sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Gosto tanto!

Quando vou na rua e sorrio para um estranho, que me sorri de volta. Gosto mesmo! Digo sempre bom dia/tarde/noite e sorrio quando passo por alguém, mesmo que não conheça. Acho que é o mínimo da boa educação. Sou incapaz de passar pelas pessoas e fingir que não está ali ninguém, que não vi, que não existe. Bem sei que em cidades grandes ou horas movimentadas é impossível estarmos a reparar nessas coisas e a dizer bom dia a toda a gente, mas numa situação em que quase esbarramos nas pessoas, de tão próximas que estão, é bastante razoável reconhecer a presença do outro e sorrir ou acenar ou dizer o que quer que seja. É de boa educação. E nas terrinhas pequenas, como a minha, é ainda mais impensável passar por alguém e não cumprimentar. Toda a gente se conhece (mesmo que nunca se falem), seria falta de educação não cumprimentar. 

12 comentários:

  1. É um gesto simples e que por vezes muda o dia de uma pessoa, eu não sou de cumprimentar estranhos até porque vivo numa cidade e estou sempre a passar por pessoas novas mas ando sempre a sorrir e a oferecer ajuda aliás as minhas vizinhas adoram-me por isso, dizem sempre que sou a simpatia em pessoa!

    Beijinhos, Hellen ❤
    http://instantesimprovaveis.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também costumo oferecer ajuda aqui na terrinha e as pessoas adoram. Uma vez ofereci ajuda a uma senhora no centro do Porto e só faltou a mulher correr com os sacos na mão! Penso que ficou com medo que a fosse roubar! :)

      Excluir
  2. Eu tambem gosto de fazer isto, mas os sorrisos geralmente deixo para mulheres (ja senhoras), porque tenho medo de os homens entenderam mal... lol
    Se o homem ja for um senhor mais de idade sorrio tambem.
    O boa tarde, bom dia todos recebem, claro. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Homens ou mulheres, sorrio sempre e cumprimento. Novo, velhos... Não interessa que entendam mal! :)

      Excluir
  3. Cresci numa aldeia em que dizia bom dia/boa tarde a toda a gente. Agora que estou numa cidade, admito que não o faço e até já me aconteceu "estranhar" uma senhora que chegou ao pé de mim numa passadeira e me disse bom dia. Mas por exemplo, houve uma altura em que todas as manhãs passava por uma senhora que andava a limpar as ruas e comecei a cumprimentá-la sempre.

    ResponderExcluir
  4. Na semana passada aconteceu -me algo estranho mas muito bom. Vinha para casa carregada de sacos de compras e uma senhora ( talvez da minha idade ) ofereceu-se para me ajudar a transportar os sacos até minha casa. Agradeci o seu grande gesto. Fiquei perplexa e feliz ao mesmo tempo. Também já me aconteceu, tal como a ti, em pleno centro do Porto, pedir uma informação a uma senhora ela, simplesmente fugiu!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu não sou de falar às pessoas que não conheço, inclusivé prefiro que não falem comigo, gosto de passar despercebida, vou sempre na minha, com os meus pensamentos. No entanto, se alguém passar por mim e disser bom dia/boa tarde, não ignoro, respondo :P

    ResponderExcluir
  6. A verdade é que não sou muito de cumprimentos. Vivo numa terra também mais pequena e a verdade é que mesmo não falando com toda a gente sabemos sempre quem são. Mas com o tempo comecei a perceber que principalmente às pessoas mais velhas que nos vêem sempre como as eternas crianças lá da terra passei a dizer um bom dia ou boa tarde e sinto-me muito melhor por o fazer!
    https://jusajublog.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  7. O poder de um sorriso é incrível. Quando vou a um café, loja, etc., faço sempre questão de ser bem-educada e de sorrir às pessoas... Infelizmente, hoje em dia estes comportamentos são raros e vemos com cada cara de frete -.- E bom dia/boa tarde a toda a gente, também o faço na minha terra... Agora em Lisboa, onde estudava, ou em Genebra agora, é impossível. Ainda assim, continuo a fazê-lo no autocarro, quando entro nas lojas, quando encontro pessoas em elevadores, etc. etc. Uma colega minha de Lisboa disse-me que as pessoas das terrinha eram muito mais bem educadas e atenciosas nesses aspectos e eu concordo.

    ResponderExcluir