sexta-feira, 19 de maio de 2017

Another post about work

Não sei se serei eu que sou preguiçosa ou ainda não encontrei O emprego, mas não sinto aquela vontade louca de trabalhar como muita gente diz sentir. Aquela coisa de "Se tivesse dinheiro suficiente para viver uma boa vida sem preocupações, queria trabalhar na mesma!" não me assiste. Passo a vida a dizer que estou ansiosa para ser reformada :) A questão não é não gostar de trabalhar, ser preguiçosa, não querer fazer nada. É só que também não vejo grande entusiasmo no trabalho a não ser a questão óbvia do salário. Se eu ganhasse o Euromilhões, não trabalharia mais. Acho que há uma diferença entre trabalhar e saber ocupar-me com coisas úteis e que gostasse de fazer. E compreendo que, para muita gente, o trabalho que têm não é sentido como uma obrigação porque adoram o que fazem e imaginam-se a fazer aquilo até nos tempos livres. A questão é que o trabalho, a carreira, nunca foi na minha vida um objetivo em si mas sim um meio para atingir outros objetivos e sonhos. A minha realização enquanto pessoa pode passar pelo meu sentimento de realização enquanto profissional, mas não depende só disso.

Isto tudo para dizer que me sabe mesmo bem quando estou naqueles dias em que o tempo não passa, em que estou para aqui a enrolar o trabalho e nisto me liga uma colega de trabalho só para matar tempo e dizer que também anda ali a engonhar. 
Tenho o exemplo de dois lados: uma colega que adora o que faz, que faz horas extra só porque sim, que nem nas férias desliga completamente e que diz que, se ganhasse o euromilhões, tentaria comprar metade da empresa para poder trabalhar sempre nela e fazê-la crescer e depois outra colega que me liga a dizer que naquele dia está com preguiça, que o dia custa a passar, que adoraria estar de férias e me incentiva a desligar disto mal chegue a hora. E se é inspirador trabalhar com alguém que realmente dá tudo pela empresa e adora trabalhar, por outro lado é um bocadinho ameaçador e até frustrante porque me faz sentir que eu sou preguiçosa, que deveria ser assim como ela, que preciso de me envolver mais. Por outro lado, faz-me sentir mais normal quando não estou cheia de vontade de trabalhar.

Não quer dizer que, sejamos de um extremo ou outro, não gostemos do que fazemos, não nos esforcemos. Estou bastante motivada e a gostar muito do que estou a fazer. Sinto-me valorizada na empresa e isso também ajuda muito a vestir a camisola da equipa. E mesmo que tal não fosse, o meu esforço, dedicação e capacidade de trabalho manter-se-iam. Eu já fiz muitas coisas de que não gostava e nem por isso fazia um mau trabalho ou era preguiçosa e andava só a ver as horas passar. Refiro-me não ao desempenho mas ao sentimento de entrega no trabalho. Não sinto aquela vontade louca de trabalhar, embora também não sinta que vou para o matadouro sempre que penso que amanhã é um novo dia de trabalho. É só bom ter alguém que nos inspira mas também alguém que nos faz sentir normais e valida os nossos sentimentos de "trabalhar é uma shit, queria ser rica!" :)

8 comentários:

  1. Para ser sincera, também não percebo quem o diz. E faço o que gosto :\ por acaso já comentei isto com o meu homem e talvez seja eu que ainda não tenha encontrado a minha vocação, não sei!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM

    ResponderExcluir
  2. Acho que é um bocadinho como a +cátia Rodrigues disse acima, se calhar ainda não encontraste a tua vocação. Se calhar até gostas do que fazes mas não é a tua vocação para que possas além de gostar do que fazes, fazeres com paixão. E isso não é mau. Acho que grande parte do mundo anda assim na vida!!

    ResponderExcluir
  3. Acho que todos temos um pouco esse lado de que se ganhassemos o Euromilhões não trabalhariamos mais 😊

    ResponderExcluir
  4. Opah podia ser eu a escrever isto!
    Acho que ainda não encontrei "o" emprego e por isso ainda é assim, quero acreditar que assim é. Apesar de estar a gostar e sentir-me bem com o que faço (principalmente com o ter uma ocupação e um salário ao fim do mês), não morro de amores pelo trabalho.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Já trabalhei no que gosto mas preferia mil vezes ganhar o euromilões e investir em algo mas trabalhar mesmo nem pensar, mas quem lê isto pensa que uma pessoa é preguiçosa.. não, a maioria vai trabalhar porque precisa mesmo, o dinheiro não cai do céu.

    ResponderExcluir
  6. Não gostar de trabalhar não significa ser preguiçoso. Significa apenas isso mesmo, não gostar de trabalhar. Eu não gosto. Faço-o, porque preciso do dinheiro, simples assim. Mesmo que fosse um emprego que gostasse (e não gosto, não gosto mesmo nada!), iria preferir sempre ter possibilidades de ocupar o meu tempo com coisas que me apetecesse fazer em vez de trabalhar. Como nem gosto do trabalho que tenho, todos os dias são um gigantesco sacrifício. É assim, queremos comidinha na mesa, sacrificamos os nossos dias para poder comprá-la. No meu ver, uma tristeza de vida, passar a maior parte do tempo a trabalhar. Um desperdício...

    ResponderExcluir
  7. Ainda não tive um emprego a sério, a sério... Mas percebo aquele meio termo. Até porque assim ajuda-te a esqueceres os problemas do trabalho quando vais para casa :)

    ResponderExcluir
  8. Como eu te compreendo ! Também me sinto assim, apesar de gostar do que faço e de já ter tido no passado uma experiência como a que referiste como :" acordar para ir para o matadouro" porque odiava mesmo aquilo.

    ResponderExcluir