sexta-feira, 2 de junho de 2017

Mas cada um que faça como entender...

Não é que tenha alguma coisa contra, que não tenho, mas acho que passa uma ideia de "pedinchice" esta coisa de fazer chás de bebé e chás de panela/noiva. 

Eu não seria capaz de fazer uma destas festas para mim mesma. Acho que pode passar a ideia de que estamos a fazer uma festa só para os outros nos darem coisas e isso é uma coisa que eu não gosto mesmo nada. Claro que toda a gente gosta de prendas e, particularmente nestas fases da vida, dá sempre jeito ajudas extra. Ainda assim, acho que é uma atitude um bocado de pedinchas estar a fazer estas festas porque depois as pessoas sentem-se na obrigação de dar. 

Se eu quero casar ou ter um filho, tal são decisões que eu tomo conscientemente e pensando se tenho possibilidade de as concretizar. Não havendo dinheiro para estar a sair de casa, não se sai. Da mesma forma que, não havendo forma de fazer o enxoval para um bebé, não vou ter filhos a contar com a ajuda de terceiros. Atenção, não digo que as pessoas só façam estas festas para receber coisas em troca! Mas há muita gente que sim, que toma estas decisões importantes a contar que as pessoas depois ajudam nisto e naquilo. Não é um bom princípio. Não vou estar a tomar estas decisões a contar que a minha mãe me vai dar x, a sogra y, peço z aos padrinhos, os amigos contribuem com mais não sei o quê e fica tudo arrumado.
Gosto de ser independente e, acima de tudo, de não dever nada a ninguém. Não quero que tenham motivos para dizer "tem isto porque fui eu que dei". Há pessoas assim, bem sabemos. Quando eu sair de casa ou tiver filhos, será com o meu esforço, com o meu dinheiro. Claro que os pais gostam sempre de ajudar, muitos perguntam o que queremos/precisamos, etc. Mas isso são outras questões. A ideia é fazer tudo isso sem ajudas, à medida das minhas possibilidades. Não devemos, como diz a minha avó, "contar com o ovo do cu da galinha". Temos dinheiro, casamos/temos filhos. Se não temos, há que juntar um dinheirinho antes e depois logo se vê. Estar à espera das ajudas dos outros é que não. 

E depois, sinceramente, assim nem custa nada montar uma casa ou ter filhos,hoje em dia. Fazem-se festas destas e as pessoas compram tudo por nós. Claro que dá muito jeito, pensem só no dinheiro que se poupa. Só que não é um bom princípio estar a pedir coisas ou à espera que os outros queiram dar. Vejo por aí muita gente que lá se vai safando na vida assim, à custa de terceiros. Têm uma lata descomunal, pedem mesmo, fazem estes chás de tudo e mais alguma coisa... 

Como familiar/amiga, gosto sempre de levar alguma coisinha quando vou conhecer a nova casa de uns amigos ou quando sei que a pessoa vai ter um bebé. Mas é porque eu quero, não porque fui convidada para uma festa e sou obrigada a dar porque me pedem, direta ou indiretamente. Nessas coisas ainda sou às antigas, estas modernices de montar casa e ter filhos à conta dos outros não me cai lá muito bem, confesso.

11 comentários:

  1. Penso o mesmo.
    Não fiz chá de bebé para a minha filha porque achei que era para pedir presentes a quem iria. Não ia ter feitio para isso. Portanto não fiz.
    Recebi à pouco tempo o convite para um babyshower e o convite vinha acompanhado de lista de presentes!!! Eu não tinha essa lata.
    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso da lista de prendas não sabia! Qualquer dia parece um casamento, em que há registo nas lojas do que se quer/precisa. Uau. Real lata!

      Excluir
  2. Concordo! E é uma ideia parva importada lá de fora, nós os portugueses não precisamos disso para oferecer prendas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, por cá já temos muito esta coisa de oferecer prendas nestas situações, só porque sim. Não precisamos de importar essas coisas. Não digo que não seja giro fazer uma festa, mas só pelas prendas, não.

      Excluir
  3. Acho que reunir amigos e familia para celebrar a vinda de um bebé uma boa ideia o até quando são os próprios amigos a preparar a surpresa. Mas penso um bocadinho como tu. Então o convite vir com a lista de prendas acho horrivel. Mas lá está, muita gente pensa desse modo. Ainda ontem vi alguém queixar-se que estava muito triste porque a madrinha de batismo não ia ao casamento mas passado uns minutos faz o comentário " que não queira ir pronto mas ao menos podia dar alguma coisa". Como?? Afinal não se casa por amor? É pelas prendas???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que os convites já vinham com lista. Sei de um caso em que as pessoas foram convidadas para o chá do bebé e compraram prendas para levar, claro. Antes do dia, as pessoas que estavam a organizar, mandaram mensagem a todos porque estavam a dar dinheiro para comprar o carrinho do bebé. Claro que quem já tinha comprado prenda fica sem saber o que fazer, não vai dar mais dinheiro depois da prenda. Acho que é muito falta de chá fazer coisas dessas. Mais valia então dizer logo, já que sempre têm a lata de pedir e têm...

      E essa do casamento, lol. Conheço situações contrárias, em que alguém diz que não vai pq não tem dinheiro para prendas e os noivos fazem questão da presença. Não convidam para prendas. Agora assim, dizer que podia ao menos dar prenda... Que falta de noção!

      Excluir
  4. EISH! Concordo a MIL por cento! Credooooooooooo! parece aquele episódio de Sexo e a Cidade em que a Carrie faz contas ao dinheiro que gastou com casamentos e divórcios e bebés e baptizados das amigas! Credo, genteeeeeeeeeeeeee!! Deixem-me ser! =P

    Um beijinho dourado

    ResponderExcluir
  5. Quando a minha irmã soube que estava grávida ela própria começou a fazer o enxoval para o bebé, ouviu muitas "não te preocupes que eu dou-te isto, ou aquilo", mas ela sempre teve a ideia de que se fosse ela a comprar aquilo seria dela, e não teria que levar com bocas do género a que falas, mas, lá para os 8meses os amigos fizeram um lanche surpresa e perguntaram o que lhe fazia falta e ela disse que só lhe fazia uma banheira, então entre todos, não foi uma pessoa só, compraram uma banheira e muda fraldas incorporado. Mas tudo o resto foi ela que comprou.

    ResponderExcluir
  6. Bem eu tive chá de panela, casamento e babyshower. Acho que sou uma pessoa certa para falar sobre o tema. Mas, na verdade, concordo plenamente contigo, detesto que me peçam prendas para festas e por isso nunca convido ninguém para uma festa com essa intenção.
    Não vou dizer que as prendas não dão jeito, porque dão! As minhas amigas e família fizeram-me um chá de panela surpresa, que muito jeito me deu para ajudar a compor a casinha que estava cheia só de ar.
    Convidei pessoas para o meu casamento que não me iam dar prendas (pelo menos foi o que me avisaram), mas isso nunca me impediu de as convidar, eu arranjei dinheiro para o casamento e casei, com os convidados que queria e podia ter. Tive prendas que me ajudaram? Sim, imenso, mas não acho que seja razão para incluir ou excluir alguém. Aliás, dou sempre o mesmo aos noivos, independentemente de gastarem mais ou menos no casamento, porque acho que ninguém deve planear uma festa a pensar no que vai receber e/ou exigir mais ou menos e cada um dá o que quer e pode.

    O babyshower também aconteceu e quando me perguntava se eu queria ou precisava de alguma coisa eu dizia o que tinha e dizia para me darem o que quisessem, porque acho que é assim que deve ser.

    Tal como tu, acho que cada um deve sonhar o mais alto possível, mas viver sempre de acordo com as suas possibilidades. Porque como diz o meu pai "sem dinheiro não há vícios"!

    Gostei imenso do post e acho importante que algumas pessoas o leiam. Porque já tive pessoas a dizerem-me quanto iam gastar no casamento, para tentarem que eu desse uma prenda maior e isso é muito mau, really...

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha pensado nisto em detalhe, mas de facto tens razão... A ideia vem dos americanos (penso), em que se organiza este babyshower antes de o bebé nascer e depois ninguém vai visitar a família quando o mesmo é pequeno para não incomodar. Nós por cá, sempre fomos visitar a criança e a verdade é que se acaba a oferecer algo... Por isso, dar antes ou depois vai um bocado dar ao mesmo. Agora a questão é: convidamos para o babyshower as pessoas que fazíamos questão que fossem a nossa casa visitar o nosso bebé, ou convidámos tudo e todos para termos presentes? Faz diferença.

    ResponderExcluir