quarta-feira, 26 de outubro de 2016

I'm a mess

Sou de gargalhadas sonoras, de risos sem motivos, de guinchos e risadinhas das piadas mais parvas. Normalmente ando bem disposta, sou uma pessoa muito feliz e bem resolvida, tento ver as coisas pelo lado positivo e tenho uma fé quase inabalável. Gosto de pensar que existe algo mais forte que nós e que o destino existe e tudo acaba por se resolver, mas também tenho (quase todos os dias, na verdade) as minhas frustrações, medos e preocupações exageradas sobre o futuro, numa ânsia de ver tudo resolvido. Também tenho dias em que não me apetece falar muito, em que tudo me chateia, mal posso ver pessoas e irrito-me com qualquer coisinha. 
Gosto muito de coisas femininas, coisinhas cor de rosa e fofas, lacinhos e maquilhagem e penteados e cabelos. Mas também tenho dias em que só quero um rabo de cavalo, camisolões largos, calças e ganga e sapatilhas. Tanto me apetece ver um filmezinho daqueles todos cócós sobre o amor como fico super farta dessas historinhas para meninas e quero é ver algo com ação e intriga e tiros e bombas. Tanto gosto que me tratem como uma princesinha, com delicadeza, que me vejam como um ser que precisa de proteção, como me passo com isso de acharem que sou sensivelzinha e que preciso de ajuda para o que quer que seja. Choro com vídeos de gatinhos fofos mas também sou mesmo bruta e mázinha em situações do dia a dia. Sou super despachada e ativa e quero resolver tudo sozinha sem precisar de ninguém porque sou uma mulher forte e independente, mas às vezes só quero é que resolvam a minha vida por mim, me conduzam e me façam as vontades como se fosse uma criança pequena. Tanto me apetece escrever sobre livros como sobre roupa, cozinhados, maquilhagem, acessórios e cenas da minha vida. Sou uma confusão! 

O pior é que estas ambiguidades todas podem acontecer no mesmo dia, de um momento para o outro. Às vezes estou super feliz e relaxada e no momento seguinte vejo ou penso em algo que me faz chorar ou ficar introspetiva. Às vezes tudo isto acontece sem qualquer razão também, simplesmente porque sim e nem tem explicação. Sou um poço de hormonas descontroladas! Coitado de quem me atura...

(E não, não tenho nenhuma patologia mental, sou apenas uma gaja cheia de hormonas estranhas, numa fase da vida mais chatinha, com um vasto leque de interesses diferentes e uma sensibilidade e empatia demasiado acentuadas).


2 comentários: