segunda-feira, 13 de março de 2017

Ofendidos

Hoje em dia toda a gente se ofende com tudo. Se calhar alguém vai ler isto e sentir-se ofendido. É assim que vivemos agora. Somos todos muito livres para tudo, até para nos ofendermos, e isso é uma pain in the ass, na verdade.

Tudo é motivo para alguém criticar e sentir-me muito ofendido com qualquer coisinha. Parece que já nada do que façamos é correto, seja como for. As pequenas coisas da vida que até agora ninguém ligava, passaram a ser altamente avaliadas e julgadas. No Natal, vêm com a conversa de que é tudo uma hipocrisia,  as pessoas só pensam em prendas, não querem saber da família o ano todo e depois juntam-se para brincar às famílias felizes. No Ano Novo, incomoda que as pessoas celebrem porque é um dia igual aos outros, nada vai mudar, não devia ser nada de especial. O dia dos namorados é uma treta, o amor devia ser todos os dias, não é preciso um dia puramente comercial para dizer às pessoas que as amamos. O Carnaval é uma porcaria porque só tem piada no Brasil, onde faz calor e se está bem de chicha de fora, agora em Portugal é só ridículo, devia ser um dia como os outros. O dia da mulher é uma merda, que temos a mania que somos todas muito independentes e iguais aos homens mas precisamos de um dia especial, não devíamos reivindicar um dia especial para nós. Opções que indiquem apenas o género feminino e género masculino são uma afronta às novas mil e quatrocentas configurações de género que vão aparecendo. Temos que medir ao pormenor o que dizemos porque qualquer comentário inofensivo pode ser visto como preconceituoso, racista ou homofóbico ou, de forma geral, contra a inclusão e a igualdade. Criam-se polémicas e vídeos virais no facebook a partir de coisas que aconteceram já há vinte anos e na altura passaram despercebidas. Não ter animais de estimação é uma afronta gravíssima à brigada dos defensores dos direitos dos animais, uma vez que significa que não temos coração, que quem não tem animais é o demónio em pessoa. Amamentar ou não amamentar é critério para avaliar o grau de amor que uma mãe sente por um filho.  E por aí adiante.

É impossível agradar a todos, de facto. E, felizmente, somos todos livres de escolher ser e fazer aquilo que queremos. Celebrar ou não datas pré-estabelecidas, achar ou não piada às mesmas, escolher ter mil filhos ou nenhum, amamentar ou não, ter ou não ter animais, comer carne ou ser vegetariano, ser todo do fitness ou sedentário - eu sei lá! - são escolhas nossas e que, não interferindo com a vida dos outros, não têm que ofender ninguém. Nem ninguém tem que se sentir ofendido pela liberdade dos outros de serem e fazerem o que querem, se não estão a prejudicar ninguém com isso. Agora é moda ser do contra, criticar tudo, julgar... Tudo é motivo para arranjar confusão e criar polémica, principalmente nas redes sociais. Sinceramente, já não há cu que aguente. 

7 comentários:

  1. Só o assim é porque as pessoas não sabem aceitar opiniões :x

    ResponderExcluir
  2. Sabes, é como dizes, as redes sociais contribuem muito para isto por causa do ódio anónimo! Tu podes dizer tudo, quase sem consequências. É absurdo mesmo!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Estou de volta ao blog e gosto de rever quem ainda se mantém por aqui! Continuas com os teus textos pessoais, profundos e certeiros! É complicado de facto sentirmos que "podemos" ofender quem está à nossa volta porém que não tem que se ofender com aquilo que não lhe diz respeito algum! Enfim, que lidem com essas "ofensas" como mais lhes for conveniente!

    Ganhaste uma nova seguidora nas tuas redes sociais!

    Beijinho, Rita

    ResponderExcluir
  4. You've got such a beautiful blog! I love your blogger and the colours. Thank you so much for sharing this with us! Dominica from London, www.its-dominica.blogspot.co.uk xXx

    ResponderExcluir
  5. Cada vez mais este mundo é dos ofendidos e dos refilões. É tão cansativo estar sempre a ouvir as pessoas queixarem-se e a refilarem...

    ResponderExcluir
  6. É angustiante aquilo que se vai vendo. Confesso que sou muito contida a nível virtual por saber as proporções que as coisas podem ter.
    Penso que, a falta de intolerância para com a individualidade dos outros está no centro de tudo. Cada vez mais vejo pessoas pouco tolerantes, empáticas e sensíveis às particularidades dos outros e isso deixa-me triste.

    ResponderExcluir
  7. A mim o que mais me ofende, na verdade, é essa mania, essa ânsia que as pessoas agora têm de se insurgir contra tudo. Tanta sensibilidade por esse mundo fora hoje em dia, que chega a meter nojo. Principalmente quando, na maioria dos casos, a polémica do dia não afecta as suas vidas pessoais, não interfere em nada no seu dia-a-dia, nas suas escolhas, no seu modo de viver e pensar... mas têm que dar sempre a sua opinião contra!

    ResponderExcluir