domingo, 26 de março de 2017

Resumo dos últimos dias

O meu contrato só tem início em Abril mas, como já disse, comecei a trabalhar logo no dia em que fui contratada, ainda na entrevista. 
Ando em formação e assim será até ver. É uma área diferente que implica entendimento sobre coisas que me passam completamente ao lado e, por isso, para já o meu trabalho é observar, pesquisar, fazer perguntas e, essencialmente, ver como se faz. Como tal, tenho andado a reboque de quem sabe muito da coisa. Não vou mentir, têm sido dias complicados e compridos demais. Estou a gostar muito, mas foram já duas semanas extenuantes. Primeiro porque quebraram completamente com a minha falta de ritmo e depois porque me obriga a imensas deslocações e, acima de tudo, a estar constantemente fora da minha zona de conforto.

Já sei que vou parecer menina da parvónia, mas a verdade é que há imensas coisas da vida que me passam ao lado simplesmente por viver numa cidade pequena e não ter tido, ainda, muitas oportunidades para ver outras coisas. Há aqui todo um mundo novo a explorar.
Na semana passada fiquei num hotel sem pessoas que conheço pela primeira vez na vida. A única outra vez em que tinha estado num hotel foi numa visita de estudo há uma vida atrás. Depois fui sozinha. pela primeira vez, para Lisboa. Foi um filme para mim que nem imaginam. Uma coisa tão simples quanto isto, mas pronto. Felizmente tenho lá a viver o meu melhor amigo, que prontamente me foi buscar à estação e me levou a jantar e depois ao hotel. Foi bem mais tranquilo do que os filmes que fiz na minha cabeça. E depois não há nada que uma boa técnica de imersão não resolva. Para passar o medo do desconhecido, as dificuldades de adaptação à mudança e às rotinas, passei a semana fora de casa. Só dormi em casa na quarta, o resto da semana andamos por aí a pernoitar onde quer que fosse. Foi extremamente cansativo. Passei os dias todos em trabalho, apesar de não estar a fazer grande coisa que não ver como se faz. Mas acordar às 6h ou 7h e estar com o patrão desde essa hora até à hora em que me deitava para dormir, fez com que todo o tempo fossem horas de trabalho, conversas de trabalho, perguntas, testes... Nem a almoçar o homem me deixava estar sossegada sem ter que responder a perguntas, analisar interações com clientes, pensar sobre trabalho. Ligar à família ou ao namorado foi para esquecer, já que acordava cedo, passava o dia em trabalho e quando me ia deitar já não eram horas de telefonar a ninguém.

Enfim, tudo isto para dizer que é realmente muito bom sairmos da nossa zona de conforto. Custa, é certo, mas geralmente apercebemo-nos que somos capazes de muito mais do que imaginamos. São coisas simples, mas que na nossa cabeça, na antecipação do desconhecido, ganham proporções gigantescas e que podem até ser, em alguns casos, paralisantes. Nisto tenho que agradecer à Psicologia pelas técnicas e teorias aprendidas e aplicadas num registo self-service e diy. Há poucas coisas piores do que o medo. O medo, seja ele qual for e como se manifesta, faz-nos sentir pequeninos, incapazes, inseguros. Até o vencermos! Aí sim, sentimos que podemos ser e fazer coisas que nunca imaginamos. E olhem que falo isto mas sou a pessoa mais ansiosa que conheço. E se eu consegui vencer certas inseguranças e medos, qualquer pessoa consegue, sejam essas inseguranças e medos quais forem para vocês. Podem ser coisas muito grandes, podem ser pequenas coisas (como sei que algumas pessoas acharão das minhas), mais fáceis ou mais difíceis de enfrentar, cada um saberá o que o deixa inseguro, com medo, ansioso... O importante é nunca deixar de fazer nada por causa desses medos. Arriscar, ir à luta, enfrentar o que nos deixa desconfortáveis e exceder aqueles limites que impomos a nós mesmos. Vamos lá ver o que é que esta semana me reserva! Para já, confesso que estou ansiosa para que chegue o fim do mês. Até estou para ver como vai ser recompensado todo este trabalho fora de horas.

19 comentários:

  1. Sem medo, não há coragem! Temos sempre de arriscar e aproveitar as oportunidades que nos surgem. Que tudo te corra bem!

    ResponderExcluir
  2. O teu trabalho é tão exigente em termos de horário querida :( nem sei como arranjas tempo para o blog, admiro-te muito!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só agora, nos primeiros tempos, é que é assim. Depois terei um horário normal de trabalho :) Quanto ao blog, abençoados posts agendados :p

      Excluir
  3. Sair da nossa zona de conforto tem tanto de assustador, como de gratificante. Porque aprendemos a superar as nossas barreiras e a chegar a lugar impensáveis.
    Força!

    ResponderExcluir
  4. Vieste a lisboaaaa e não me disseste nadaaaaa *cry* podíamos ter combinado um cafezinho, se não estivesses tão ocupada!

    Não há nada melhor que sair da zona de conforto, desafios são sempre bons! Boa sorte!!!!!

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderExcluir
  5. Sem medos, vais ver que vai tudo correr bem :)

    ResponderExcluir
  6. Estás a começar em grande, vai tudo correr bem :)

    ResponderExcluir
  7. Para a frente é que é o caminho e acredita no fim disso tudo terás crescido imenso como pessoa e aprendido muitas coisas. Isso é bom :) Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Vais arrasar, tenho a certeza! =D

    Um beijinho dourado

    ResponderExcluir
  9. "até à hora em que me deitava para dormir com o patrão"... atenção à sintaxe das frases! :) Estava sempre com o patrão, até à hora em que se deitava para dormir, certo? Mas como não escreveu a frase com a sintaxe correcta, passa a ideia que se deitava com o patrão. O Português é uma língua traiçoeira, não é? ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai meu Deus, tem toda a razão!!! :) ahahaha já deu para dar umas gargalhadas! Credo, dormir com o patrão! Vou já mudar, obrigada :)

      Excluir
    2. Também me ri quando dei conta do erro. Não tem que agradecer :)

      Excluir
  10. Força aí e parabéns pelo novo trabalho! Sair da nossa zona de conforto custa sempre mas de certeza que valerá a pena! Beijinhos e boa semana 😊

    ResponderExcluir
  11. Descobrir coisas novas é maravilhoso.
    Acautela-te com as horas a mais que estás a fazer. Pode ser que nem retorno tenham.
    Boa sorte para o novo trabalho!


    Ana Teles {Telita} | blog Telita LifeStyleFacebookinstagrambloglovin'

    • novo grupo para divulgação de blogs:
    blogs Lifestyle Portugal/

    ResponderExcluir
  12. Realmente só pode estar a ser um grande desafio mas tenho a certeza que o será para cresceres, aprenderes mais sobre ti e te tornares melhor. Isso é bom, embora extenuante, imagino! Coragem :)
    Mais importante é que estejas a gostar, estou a torcer por ti :) Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Estava aqui a reler os comentários e só posso mesmo agradecer por me deixarem tantas palavras bonitas, de força e de carinho. Obrigada por estarem sempre desse lado!

    ResponderExcluir
  14. Mas que grande desafio! E que corajosa!
    Parabéns pela tua garra!
    Que tudo te corra bem!

    ResponderExcluir
  15. Percebo muito bem este post... O que eu mais queria, enquanto menina nascida e criada na parvónia, era ir para a cidade grande. Ainda assim, era ver-me feita tontinha a contar as paragens de autocarro que faltavam para a que eu queria (porque o nosso país é super mal sinalizado!), a apanhar táxis para a estação de autocarro da primeira vez que fui a casa e a pensar "se me levarem para outro sítio, não vou saber porque não conheço Lisboa". Enfim! Mas a verdade é que uma pessoa se desenrasca, mais que não seja pela necessidade. Ter ido para Londres, meio à maluca, sozinha, para fazer um curso de inglês algures há 3 anos também me fez crescer nesse sentido... Dado que nessa altura o meu inglês era fraco e eu era super insegura. Inseguranças são sempre normais quando saímos da zona de conforto, mas, como dizes, depois de as superarmos sabemos do que somos capazes :)

    ResponderExcluir