quarta-feira, 17 de maio de 2017

Enxoval

Antigamente, as meninas casadoiras faziam o enxoval. Quase desde pequenas, começavam a ser acumuladas loiças, roupas de cama, rendas e bibelôs vários, para estarem prontas a sair da casa dos pais para as suas casas com tudo o que precisariam. Vejo pela minha mãe e pelas minhas tias que, mal foram trabalhar (na altura com 12, 14 anos), começaram logo a dar dinheiro para a casa, na troca de que a minha querida avó depois lhes desse o enxoval. E até hoje têm coisas que nunca usaram, de tanto que se acumula e se compra sem necessidade.

Hoje em dia não faço ideia como fazem as pessoas que têm como objetivo sair de casa dos pais e fazerem-se à vida.  Acredito que a maior parte das pessoas simplesmente vá juntando um dinheirinho e depois, quando chega o momento de sair de casa, compram o que precisarem. Felizmente, também longe vão os tempos em que isso seria responsabilidade unicamente da mulher! Acho que é muito mais justo que o casal simplesmente vá pondo dinheiro de parte ou compre o que for preciso em conjunto, com o dinheiro dos dois.

Sempre achei que essa coisa de fazer o enxoval era uma palermice pegada, muito por causa da questão da expetativa de género. Porque raio haveria de ser eu, enquanto mulher, a sacrificar prendas de natal e aniversários para receber copos, pratos e panos de renda? E porque é que eu é que tinha essa responsabilidade de comprar coisas para uma casa onde não pretendia morar sozinha? Tinha eu uns 15 anos, começaram logo a oferecer-me copos e cenas que tais para o meu enxoval. Na altura não achei piada nenhuma, hoje em dia a coisa já é diferente. Continuo a achar que não é responsabilidade exlusivamente minha comprar coisas para uma casa que será dos dois e penso que ficou bem explícito que não quero receber coisas de casa como prenda em alturas especiais. Todavia, já percebo a utilidade de ir fazendo o dito enxoval.

Não havendo uma data definida para sair de casa e estando apenas na expetativa de que a altura vai chegar, o segredo é ir comprando coisas neutras, simples e que dêem sempre jeito. Nada específico tipo lençóis ou eletrodomésticos, mas eu perco-me com louças e vai sempre dar jeito! Às vezes encontram-se coisas giras e com preços fantásticos, então lá trago alguma coisa e vou guardando. Talvez esta coisa de fazer o enxoval esteja mesmo fora de moda, mas não me importo. Fui ganhando um gosto genuíno por coisas de casa, coisas de cozinha... Apaixono-me por serviços de pratos e talheres, adoro tudo o que seja prato e travessa para sobremesas... Gosto mesmo destas coisas e sei que um dia vou precisar. Acredito ainda que, comprando assim aos bocadinhos, hoje uma coisa, amanhã outra, custa menos. Pelo menos a sensação de "estou a gastar o meu rico dinheiro em coisas para a casa" é menos drástica. Não tenho medo que passem muitos anos até chegar a altura de sair de casa e depois não gostar de nada do que tenho porque compro sempre coisas básicas e intemporais. E claro que vou na mesma juntando o meu dinheirinho para outras coisas que quero e gosto e até mesmo pensando em ter uma casa minha no futuro. Simplesmente sei que me custará menos ir gastando 10 ou 20 euros a cada ocasião do que deixar 500 ou 600 euros de uma vez nestas pequenas coisas. Porque sim, é só um prato, só uns talhares, só um conjunto de copos, mas tudo somado dá uma pequena fortuna, que depois se juntará a móveis e eletrodomésticos. É preciso pensar nestas coisas :)

Digam-me lá, vocês fizeram/fazem o vosso enxoval? Têm tias loucas que vos presenteiam com paninhos de renda e saladeiras de vez em quando? As vossas avós não vos estão sempre a perguntar se já têm isto ou aquilo para o enxoval?

17 comentários:

  1. Eu não fiz enxoval :)
    Agora, quando se sai de casa dos pais para ir viver para a própria casa o que se faz é ir ao IKEA e comprar tudo o que é imprescindível para o quotidiano e depois ir equipando o resto da casa aos poucos :)
    Beijinho

    sosweetgirlythings.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que eu penso fazer. Ainda assim, há coisas que penso que podem ir sendo compradas aos poucos, quando surgem boas oportunidades. Há coisas que serão sempre úteis (talheres, copos, pratos, toalhas...) e custa menos ir comprando aos bocadinhos (e aproveitando promoções) do que comprar tudo de uma vez. Pelo menos a sensação de gastar balúrdios em coisas de casa acaba por ser repartida :)

      Excluir
  2. Eu fiz o meu enxoval e nem imaginas o jeitão que me deu quando me mudei :p

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM

    ResponderExcluir
  3. Os meus pais sempre me fizeram enxoval, mas sinceramente pouco ou nada o uso..Acaba por não ser o nossos gosto e nem sinto sequer que sejam as minhas coisas mas admito que dá sempre muito jeito!

    Beijocas,
    ANDA DAÍ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende muito das coisas que se compram e do conhecimento que as pessoas que oferecem coisas têm de nós. No caso, não estou à espera que sejam os outros a comprar-me coisas, sou eu mesma que vou comprando ao meu gosto. Mas a minha mãe sabe perfeitamente os meus gostos e, se me quiser oferecer alguma coisa, tenho a certeza que serão coisas que vão ao encontro daquilo que eu gosto e que utilizaria.

      Excluir
  4. Eu quando comprei a mimnha casa, era solteiro, não tinha nada...
    Comprei o essencial, e o resto ia comprando aos poucos...

    Por esse motivo, quando a minha mulher apareceu a minha casa só tinha o quarto mobilado, tinha os utensilios básicos de cozinha, uma mesa e 2 cadeiras, e na sala só tinha um sofá, uma mesa de apoio e um móvel para a TV...
    O resto tiver que herdar da minha mulher, por isso tenho tralhas que nunca mais acabam, e que estou desejoso que acabem para poder mandar fora...

    ResponderExcluir
  5. Nunca fiz o enxoval nem nunca ninguém teve a ideia de me oferecer algo para a casa. Quando for viver com o namorado, teremos que comprar mesmo tudo.

    ResponderExcluir
  6. eu quando sai de casa fui para uma casa já mobilada. Mas fui comprando algumas coisas que me foram fazendo falta, algumas decorações, toalhas e lençóis porque prefiro assim. Agora tenho um monte de coisas aleatórias, simples mas aleatórias.
    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderExcluir
  7. Eu penso imenso no meu cantinho mas não tenho nada guardado que possa vir a usar! Beijinhos*

    ResponderExcluir
  8. Eu tive enxoval. Mas feito ao meu gosto. Com coisas escolhidas por mim e não por outras pessoas. Comecei cedo, não porque achasse que era responsabilidade da mulher fazer isso, mas porque era responsabilidade MINHA comprar coisas para MIM. Não pensava sequer em juntar-me com ninguém, simplesmente na possibilidade de sair de casa dos meus pais, porque para mim era mais do que normal sair para morar sozinha, sem ninguém. Acabou por não acontecer, porque só saí quando me juntei mas o dito enxoval deu um jeitão!

    ResponderExcluir
  9. Quando era miúda umas tias minhas ofereceram-me algumas coisas para o enxoval. Na altura não entendi mas agora agradeço elas terem feito isso. Os meus pais por acaso nunca me ofereceram nada para o enxoval mas foram eles que me compraram o serviço de loiça (super giro e moderno apesar de já ter quase 10 anos) e o faqueiro. Quando me mudei ofereceram-me também o trem de cozinha e o aspirador que eu queria mas que não poderia comprar porque é super caro! Fora isso recebi alguns panos, lençóis, toalhas (e afins) da família do meu namorado. Ele, vindo de uma família muito tradicional não trazia nada de enxoval mas, tendo em conta tudo o que eu tinha, ainda bem! Assim usamos tudo o que nos deram. Os meus pais tiveram o cuidado de me comprarem apenas o que eu usaria e tudo o que fosse moderno mesmo com o passar dos anos! Ainda assim a maioria das coisas, vassoura, esfregona (etc) comprei só quando me mudei!

    ResponderExcluir
  10. Eu casei há 16 anos. A minha mãe tinha comprado uma série de lençois, toalhas e afins para mim. Nunca em vez de qualquer prenda de qualquer dia especial. Apenas porque fazia gosto nisso e sabia que eu adorava essas coisas. A maior parte deles, lençois brancos bordados, ainda hoje uso e posso dizer que tenho mais de dez jogos de lençois a uso porque entretanto também comprei outros mais coloridos. O restou da tralha eu e o meu marido fomos comprando durante o ano antes do casamento.

    ResponderExcluir
  11. As minhas avós e a minha mãe trataram disso ao longo dos anos: resultado; já não há espaço para mais tralha e quando chegar a sair de casa metade daquelas coisas já nem se devem usar -.-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso é que acredito que se devem comprar coisas simples e práticas, coisas "lisas", sem grandes floreados. Eu gosto de tudo muito simples e não sou nada dada a padrões e bonecadas, por isso tenho comprado sempre coisas lisas, sem padrões, em cores neutras... E tudo coisas essenciais, coisas que sei que vou precisar. Precisamente para evitar esses desperdício!

      Excluir
  12. Aqui já não noto tanto a desigualdade de género (só nas prendas de Natal e afins, isso sim), pois na minha zona também é comum os homens terem enxoval. Se calhar um pouco diferente, mas ainda assim têm umas coisinhas... Eu tenho uma vizinha que me está sempre a dar coisas (feiosas, diga-se) para o meu enxoval. Paninhos, toalhinhas, enfim... Merdinhas, desculpa lá a expressão. Ainda por cima a casa será minha, não é melhor ser à minha escolha?! Mas é, penso, um conceito ultrapassado. No entanto, acho que ir comprando umas coisinhas aqui, outras ali, a pensar no futuro (ainda por cima intemporais) não faz mal a ninguém, muito pelo contrário. Como dizes, quando é tudo junto é um "esticão" valente... A minha mãe ainda conta de quando queria o seu serviço de cozinha X e a mãe lhe dizia "logo compramos quando te casares". Chegou-se às vésperas do casamento e a minha avó queria que ela escolhesse outro serviço, porque aquele era caro e tinha havido muitas despesas associadas... Por isso, vais no bom caminho, M :P

    ResponderExcluir
  13. Sabes que há pessoas que saem de casa sem ser em casal, não sabes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu post está mais enquadrado na perspetiva do casal porque é o que se adequa ao meu caso em particular. Sendo que é um post sobre mim, faz sentido falar da minha experiência pessoal. E, apesar de haver (e bem!) quem saia de casa para morar sozinho, a maioria sai de casa para ir viver com outra pessoa, enquanto casal. Seja como for, as perguntas que aqui coloco continuam a ser válidas para ambas as situações. A pergunta foi muito simples: as pessoas ainda fazem enxoval (quer seja para irem viver sozinhas ou com outras pessoas) ou deixam para comprar na hora? Não vejo a necessidade deste comentário passivo-agressivo.

      Excluir