segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Cada vez gosto menos de futebol

Sei que alguma coisa de muito errada se passa com os valores da sociedade e das prioridades que temos para nós e para os nossos quando um pai diz, à frente do filho pré-adolescente, que "o futebol pode ser o futuro deles, a escola não é!".
Depois queixam-se que os filhos não querem saber da escola, que têm maus resultados, que preferem tudo menos estudar. Mas é claro que isto acontece! Qualquer estudante se queixa da escola e prefere passar horas a olhar para uma parede em vez de estudar, são fases pelas quais todos passamos quando somos mais miúdos. Mas se ainda para mais tivermos em casa pais que desvalorizam a escola, que protegem sempre os meninos e são sempre contra os professores, que apoiam atividades extracurriculares como sendo mais importantes do que a própria escola, então estavam à espera de quê? Se o pai diz que a escola, onde o filho aprende a ler, a escrever, a fazer contas e uma data de coisas que o faz mais culto e mais esclarecido, para além de o preparar para uma futura profissão, não é o futuro dele e que é melhor o filhinho dedicar-se a dar uns chutos numa bola... Que miúdo, num país (mundo até) que valoriza futebolistas como se fossem os salvadores da pátria, em que volta e meia somos bombardeados com imagens e publicidades das vidas perfeitas e de luxo que esta gente que tudo o que sabe na vida é correr atrás de uma bola tem, que miúdo, repito, não há de querer o mesmo para si? Se ainda por cima em casa é incentivado para isso? 

Poupem-me, a sério. É por isso que eu odeio tudo o que envolva futebol, apesar de gostar do desporto em si. Cambada de paizinhos com mania que têm todos mini Cristianos Ronaldos em potência. Querem todos ser Donas Dolores desta vida, para viverem bem à custa dos miúdos. Não importa que para isso tenham que deixar a escola, terem filhos que mal sabem ler, se ao menos eles tiverem oportunidade de serem jogadores da bola. É mesmo triste que seja um pai a dizer a um filho que a escola não importa, que o futebol é que pode ser o seu futuro, nem que seja a jogar numa equipa de terceira divisão e que passem a vida com salários em atraso (como eu tanto vejo a acontecer). Desde que sejam jogadores de futebol. Pena não poderem todos ser Messis e Ronaldos. Triste vida. 

3 comentários:

  1. Que engraçado, a experiência que tenho na minha família, embora não seja com o futebol, mas sim com o ciclismo é a contrária. Além disso, no meu círculo de amigos todos os pais põem a escola à frente.

    ResponderExcluir
  2. Eu aceito e até apoio os pais porem os filhos no futebol ou em qualquer outra área do desporto. Mas NUNCA poderia aceitar ouvir que a escola não leva a nenhum lado. Isso é uma barbaridade!

    ResponderExcluir
  3. Que grande disparate! O futebol pode ser sim uma ótima atividade extra curricular, até porque o desporto faz bem à saúde, mas menosprezar a escola? A verdadeira formação que nos leva a entender as coisas e a saber gerir a vida? Que grande disparate! Isso é gente sem um pingo de juízo e sem dúvida com um cérebro bem pequenino

    ResponderExcluir