segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Dar nozes a quem não tem dentes

É certo e sabido que as coisas são sempre ao contrário. Quem quer, não pode e quem pode, não quer. 
Vejamos dois exemplos muito práticos.

O meu irmão anda desde Abril do ano passado a tirar a carta. Anda a tirar que é como quem diz, já que foi a umas cinco ou seis aulas de código no total, nunca pega em nenhum livro para estudar e faz testes para treinar quando o rei faz anos. Acho que tenho em casa o único gajo de 18 anos que não tem pressa em tirar carta e não sonha com carros e em conduzir. Vai tirar carta porque é quase obrigado, embora a sua data de conclusão seja um mistério para todos. Os meus pais é que insistiram em inscrevê-lo logo que atingiu a maioridade (ele precisa de carta para o seu trabalho em part-time) e estão a pagar tudo, senão duvido que até hoje ele se tivesse inscrito de livre vontade. Acho isto uma espécie de afronta às pessoas que querem tirar a carta e não têm dinheiro nem os pais podem pagar. Bem sei que vai haver sempre situações deste género e ninguém tem que se sentir na obrigação de fazer tal coisa só porque há outros que queriam fazer e não podem, mas parece-me uma coisa assim irónica desta vida que se verifiquem quase sempre estas situações. Quando as coisas são tidas de mão beijada, perdem a sua piada. 

Do mesmo modo, acho que qualquer pessoa que tira a carta adoraria que os pais lhe dessem um carro. Já nem digo um carro novo, mas um carrito para poder praticar, para não ter que pedir nenhum emprestado aos pais. Eu, pelo menos, ficaria muito contente se alguém me tivesse dado um carro, mesmo que fosse uma lata velha, quando eu tirei a carta, mas não tenho pais ricos. Depois acontece como com a minha prima - não sei se se lembram desta prima aqui, que já falei algumas vezes - que é filha única e cujos pais lhe quiseram dar um carro à escolha (dentro de um preço limite) quando tirou carta, mas a princesa não está interessada em ter um carrito mais velhinho, antes quer um BMW ou um Audi. Obviamente, não sendo os meus tios pessoas ricas, nunca lhe dariam um carro novo nem um dessas marcas, como dela exige. Oferecer-lhe a possibilidade de escolha de um carro logo que acabasse de tirar a carta já é uma grande coisa e ainda andaram a ver alguns e tudo, mas a princesa descartou sempre todas as hipóteses porque "não gosto da cor" ou "não gosto das jantes". Para verem o nível de futilidade e mania das grandezas... Sucede que os pais, ainda levados de uma boa vontade fenomenal depois de todos os foras que levaram, decidiram um dia (erradamente, reconheço) comprar um carrito que acharam ser uma boa oportunidade, na esperança de que se aparecessem com o carro em casa ela aceitaria e ficaria grata. Pobres coitados, gastaram dinheiro para ter mais um carro na garagem, já que a princesa recusa-se a ficar com ele ou com o que os pais já têm. 

E é esta a vida. Eu gostaria muito que os meus pais me tivessem pago a carta, mas paguei-a eu com dinheiro da bolsa de mérito que acumulei do secundário. E adoraria ter um carrito para eu praticar mais, para sair quando quisesse (talvez agora não tivesse tantos problemas em pegar num carro) mas ainda não tive quem mo oferecesse nem me apeteceu dispor desse dinheiro para já. Mais uma vez se confirma que "dá Deus nozes a quem não tem dentes". Vidas.  

12 comentários:

  1. Fogo... nem sei qual das situações me faz mais confusão. Mas talvez a segunda. Desculpa lá, mas quanta futilidade! Eu tirei a carta com o meu dinheiro e nem é que quisesse muito conduzir, mas já tinha 22 anos e achei que fazia sentido. Tirei-a em 5 ou 6 meses. Entretanto o meu pai comprou mais um carro lá para casa para que eu e a minha irmã pudéssemos conduzir mais, mas era um velhote, só para umas voltinhas. Nunca me queixei! Entretanto como precisava mesmo de ter carro decidi comprar um e só comprei novo para não me dar tantas chatices e paguei (continuo a pagar) do meu bolso :)

    ResponderExcluir
  2. Vais-me decepar, mas parcialmente compreendo o teu irmão porque, como escreveste, é mais uma obrigação para ele do que propriamente vontade própria. É verdade que devia ver o esforço que os teus pais estão a ter para o ajudar, mas quando é algo que não ambicionamos assim tanto fica difícil trocar a preguiça pela motivação.

    ResponderExcluir
  3. Revejo-me na segunda situação... eu desejava imenso ter a carta, mas não me podiam dar, ou seja, não foi fácil, levei mais tempo que o previsto pois quando surgia algo prioritário o dinheiro dessa mensalidade tinha de ir para outro lado. Comecei com 21 e acabei agora aos 22. Depois tive que comprar um carro, porque procuro um trabalho melhor e onde vivo não há assim meios de transporte disponíveis a qualquer hora (para mais quando vou a entrevistas e tem que ser só mesmo essa hora tendo em conta que estou a trabalhar), dependia sempre de alguém e isso dificultou muitos processos de recrutamento, o facto de não ter a carta e depois ter carta e não ter carro, quando era requisito obrigatório ter carro próprio. A modos que tive que comprar um carro, é quase da minha idade, custou-me imenso pagá-lo, principalmente porque é velho e....chovia la dentro. Agora já parece outro, pois com o tempo resolvemos problemas que trazia e já dou umas voltinhas, mas foi um caminho muitoooo longo. Hás de ter o teu carro e fazer bastante furor com ele.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Bem, a primeira situação faz-me lembrar a minha irmã. Começámos a tirar a carta exactamente no mesmo dia (o meu pai pagou a carta das duas), eu já vou fazer dois anos de carta e ela ainda lá anda.

    Quanto à tua prima, era um berro bem dado. Não tenho paciência para pessoas assim.

    ResponderExcluir
  5. Ora portanto tenho em casa um de 22 que não está interessado em tirar a carta por muito que eu insista.
    Eu tirei a carta já andava na faculdade, com algum dinheiro que juntei e algum que me deram para ajudar. E depois comprei o carro com o que juntei já depois de terminar a faculdade..Vendi no final do ano para quando conseguir comprar alguma coisa melhor (duvido é que seja nos próximos tempos).

    ResponderExcluir
  6. Acaba por ser falta de consideração pelo esforço que as pessoas fazem.
    Em parte, compreendo a atitude passiva do teu irmão, porque não era algo que ele quisesse, por isso encara como uma obrigação. No entanto, uma vez que as despesas saem do bolso dos vossos pais, podia ter isso em consideração. Quanto à tua prima, devia agradecer o facto de os pais estarem dispostos a dar-lhe um carro. Nos dias que correm não é nada fácil, as pessoas têm que poupar imenso e isso é mesmo uma falta de respeito

    ResponderExcluir
  7. Estás coberta de razão e, infelizmente, há pessoas assim, ingratas e desfocadas. Uma pena!
    Boa semana para ti,
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Eu não tirei logo a carta ao 18 tirei ao 22 quando já andava a trabalhar e tinha dinheiro para tal via muitos a entrar e a marcar logo exame e depois lá vinha com o rabinho no meio das pernas novamente para as aulas de código e no dia a seguir voltavam a marcar exame porque os paisinhos é que pagavam,tive muitas vezes que o meu professor dizia vai a exame e eu dizia não porque sinto que ainda não estou preparada e não vou despercidar dinheiro em mais código ao que o professor me disse ve-se bem quem paga a carta e quem os paizinhos pagam... estive 1 ano sem conduzir nem nos carros do mais eu pai pegava e ele tem 2 até ao dia em que decidi comprar um mas já usado paguei o carro cêntimo por cêntimo quer a carta quer o carro fui fruto do meu trabalho,apesar de toda a freguesia na altura pensar que foram os meus pais que pagaram por isso compreendo perfeitamente o teu post, se os meus pais me podiam ter pago a carta e o carro? Podiam não somos ricos mas graças a deus vamos vivendo mais ou menos e sabes qual é a parte mais engraçada é que mesmo o meu pai tendo 2 carros anda quase sempre com o meu

    ResponderExcluir
  9. P.s: acabei de ler os postos da tua prima, o que eu me ri, porque eu também tenho uma prima assim "adorável"lool

    ResponderExcluir
  10. Ao ler o teu post, não podia estar mais de acordo! No meu caso tirei a carta porque foi o meu avô que ma pagou e assim fará com todos os restantes netos, senão não sei como teria sido. Tirei a carta e não tive carro. Aliás durante uns belos 6 anos pegava no carro do meu namorado uma vez entre outra.
    Realmente, Deus dá nozes a quem não tem dentes!

    ResponderExcluir
  11. "Deus dá nozes a quem não tem dentes" :) :(

    ResponderExcluir