quarta-feira, 22 de março de 2017

animais de companhia em casa

Começando este post com uma adenda, para que não venham já para aqui com coisa que sou uma insensível e não gosto de animais: eu adoro animais! Certo que gosto mais de uns do que de outros, mas de qualquer forma, gosto de bichos, no geral. Cresci com gatos e convivo quase diariamente com um gato e uma cadela e adoro-os. Seria incapaz de fazer mal a qualquer bichinho e nem compreendo quem o faz. Posto isto, vamos ao post.

Só equacionarei ter um dia um animal de estimação tipo gato ou cão se tiver uma casa com espaço exterior para eles lá andarem. Bem sei que a maioria dos donos de animais de companhia os tem dentro de casa e eles têm livre acesso à casa toda, mas para mim não dá. Sei que depende muito dos animais e da educação que se lhes dá logo desde pequenos, mas ter gatos a passear no balcão da cozinha ou em cima de mesa, um cão a dormir na cama ou em cima dos sofás, para mim não dá. 
Tive um gato em casa uns meses e ele portava-se muito bem, fazia as necessidades na caixa de areia, era muito limpinho e nem fazia asneiras ou soltava muito pêlo, mas ter um animal em casa é sempre trabalho extra. Caixas de areia para limpar ou passeios à rua, estar constantemente a ver se está tudo no sítio ou se deixamos alguma coisa que o bichinho possa morder ou estragar e, pior de tudo, andar sempre de aspirador atrás! Bem vejo pelo gato do meu namorado, não há um sítio da casa onde não haja pêlo de gato. Porque não importa quantas vezes se limpa, há sempre pêlos em algum lado. Detesto a sensação de não poder ter uma roupa completamente limpa e estar à vontade em casa, sem me encher de pêlos.

E depois eu sou uma pessoa muito nojentinha, admito. Ter um animal com livre acesso à minha casa toda seria demais para mim. Não sou mais limpa ou asseada que ninguém, não quero com isto dizer que as pessoas que têm animais em casa não são limpas ou não se importam com estas coisas. Bem sei que visto de fora parece sempre mais nojento do que quando somos nós a fazer, mas mete-me impressão ver gatos a encher as camas de pêlo, gatos em cima das mesas onde as pessoas comem, cães que vão à rua e depois estão refastelados no sofá (sem falar que os cães têm aquele seu cheiro muito próprio e não se pode estar sempre a dar banho)... Não quero dizer que as pessoas que deixam que isto aconteça são porcas! Eu é que não gosto. Na casa dos outros, cada um faça como quer, mas na minha não dava porque eu sei como sou. Ia ter que andar sempre de aspirador ou vassoura na mão e depois não teria coragem de mandar os animais para a rua ou não os deixar subir para o sofá ou cama. Eu sei como sou, derreto-me com eles e não teria coragem de não os deixar fazer o que querem porque são fofinhos e queridos. Ter um animal em casa e depois andar atrás dele a impedir que vá para aqui ou para ali, nem vale a pena. E ter que andar sempre a proteger tudo o que possa ser arranhado ou mordido, ter medo de ter coisas bonitas que partam porque o animal pode deitar aquilo ao chão... É demasiado para mim. 

Gostaria muito de ter um cão um dia, mas era numa casa onde tivesse um jardim grande onde correr ou um sítio espaçoso para ficar. Porque depois também é preciso pensar nestas questões. Não basta só querer ter animais e pronto. É preciso ter dinheiro para os levar ao veterinário para estarem vacinados, desparasitados e se ficarem doentes; é preciso ter dinheiro para os alimentar como deve ser e é preciso ter espaço para os ter. Não vamos ter 20 gatos e 10 cães num T1, por maior que seja o nosso desejo de salvar todos os bichinhos do Mundo. Não é razoável. Não basta dizer que queremos, é preciso ter disponibilidade para os cuidar e para os mimar. Isto é como nas relações -  não basta só amor e uma cabana, embora o amor por eles seja fundamental.

9 comentários:

  1. Estou de acordo! Eu pessoalmente não gosto muito de gatos. Sempre tive cães, havia-os em casa dos meus avós e o meu pai é caçador. Portanto o cão sempre foi o animal doméstico do meu coração. Mas claro, nunca dentro de casa. Os bichinhos são óptimos amigos, boas companhias e um mar de coisas boas mas sim... deixam cheiro, estragam ou partem objectos, enfim. O normal porque são animais :D

    ResponderExcluir
  2. Não poderia concordar mais contigo. Não fui habituada a ter animais por perto mas cada vez sinto mais afeto por eles mas isso não quer dizer que um dia faça questão que durmam na mesma cama que eu. Com um quintal grande terei muito gosto em ter animais, sem esse quintal não sei não...

    ResponderExcluir
  3. Vivo com duas gatas e não dispensaria a companhia delas por nada, mesmo com pêlos por toda a casa e mesmo tendo que andar sempre a aspirar.


    Ana Teles {Telita} | blog Telita LifeStyleFacebookinstagramblogger



    ResponderExcluir
  4. Eu tenho a minha cadela e gata num apartamento e a minha roupa raramente tem pêlos :) É tudo uma questão de hábito. A cadela nunca vai para cima de nada, nem da cama, nem dos sofás. A gata pronto, é mais difícil mantê-la longe, mas nunca dorme connosco (nem pensar!) e limpo a mesa onde comemos TODOS os dias. Já é mais que rotina lá em casa. A mim não me faz confusão tê-las num apartamento, até porque dantes vivia numa vivenda e tinha muito mais pena da Maisie ficar lá fora e ela gosta muito mais de estar dentro de casa, junto de nós. Agora quanto à trabalheira de limpar caixas de areia, levar à rua, etc., concordo plenamente! Ter animais dá muito trabalho (e gasta-se imenso dinheiro), além de ser um bocadinho uma prisão, porque sempre que quero ir a algum lado mais tempo tenho de andar com elas atrás ou deixá-las na casa dos meus pais.

    ResponderExcluir
  5. Já tive animais (vários, até), mas enquanto vivi em casa dos meus pais, com quintal. Num apartamento nunca, nem pensar. Dá muito mais trabalho e não tenho pachorra pra andar sempre atrás, como dizes :)

    ResponderExcluir
  6. Tenho uma gata e adoro-a. Não tem acesso aos quartos. Mas não me faz diferença nenhuma que ela ande por onde quiser. Está tratada, vacinada e afins. Não, não lhe dou a mesma importância que dou às minhas filhas, mas não via a minha vida sem ela e tudo requer os seus sacrifícios.

    ResponderExcluir
  7. Eu entendo a tua perspectiva, e acredito que muitos animais seriam bem mais felizes se tivessem um espaço ao ar livre para se mexerem e exercitarem, mas há que ter atenção ao facto de que os animais também passam frio e calor, tal como nós, e por isso também precisam de abrigo. Além disso, os animais (especialmente os cães) também têm uma grande necessidade de companhia e mimo dos seus humanos preferidos :)

    Mas dou-te os parabéns por fazeres uma escolha reflectida! Há muita gente que compra/adopta sem planear ou reflectir, e acho que isso é um dos motivos pelos quais há tantos abandonos e situações tristes para os animais.

    ResponderExcluir
  8. Eu percebo o que dizes, mas para mim seria impossível deixar o meu cão na rua. :) Desde pequena que sempre quis ter um cão, mas os meus pais nunca deixaram, apesar de ter tido alguns gatos que, como vivemos na aldeia, passavam a maior parte do tempo fora de casa e nunca causavam esses problemas de andar por cima das mesas ou largar pelo nos sofás. Há dois anos quando encontrei uma gatinha bebé criei-a para ficar em casa por ser muito mais seguro. Agora vive com a minha mãe num apartamento e não faz grandes disparates porque foi educada desde que nasceu.
    O meu cão é mais reguila, é um Yorkshire e regras não é bem com ele. Ele tem acesso à casa toda e dorme comigo (bem, agora dorme com o meu pai, como não estou lá). Passeia todos os dias mas temos o cuidado de lhe limpar as patas e as partes por onde faz as necessidades com toalhitas, além de ser escovado e tosquiado e por isso não larga muito pelo. Se dermos um passeio mais longo em que ele se vai sujar por andar a correr na erva e nas poças de água dá-se um banho. Jamais conseguiria deixá-lo apenas na varanda porque para mim é parte da família e tem os mesmos direitos do que qualquer um naquela casa. Aliás, não suporto se houver visitas que tenham problemas com o cão. Jamais deixarei de ter o cão dentro de casa porque uma visita não gosta. Mas compreendo perfeitamente quem não concorda e cada um decide como viver na sua casa porque sim, às vezes há presentes mesmo dentro de casa porque ficou sozinho e dá trabalho limpar e desinfectar a seguir. Não adoro esses momentos, nem quando ele corre pela casa e deixa os tapetes todos fora do sítio, mas no fim não há nada tão bom como sentar no sofá e ter o nosso amigo ali ao lado a deitar a cabeça nas nossas pernas. É um sentimento que compensa o resto. :) Quem sabe um dia mudes de ideias! Os meus pais também não ponderavam sequer a ideia de ter um cão por pensarem como tu e no fim adoptaram este já eu tinha saído de casa e foi uma mudança completa.

    ResponderExcluir
  9. Concordo a 100%! Ok, eu não adoro cães e gatos, tenho medo... Mas acho que poderia ter um cão (se eu me habituar ou tiver uma certa conexão, deixo de ter medo). Ainda assim, até andar com cães em carros me faz confusão! A minha mãe queria arranjar um cão para o gado (lol) e eu disse "livra-te de o habituares a andar dentro dos carros". Para mim não dá... Também sou nojentinha como tu :P

    ResponderExcluir