terça-feira, 27 de setembro de 2016

A saga das perguntas incómodas

Temos que enfrentar este facto cruel: durante toda a nossa vida vão existir pessoas que nos farão perguntas incómodas. Independentemente da fase da nossa vida, vai haver sempre alguém a insistir com perguntas sobre o futuro, coisas que só a nós diz respeito e que começam a ser chatas de ouvir.

Quando somos crianças é o o que é que queres ser quando fores grande?; depois vamos para o liceu e começa tudo aflito com a faculdade para onde vamos e já sabes que curso queres seguir?. Ainda nesta altura vão surgir ainda perguntas como então e ainda não tens namorado/a?. Quando namoramos há algum tempo vão começar a insistir com quando é que se casam?. Assim que terminarem o curso vão perseguir-vos para saber se já encontraste emprego na área?. Se por acaso casarem ou forem viver juntos com a vossa cara metade, vão começar as perguntas sobre quando é que vão ter filhos? e, quando tiverem o primeiro, quando é que vão dar um irmãozinho ao vosso primogénito?. Depois de cumpridos todos estes milestones, sinceramente não sei o que se segue. Provavelmente vão começar a perguntar pelos estudos/empregos dos nossos filhos, quando teremos netos, quando iremos para a reforma, ... Não sei, mas tenho a certeza que haverá sempre alguém a fazer este tipo de perguntas.

Eu sei que é normal, muitas vezes as pessoas só o fazem para meter conversa e nem é com maldade. São coisas que todos nós já ouvimos e, provavelmente, já dissemos ou iremos dizer a alguém. A verdade é que se torna muito chato estar constantemente a ouvir a mesma coisa. Neste momento, por exemplo, estou cansada de ouvir perguntar sobre o emprego na minha área. Já não posso com isto! E mesmo entre amigos surge sempre esta pergunta. Sei que não é por mal, que os amigos estão interessados em saber se há novidades e querem o nosso bem, mas começa a ser chato estar sempre a falar do mesmo. São coisas que não dependem de mim! Mando currículos constantemente, tento andar sempre em cima das oportunidades, mas ainda não chegou a minha vez. Que culpa tenho eu? Que mais posso fazer? Cansa-me ter que estar sempre a explicar a mesma coisa ou ter que fingir que estou super bem com isto e atitude positiva e mimimis em que já nem acredito. Seria muito melhor se não me relembrassem, dia sim, dia não, deste pormenor. 

Há uma certa falta de sensibilidade em fazer perguntas tão pessoais a alguém. Por exemplo, as pessoas adoram perguntar aos miúdos pequenos se já têm namorados mas seguindo uma lógica de heteronormatividade. Ou seja, as meninas ouvem se já têm namorados e os meninos se já têm namoradas. Mas e se aquela criança for homossexual? E se perguntarmos a uma pessoa que quer casar mas que o parceiro não quer, quando é que se casam? É um tópico sensível, certamente. E se perguntamos a alguém infértil e que está a sofrer com isso quando é que tem filhos? E se, simplesmente, as pessoas não quiserem ter namorados, um curso superior, casar ou ter filhos? Porque raio vamos estar constantemente a lembrá-los disso e a fazê-los falar e justificar escolhas que só a eles dizem respeito? Não é assim tão difícil tentarmos pensar em todas estas coisas antes de falar. 

10 comentários:

  1. Não percebo porque é que as pessoas gostam tanto de se meter na vida dos outros -_-

    ResponderExcluir
  2. A mim já ninguém pergunta quando caso, apesar de eu e ele querermos muito casar um dia. Pelos vistos quando passas a viver com o teu namorado essa pergunta deixa de fazer sentido aos olhos dos outros e passam a ficar mais preocupados com o facto de os anos irem passando e filhos nem vê-los. Sempre que volto a Portugal aparecem sempre as pessoas da terra a perguntar quando é que temos filhos. Respondo que não sei e que não estou preocupada com isso - o que é verdade.

    ResponderExcluir
  3. odeio isto. odeio este tipo de perguntas. acho que nunca gostei. é parvo. nao tenho de justificar nada das minhas escolhas e das minhsa decisões realtivamente a como escolho viver a minha vida :/

    r:opá, ele é um espetáculo. a serio, mas a verdade é que somos colegas de trabalho, ambos novos na empresa, trabalhamos na mesma equipa, e vamos trabalhar juntos durante os proximos 2 anos no minimo. não quero sair com ele e depois, as coisas correrem bem ou mal, e isso afectar a nossa performance no trabalho! tou a adorar o trabalho, é um local super bom, ganho super bem e não quero mesmo fazer nada que prejudique isto :/

    beijinho
    the-not-so-girlygirl.blogpost.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. consigo compreender esse lado. Mas, por outro, podes estar a perder uma boa oportunidade. Mas é uma situação dificil, de facto.

      Excluir
  4. Tu nem me fales nisso lol eu estou na fase das perguntas sobre o emprego... Só me dá vontade de esmurrar meio mundo xD

    ResponderExcluir
  5. Pura estupidez natural de gente mal resolvida com a vida . Também sei o qu e isso é: " com essa idade e ainda não tens filhos ?" " e sobrinhos também não ...coitados dos teus pais " . A minha mãe que por acaso tem o dobro da minha paciência e é uma pessoa muito ponderada já meteu 2 dessas criaturas no devido lugar. . E pronto , cortou-se o mal pela raíz.

    ResponderExcluir
  6. A minha pergunta é: porque não podes vestir o 40? É assim um drama fútil de merda

    ResponderExcluir
  7. Sei bem o que isso é. Lá está.. Não fazem por mal, mas chateia.

    ResponderExcluir
  8. Sei bem o que isso é. Lá está.. Não fazem por mal, mas chateia.

    ResponderExcluir
  9. Eu até "gosto" de receber essas perguntas, porque gosto de lhes dar respostas. Quando me perguntam se tenho namorado digo que não, que não tenho paciência para namoros. Surpreendentemente, as pessoas acabam por concordar :P

    ResponderExcluir