quarta-feira, 4 de maio de 2016

Estou velha

Nunca fui uma pessoa festivaleira, de ir a festas e a discotecas e sair a toda a hora. Sou muito extrovertida e gosto de sair, mas para sítios sem confusões e não até às tantas da noite. Para mim, a semana da Queima, sempre foi a semana das atividades praxísticas e não o queimódromo. Mas como estudante que fui, era quase um pecado dizer que não ia ao queimódromo dia nenhum ou que nem gostava daquele ambiente. Que sacrilégio! Acabei por ir, ao longo dos 5 anos de estudante, umas 4 noites ao queimódromo (arrastada pelos amigos, mas ia sempre embora mais cedo do que todos eles - sou uma cócó, já sei). Sempre fui a maior entusiasta desta semana, mas pelas coisas da praxe: a serenata, a imposição, o dia da beneficência, o cortejo e o sarau. O resto sempre me passou ao lado. E depois de esta semana ter ido à serenata, imposição e cortejo e ter saído mais cedo de cada uma das atividades do que quando era estudante, e mesmo assim me sentir a morrer, percebi que isto já não é para mim. Continuo sem perceber como é que as pessoas aguentam uma semana inteira de saídas, bebedeiras, noites mal dormidas, dias de ressaca e comidas de plástico. A Queima é a semana da loucura, de extravasar, de aproveitar os últimos minutos de estudante, a festa dos finalistas. Acho ótimo que as pessoas a vivam como bem entenderem e percebo que, para muitos estudantes, a Queima seja essa oportunidade de deitar cá para fora meses de sacrifícios, de noites sem dormir para estudar, e que agora procurem uma semana de diversão, sem consequências, sem responsabilidades, sem pesos na consciência. Mas eu não sei como é que se aguenta uma semana inteira disto, a ser vivido ao rubro, de dia e de noite, sem que o corpo se ressinta. O meu, de pessoa que teve a sua última queima como estudante no ano passado, já não dá para isto. 

2 comentários:

  1. A minha vida académica foi similar, nada de noitadas ( mt poucas) sem álcool e loucuras inconsequentes. Sempre fui chamada de" certinha" ( se soubessem, lol). E algumas vezes criticada por não beber, enfim. Tal como tu não me revejo nesse cenário .

    ResponderExcluir
  2. cada um vive à sua maneira :)

    ResponderExcluir