sexta-feira, 30 de junho de 2017

Das coisas que só percebemos quando somos mais crescidos

Há coisas que só nos apercebemos à medida que começamos a ser adultos e a viver a vida de forma mais séria e consciente. Sempre ouvi histórias que tinham a sua origem nos males do dinheiro e não entendia por que é que as pessoas se chateavam. 
Cada vez mais me tenho apercebido que a maioria, senão mesmo todos os males do mundo vêem do dinheiro. Não quer dizer que o dinheiro seja mau, a ambição de certas pessoas em fazer qualquer coisa por dinheiro é que causa estas coisas. Famílias que se chateiam por causa de dinheiro. relações que acabam por causa de dinheiro, amigos que se afastam pela inveja que provoca uns terem dinheiro e outros não...  Irmãos que nunca mais se falam porque os pais deram mais a um que a outro. Eu sei lá! 

Toda a gente gosta de dinheiro e acho hipócrita as pessoas dizerem que dinheiro não traz felicidade. Dinheiro não é tudo na vida, claro, mas faz a vida muito melhor e mais confortável. Quem diz que dinheiro não traz felicidade pode deixar aí um comentário abaixo que eu dou o meu nib. O dinheiro não compra tudo, não é tudo, mas é uma parte importante da vida. Sem dinheiro também não podemos ter nada. Vivemos num mundo assim e temos que nos adaptar a isso. Agora, concordo que  a ambição por dinheiro por vezes acaba por estragar a vida a muita gente. Dinheiro é bom mas não compra tudo! Não deve ser motivo para nos voltarmos contra o que é mais importante: o amor, a nossa família, as nossas relações.

Infelizmente muitas das chatices da vida adulta são por conta de dinheiro. Ou porque não se tem para o que se precisa, ou porque se tem demais e não se sabe fazer uma distribuição equitativa, ou porque as pessoas se aproximam por dinheiro ou porque se afastam por dinheiro. Dinheiro põe a descoberto as verdadeiras características das pessoas, quando elas já existem dentro de cada um: a maldade, a falta de consciência, o passar por cima de qualquer um, a falta de carácter... Se a pessoa tiver uma boa índole: a bondade, a humildade, o altruísmo, a partilha... Dinheiro não destrói as pessoas, as pessoas é que se mostram tal como são quando o têm ou não. 

É uma pena que as pessoas não consigam viver focadas noutras coisas mais positivas. Queremos sempre mais, ter mais que o vizinho, invejamos as coisas dos outros, vivemos à custa dos outros para pouparmos nós o nosso, arranjamos chatices com os outros por seremos assim mesquinhos nestas questões, enfim. É uma pena que, mesmo onde prevalecem os laços de sangue, a ganância fale mais alto. 

3 comentários:

  1. Se há coisa sobre a qual eu detesto falar é sobre dinheiro!1 Não gosto mesmo. E sinceramente para mim o dinheiro vale o que vale. Há coisas que valorizo muito mais. Já foram muitas as vezes que prestei serviços a troco de nada só pelo prazer de ajudar.


    beijinhos ;)

    ResponderExcluir
  2. Concordo tanto, mas tanto contigo...!! Infelizmente há quem não olhe a meios para conseguir o que pretende, e quando o que se pretende é ter determinadas coisas e parecer ter uma determinada vida que não se tem na verdade... é muito mas muito complicado mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Subscrevo totalmente. Não me venham com a conversa de que dinheiro não traz felicidade. Principalmente, desde que saí de casa dos meus pais, comecei a ver o quanto pode ser motivo de discórida, de problemas, enfim. E, sim, o mais importante não é isso, mas sem dinheiro, não comemos, não pagamos electricidade, água e gás para as necessidades básicas. E só falando do que é mesmo necessário! Porque com dinheiro compramos coisas que gostamos, vamos a sítios que queremos conhecer, passamos tempo em locais que nos agradam, enfim... coisas que nos fazem felizes! A vida não devia ser só sobreviver.

    ResponderExcluir