domingo, 3 de abril de 2016

Só tem tamanho

O meu irmão, que faz ainda este mês 18 anos, estava ainda há 2 minutos na casa de banho a chorar porque fez um cortezinho no trabalho e a minha mãe lhe arrancou, sem ele estar à espera, o pensinho que se colou à ferida. É um corte, sim, mas nada do outro mundo. É uma zona sensível da mão, sim, mas não me parece nada de especial. Ontem quase desmaiou ao ver a "gravidade" da coisa quando lhe fiz o curativo e hoje ainda treme por ver o sangue que escorre da ferida. I mean, sangrou bastante para o cortezito que é, mas é por ser numa zona cheia de veias. Acredito que dói, claro, mas não percebo todo este alarido à volta disto. Sou muito mais prática nestas coisas. E a minha mãe, que se diz muito despachada e que gosta de ver estas coisas de feridas e sangues e tudo e tudo, quase desmaia só de ver. E eu ali, a fazer de enfermeira, a acalmar toda a gente, por causa de um "bifezito" daqueles. Se fosse em mim, era menina para não só ter sido eu a arrancar o curativo de uma vez por todas como colocar um pouco de betadine, um pensinho e seguia a vida. Homens fazem todo um alarido por coisinhas de nada, não estão habituados a sofrer.

6 comentários:

  1. Com feridas e coisas desse género, sou ultra sensível, por isso era menina para quase desmaiar.

    ResponderExcluir
  2. hahaha, estou-te a imaginar a escrever isto :p mas pronto, há pessoas mais sensíveis do que outras :)

    ResponderExcluir
  3. ahahahahahahah! Estou mesmo de acordo!

    ResponderExcluir
  4. Ai o que eu me ri com esta publicação! Já não há homens como antigamente xD o que vale é que o meu é dos anos 80 ainda hehehe

    ResponderExcluir
  5. Opa eu ainda devo ser pior que ele... Não posso ver sangue! Fico mal disposta e garanto-te que desmaio. Desmaiei a fazer um piercing, a fazer uma tatuagem e há pouco tempo por ter ido às urgências por causa de uma bolha no pé...

    ResponderExcluir