quinta-feira, 9 de junho de 2016

Não me pagam para isto #33

Se há coisa que me chateia é pessoas lentas e indecisas. Apanhar clientes desses em dias de enorme movimento dá-me cabo dos nervos. Normalmente estou a trabalhar sozinha, por isso tenho que me despachar para atender toda a gente num intervalo de tempo aceitável. Contudo, não faço milagres e há dias em que os clientes têm mesmo que esperar um bocadinho até serem atendidos. O tempo de espera seria a oportunidade ideal para os clientes irem decidindo aquilo que querem pedir...se vivêssemos num mundo perfeito. O que acaba por acontecer é as pessoas estarem à espera uns cinco ou dez minutos e, chegando a funcionária para os atender, não sabem o que querem! Põe-se a conversar, a olhar para o balão, mas pensar no que lhes apetece comer é que não. Facilitar a vida à funcionária? Nah, ela é paga é para isso, que faça mas é o trabalho dela. E depois é óbvio que se perde imenso tempo com estas coisas. Se já soubessem tudo o que quereriam pedir, seria muito mais rápido não só atender esses clientes em particular como todos os outros que continuam à espera. Mas e fazer as pessoas perceberem isso? 

O que eu gosto mesmo é de pessoas despachadas! Houve uma situação, num desses dias caóticos em que estava sozinha, em que me dirigi a uma mesa e os clientes não só já tinham pensado no que queriam, como tinham tudo apontado num guardanapo para eu só ter que servir. Pessoas despachadas fazem toda a diferença!

2 comentários:

  1. É bem verdade. Eu tento sempre ser uma dessas pessoas despachadas. Caso esteja num dia em que não saiba o que escolher, peço para voltar daqui a uns minutos, enquanto decido.

    ResponderExcluir
  2. Esse trabalho está a meter-te os nervos em franja... Há todo o tipo de clientes, os despachados, indecisos, iOS que reclamam por tudo e por nada, enfim...é chato eu sei..mas faz parte. Também trabalho com atendimento ao público e sei bem o que é...não esgotes a tua energia com essas coisas, agarra os teus verdadeiros objectivos e vai à luta daquilo que verdadeiramente queres.

    ResponderExcluir