segunda-feira, 18 de abril de 2016

Prós e contras

O bom de morar numa cidade é a proximidade de tudo o que é importante. A centralidade da minha casinha permite-me chegar a qualquer loja ou serviço em meros minutos de carro ou até mesmo a pé. Tenho tudo aqui à mão.
Mas há sempre o outro lado. Essa mesma centralidade faz-me estar ao pé da estrada, ter janelas viradas para a estrada principal da cidade e, por isso, ter sempre carros a passar a toda a hora. Não posso estar um minuto em absoluto silêncio porque há sempre um carro que ronca mais alto, um que passa com as músicas aos berros, pessoas na rua a conversar alto, etc e tal. Mas também é um facto que a pessoa se habitua a estes sons e acaba por nem dar conta deles na maior parte das vezes (moro ao pé dos bombeiros e raramente oiço a sirene se tocar de noite, já me acostumei).

No fim de semana, estava eu em casa da avó do meu namorado quando me apercebo do absoluto silêncio das redondezas. Sendo uma casa, já torna tudo mais silencioso pelo simples facto de não haver vizinhos em cima nem em baixo. Apesar de não me poder queixar dos meus vizinhos, obviamente há sempre barulhos decorrentes da vida quotidiana e numa casa só temos os barulhos das pessoas que lá habitam. De noite, estando cada pessoa no seu quarto e numa de adormecer, não se houve som nenhum. E o facto de ser uma casa plantada no meio de uma aldeia (ainda que sendo a meros metros da cidade) ainda ajuda mais a tudo isto. Não há carros a passar, os vizinhos das outras casas são todos velhotes e por isso vão para a cama cedo e não fazem barulho, não há lá muitas crianças na zona por isso também não há berros nem choros nem birras nem músicas irritantes a tocar. E eu dei por mim a desejar dormir ali para sempre e a querer de bom grado trocar a centralidade do apartamento onde vivo pela calmaria da aldeia. 

6 comentários:

  1. Também vivo bem no centro da cidade e não há um minuto de silêncio total. Quando vou para a casa dos meus pais, numa cidadezinha muito mais pequena, sinto o silêncio mas não gosto muito. Sou mesmo um bicho das selvas de betão.

    ResponderExcluir
  2. Mas tu nao és de uma terriola qualquer tipo Penafiel, Paredes, Paços, whatever? Até parece que moras no meio das Antas lol. Isso aí é silencioso, acredita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma cidade, mesmo que pequena e não da dimensão do Porto/Lisboa, traz sempre muitos mais barulhos do que uma aldeia. E é claro que, mesmo dentro da minha cidade, há sítios onde há mais silêncio por não serem tão centrais. Obviamente não se pode comparar com o centro do Porto. Mas mesmo assim, na zona da boavista, onde vivi dois anos, o barulho era bastante parecido com o que tenho na minha casa-casa. É tudo uma questão de localização.

      Excluir
  3. Eu gostava muito de morar na terrinha onde nasci e para lá quero voltar. Apesar disso, gosto da proximidade com Lisboa.

    ResponderExcluir
  4. Vivo numa aldeia, já vivi em várias cidades, nomeadamente Lisboa. E tenho a certeza que não troco a minha terrinha por cidade nenhuma!

    ResponderExcluir
  5. Eu também vivo numa cidade , que não Lisboa e Porto , e até nem fica na zona do centro e também ouço barulhos ...é bem diferente de estar num sítio no campo onde reina a paz e o sossego... Só se ouvem os bichos,,,realmente é uma sensação espectacular.. Até o ar que se respira é diferente( devido à qualidade do mm, cm é óbvio ). Mas para viver , pelo menos para mim, não ....sou uma mulher da cidade, mas claro de vez em quando sabe muito bem ir para o campo. Pensa nisso quando tiveres oportunidade de teres a tua própria casa..😉

    ResponderExcluir