sempre a mudar... Dilemas da vida. 

6 comentários:

  1. Parece que combinamos os posts! Acabei de fazer um post sobre o meu cabelo ahah :) Já mudei de cabeleireiro imensas vezes porque parece que nunca percebem mesmo o que queremos, mas agora estou muito satisfeita com o que tenho!

    ResponderExcluir
  2. Como te entendo mas, no meu caso, a minha cabeleireira de sempre é uma tia muito próxima e o que mais me faz recear mudar e arriscar outra cabeleira é o facto de não a querer magoar. Da última vez que fiz madeixas andei a pesquisar tutoriais para lhe mostrar, não ficou perfeito mas já ficou melhor. Beijinhos*

    ResponderExcluir
  3. Percebo bastante bem o drama, apesar do meu cabelo escorrido... Não dá para grandes penteados (a não ser que eu queira que eles se estraguem em dois minutos) e eu não gosto muito de arriscar, por isso as minhas desilusões são bem menores (e mais relacionadas com o tamanho do cabelo). Arranjar uma cabeleira que se goste a 100% sem se gastar balúrdios é sempre complicado... E por falar nisso, essa questão dos preços chocou-me um pouco, ela tem um estabelecimento aberto, devia ser tudo legal! Podes experimentar a outra, numa coisa simples, e depois logo se vê... :)

    ResponderExcluir
  4. Esse é só um dos muitos problemas com os cabeleireiros, uns estão parados no tempo, outros só querem inovar. Eu acho que deviam essencialmente aprender a fazer tudo, ou seja, estarem actualizados, mas também têm de perceber o estilo e personalidade da pessoa, para que se possam moldar a isso.

    O meu cabeleireiro é óptimo nesse sentido, mesmo. Como é meu amigo, conhece-me muito bem e é super moderno (é mais novo que eu!). Temos estilos muito diferentes mesmo, mas gosto que ele me entenda e que pareça saber sempre o que quero :)

    ResponderExcluir
  5. Percebo-te bastante bem, porém hoje em dia é difícil arranjar profissionais que não levem balúrdios :/

    ResponderExcluir
  6. Também não gosto de andar sempre a mudar, mas se não estamos satisfeitos... Tive que o fazer com a esteticista. Fazia as unhas numa menina aqui na minha rua, era prático, rápido e perto. Mas ela tem muitas restrições e pouco jeito para alguns detalhes. É mt simpática e farta-se de falar comigo, mas tive que optar por outra, para sair de lá com aquilo que queria nas unhas. Mudei, sim. E para melhor.

    ResponderExcluir