quinta-feira, 2 de março de 2017

Mania das dietas

Eu não tenho absolutamente nada contra quem procura um estilo de vida saudável. Pelo contrário, acho ótimo quando as pessoas se comprometem com um estilo de vida saudável equilibrado, tomam conta de si e da sua saúde, tentam ter uma melhor qualidade de vida. O meu problema está na forma pouco equilibrada como algumas pessoas o fazem e, acima de tudo, com as dietas restritivas.

Pessoalmente faz-me muita confusão quando as pessoas são completamente obcecadas e inflexíveis na sua alimentação. Cada um saberá o que pretende fazer com a sua vida, mas viver em privação não é para mim. Não estou a falar de seguir uma alimentação saudável e equilibrada, tentar fazer as melhores escolhas, ter em atenção os excessos e reduzir em gorduras, sal ou açucares. Isso acho ótimo! Falo de pessoas que pura e simplesmente passam fome ou deixam de viver felizes a comer o que querem de vez em quando porque vivem para fazer dietas malucas. Pessoas que são incapazes de comer uma fatia de bolo num aniversário, que vão a um jantar e mal tocam no prato, que se recusam a comer sobremesa na casa dos amigos, que nem no Natal comem um ferrero... essas coisas.

O segredo será sempre o equilíbrio. Eu seria incapaz de viver em privação. Tenho atenção ao que como, estou consciente dos benefícios e malefícios de muitos alimentos, sei o que devo fazer para me tornar ainda mais saudável e comer bem. Mas também sou incapaz de estar constantemente a privar-me de algo que me apeteça. Uma vida sem massa, sem pão, sem doces? Não é para mim. Sem dúvida que a chave para o sucesso na perda de peso e na reeducação alimentar é a persistência, a motivação, o autocontrolo. Aqui, esta última palavrinha também tem muito que se lhe diga: o problema não está em comer uma bolacha quando me apetece, o problema é saber parar e não comer o pacote inteiro. É aqui em que muita gente falha. Não precisamos de nos privar absolutamente de nada, se comermos com moderação. Não sou apologista de que devemos comer tudo o que nos apetece, quando nos apetece, em quantidades gigantescas mas, caramba, não vem o mal ao mundo por comer uma bolacha se me apetecer. 

Pessoas que estão constantemente em privação enervam-me. Têm sempre aquela cara de infelizes, parece que todos lhes devem e ninguém lhes paga. E depois têm tendência a tornar-se na patrulha da alimentação saudável, sempre a apontar o dedo e a julgar quem come porcarias (como disse, e bem, a Marisa, aqui). Não sei como conseguem viver assim, sempre com fome, sempre com vontade, sempre no controlo de tudo. Contam calorias, sabem quanto tempo vão ter que correr para queimar aquela bolachinha, nunca têm um dia de descanso do ginásio, pesam a comida grama a grama... Please, gabo-vos a paciência e essa incrível capacidade para estar constantemente a dizer não às ofertas dos outros. E isto durante anos e anos! 

Eu prefiro ter uns cinco quilos a mais e ser feliz no meu dia a dia, nas minhas escolhas, a comer os meus doces ocasionais, do que cinco quilos a menos e passar a vida com fome, com vontade mas sem comer, zangada com o mundo. Comam, de vez em quando, uma fatia pequenina de bolo de chocolate (ou uma imitação com cacau 90%, sem ovos, sem manteiga e sem gorduras, com farinha de alfarroba e adoçado com stevia) a ver se não serão mais felizes!

9 comentários:

  1. Eu de vez em quando tenho que comer um doce, mas confesso que faço algum sacrifício. Não passo fome, mas não me permito comer tudo o que me apetece (de porcarias, claro, não estou a falar de comida em geral) senão rebolava =p

    ResponderExcluir
  2. Thank you for visiting and following my blog I followed you and I want to invite you to follow my Instagram and my Google+, have a good day

    http://elegant-e.blogspot.com/
    https://www.instagram.com/elegant_e_blog/

    ResponderExcluir
  3. Para ser sincera, não conheço ninguém assim tão restrito, mas eu não conseguia!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderExcluir
  4. Há pessoas que querem ver resultados para ontem, então sujeitam-se a essa privação porque acham que é assim que os vão conseguir. Esquecem-se é que só se estão a prejudicar. Como referiste, e bem, o segredo está mesmo no equilíbrio. Ser saudável, sim, ter atitudes extremas é que não.

    ResponderExcluir
  5. Concordo plenamente contigo. Isso nem é viver, é sofrer! E na minha modesta opinião , são comportamentos que denunciam uma possível patologia.

    ResponderExcluir
  6. Concordo completamente contigo!! Eu ando sempre a dizer que vou ser fit etc e tal porque sou um horror não há um dia que não coma a minha bomba calórica, mas olha, que se lixe ao menos ando feliz. É verdade que como muitas vezes chocolates e essas coisas, mas por outro lado também gosto muito de legumes e saladas, acabo por equilibrar um bocadinho a coisa... Ainda assim devia controlar-me mais porque abuso mesmo muito e o facto de ser magra não quer dizer que seja saudável! No entanto sim, há pessoas que até enervam e quando comem algo que "não devem" vão logo abater aquilo. Opá quando for para morrer vamos todos para o mesmo sítio, salvo seja eheh :)

    ResponderExcluir
  7. O meu endocrinologista chateou-me até mais não para eu pôr a banda gástrica e acabar de vez com o excesso de peso (no meu caso não eram 5 quilos, experimenta mais uns 40...) e sempre lhe disse que não precisamente por isso: por gostar demasiado de comer. Não me conseguia imaginar a viver o resto da vida sem o gosto que tenho em "encher a cara" de comida de vez em quando. Claro, hoje mudei de vida, tento evitar as badochices ao máximo, mas tentei dar um novo gosto à minha alimentação. Foi isso: dar um novo gosto, mas sendo saudável. Também não entendo quem conta as calorias. É um fenómeno que me ultrapassa... Mas também acho que se a alternativa é pôr a banda gástrica e nunca mais comer COMIDAAAAAAAAA, prefiro fazer o esforço de me "aguentar À bronca" 90% do tempo! ;) =D

    Um beijinho dourado

    ResponderExcluir
  8. Também me faz confusão aquelas pessoas que cortam com tudo logo do dia para a noite .

    ResponderExcluir
  9. Não poderia estar mais de acordo! Podemos comer saudável mesmo sem nos privarmos do que quer que seja.

    ResponderExcluir