sexta-feira, 26 de maio de 2017

Só palpites

Há uns dias fui acompanhar a minha mãe ao cabeleireiro. Enquanto lá estive, estive atenta às pessoas e às conversas já que não tinha nada para fazer. Estava lá uma senhora com o filho de 4 anos. O miúdo era minúsculo e estava de chupeta na boca. Logo choveram comentários em como era muito grande para usar chupeta, que devia deixar isso para os bebés, que é feio e fica mal e que depois vai para a escola e os meninos gozam com ele. A mãe, com uma paciência de santa, lá ia ignorando ou soltando umas frases feitas para a deixarem em paz. Depois o miúdo começou a ficar com sono. Logo mil comentários porque não é normal uma criança de quase 5 anos fazer sestas, que depois não pode ir dormir quando for para a escola, que é preciso desabituá-los das sestas por volta dos 5 anos para depois não haver problemas quando forem para a escola. A mãe, novamente, a desvalorizar o assunto, lá ia respondendo. Enquanto estava naquela morrinhice de sono, ia mexendo na orelha da mãe. Ficaram todos muito aflitos, que isso são hábitos feios, que depois não sabem dormir se não fizerem aquilo, que depois de crescido é muito feio fazer isso...  
Depois foram comentários porque o cabelo do menino não estava assim tão grande para ter que cortar, que ficava bonito assim e mimimi. 

Eu já me estava a passar. Apetecia-me mandá-las todas calar. Com a mania que são todas mães e sabem o que é melhor para os filhos dos outros só porque já tiveram filhos também. A senhora foi uma santa, com uma paciência de Jó, ali sempre calada ou a desvalorizar o assunto. Se fosse eu tinha-as mandado todas dar uma volta, que não tenho paciência para estas merdas e muito menos admito que queiram saber mais da minha vida do que eu. Que mania esta de dar palpites sobre os filhos dos outros. Ninguém lhes perguntou nada! 

10 comentários:

  1. É preciso ter estômago para ouvir isso tudo. Não tenho nenhuma paciência para esses comentários. Uma vez começaram a criticar o cabelo da minha irmã. Respondo logo curto e grosso para acabar com o assunto.

    ResponderExcluir
  2. Santa paciência realmente... Quatro anos ainda não é assim tão crescido (para a chupeta só, talvez, não percebo nada disso). Tem tempo para se habituar a tudo. Que raio de coisa essa gente. Já estou como tu!

    ResponderExcluir
  3. Gostava de saber o que essas senhoras dizem de uma menina de 23 anos que ainda hoje gosta de mexer nos cabelos da mãe :P e nem fui mal habituada, mas gosto! Estas mães, que não põem limites aos filhos... Eheh x)
    Realmente, impressionante! Depois ainda há as "e no meu tempo é que era". Então volte para o seu tempo, minha senhora. E não saia de lá, 'tá?

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente toda agente gosta de mandar bitaites. Eu já nem ligo.

    ResponderExcluir
  5. É assim, enquanto dentista, acho que é raro o dia em que não aconselho a interrupção da chupeta, porque a verdade é que pode levar a malformações maxilares e dentárias que, mais tarde, podem vir a ser muito difíceis de resolver. Mas, cada caso é um caso e depende de outros factores a ter em conta... Mas, pronto, são coisas das quais falo no contexto do meu trabalho, não vou andar na rua a dizer isso às pessoas =P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo e, pessoalmente, também não gosto de ver miúdos mais crescidos com chupetas. Acho que é algo que deveria ser mais reservado a crianças e quanto mais cedo se fizer a desabituação, melhor. Mas não sou mãe da criança, nem sou eu que vou dizer à mãe o que deve fazer. Opiniões médicas são uma coisa, opiniões de outras mães que só se querem armar são outra.

      Excluir
  6. Realmente...Nem dos seus sabem cuidar e vão dar palpites pros filhos dos outros..

    Beijinho*

    ResponderExcluir
  7. Se as pessoas se metessem na vida delas ganhavam mais!

    ResponderExcluir
  8. Ai, opa... essas coisas mexem-me TANTO com os nervos. Também me passo e, mesmo não sendo comigo, apetece-me mandá-los para sítios pouco simpáticos. Se for comigo, arrumo logo, não admito!

    ResponderExcluir