quarta-feira, 12 de julho de 2017

O preço de ser bem educado

Aqui há dias, eu e o meu namorado passamos por uma situação parva de tão surreal que foi. Estávamos a sair do supermercado e íamos para o carro. À nossa frente, um casal da nossa idade dirigia-se para o carro estacionado ao lado do nosso. O homem entrou no carro e o meu namorado ficou entalado entre os carros à espera que a mulher entrasse no carro dela para poder abrir a porta e entrar. Como ela trazia imensas coisas nas mãos, sem saco, e estava a ver-se aflita para abrir a porta, o meu namorado segura-lhe na porta para ela entrar. A mulher senta-se no banco da frente e o meu namorado ainda lhe fecha a porta. Nisto reparo na cara de tacho do homem, dentro do carro, a encarar o meu namorado como se ele tivesse feito a maior barbaridade da vida. Estamos já os dois dentro do carro, naquele impasse antes de arrancar, e continuo a reparar que o gajo está feito parvalhão a olhar para nós e para a namorada, que lhe diz qualquer coisa e apercebo-me que ele ficou seriamente incomodado por um outro homem ter ajudado a mulher dele.
Seguimos a nossa vida mas eles ainda ficaram parados no carro a discutir. O parvalhão começou a discutir com a namorada porque o meu namorado lhe abriu a porta e a ajudou, quando ele não quis saber de a ajudar ele mesmo. Ficou ofendido por isso! Como se o meu namorado lhe fosse roubar alguma coisa ou se tenha feito à mulher dele, mesmo debaixo dos olhos dele. Nem queríamos acreditar. Há mesmo gente ciumenta a este ponto? Foi pura boa educação! 

8 comentários:

  1. O nível de ciumes desse homem é doença. Tenho pena dela.

    ResponderExcluir
  2. Detesto esse tipo de pessoas. Não fazem nem aceitam que outros façam. Felizmente tenho ao meu lado alguém que se preocupa comigo. Coitada da rapariga. O teu namorado esteve muito bem!

    ResponderExcluir
  3. Tenho pena é dela. Há mesmo gente assim... idiotas -.-

    ResponderExcluir
  4. Credo! Isso é só doentio! :/
    Beijinho*

    ResponderExcluir
  5. Realmente... que falta de noção!

    ResponderExcluir