segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Bela maneira de terminar este Fevereiro #sqn

O meu fim de semana foi marcado por dois acontecimentos, um extremamente fixe e o outro extremamente mau.

A parte boa é que fui ao dentista para apertar o aparelho e saí de lá sem ele. Finalmente sou uma pessoa livre para morder o que bem me apetecer sem dor, sem desconforto, sem constrangimentos. Ficou melhor do que eu imaginava, mas ainda assim não estou 100% satisfeita. A culpa é minha, que obviamente criei aquela expetativa de dentes de capa de revista, sem pensar que cada caso é um caso e há diferentes configurações de rostos, bocas, etc. Mas está perfeito, tendo em conta o pré-aparelho. Ainda tenho uns quantos tratamentos para fazer até isto tudo terminar, porque há coisas que não podia tratar tendo o aparelho. Tenho um problema nas gengivas que se agravou com o uso de aparelho e agora é tempo de as coisas voltarem ao normal, progressivamente. Anyways, ainda não está tudo bem finalizado, mas já estou livre de montes de ferrinhos na boca, o que é muito muito bom. Esperei anos por isto.

A parte má foi que, precisamente no mesmo dia, ao final da tarde, fui roubada lá no estabelecimento. Estava sozinha como sempre, a passar a maior seca da minha vida, tinha inclusivamente pedido aos meus pais para irem mais cedo buscar-me que assim faziam-me companhia. Mal desligo o telefone, entra um cliente que eu nunca tinha visto, mas com um aspeto normalíssimo. Simpático, bom comunicador, sempre ao telemóvel...A próxima coisa que vejo é ele a fugir com o dinheiro. Nice! Ainda corri atrás dele, mas ele meteu-se no carro e nunca mais o vi. Liguei logo à minha patroa, claro, e ela a dizer para eu ter calma, que são coisas que acontecem, mas eu estava tão nervosa que só chorava. Toda eu era tremores, choro e ranhoca, lindo de se ver. Escusado será dizer que apanhei um cagaço para a vida, nem queria ir abrir no dia a seguir. Nunca na vida tinha sido assaltada, tinha logo que ser no meu local de trabalho, quando sou responsável por dinheiro que nem é meu. Mas pronto, a vida continua e há que trabalhar. 

6 comentários:

  1. Que azar ! Infelizmente hoje em dia é o que mais acontece :/

    ResponderExcluir
  2. Acho que há poucas coisas como o sentimento de ser roubado. É um desalento horrível.
    Ainda bem que não foi violento.

    ResponderExcluir
  3. Tenho um medo terrível de ser assaltada, particularmente que o assaltante me confronte. Ser roubada sem saber (estilo carteirista) só me incomoda por perder coisas, mas dirigirem-se a mim e pedirem-me as coisas... acho que congelava de medo.

    ResponderExcluir
  4. Que péssimo! Mas pensa que pelo menos só agarrou no dinheiro e fugiu, não te ameaçou e coisas que tais.
    Agora é tentar 'esquecer'.

    ResponderExcluir
  5. Quanto ao aparelho, ainda bem que já o tiraste (deve ser bastante desconfortável!) e que, apesar de tudo, conseguiu fazer algumas melhorias.

    Quanto ao assalto, nem imagino o susto... Mas pelo menos não aconteceu mais nada, limitou-se a levar o dinheiro sem mais problemas!!

    ResponderExcluir