quinta-feira, 17 de setembro de 2015

E é que nunca mais acaba


Já tive pesadelos. Já acordei às 5h da manhã antes de entrar ao trabalho às 7h para fazer análises de dados. Já deixei de comer. Já andei com o estômago às voltas e o coração na mão. Já pedi ajuda a muita gente e já chorei muito (de frustração, por me sentir estúpida, por me sentir impotente, por não saber mesmo o que fazer nem a quem recorrer). Mas depois, é como diz a Catarina Beato, a vida resolve-se sozinha. Tentei dormir melhor e não pensar no assunto. Quando acordei comecei, lentamente, a seguir os passos de um livro de ajuda (tipo aqueles livros for dummies). Comecei a pesquisar. Lembrei-me miraculosamente das aulas do primeiro ano, tão lá atrás na minha memória. E pimbas, por tentativa e erro lá fui conseguindo. 

Ainda não está tudo, nem sequer metade. E tenho sempre medo quando as coisas começam a correr muito bem, começo logo a antecipar o drama e o caos que se seguirão. Mas estou mais calma. Porque sei que vou conseguir, seja como for. Tenho alguém que percebe do assunto e me vai ajudar. Tenho outra pessoa a quem posso ligar em caso de desespero. Tenho uma orientadora que tem que me ajudar se eu não conseguir mesmo fazer nada sozinha. E tenho, acima de tudo, esta fé e esta esperança que me movem, que me fazem acreditar que tudo se faz, tudo se consegue, que não estou sozinha. Já faltou mais. 

(se desaparecer, já sabem que estou perdida entre dados, regressões, correlações, frequências, ...perdoem-me, tá?)

7 comentários:

  1. Calma.. se está a correr bem deixa fluir..
    pensamentos positivos :)

    ResponderExcluir
  2. ainda tas muito no inicio nao? tem calma, vais conseguir :)

    ResponderExcluir
  3. Vai correr tudo bem, vais ver (: Força!

    ResponderExcluir
  4. E ainda bem que melhoraste :)
    Vai ficar tudo mais do que bem!

    ResponderExcluir
  5. Keep calm! :) Sei bem pelo que estás a passar, mas o truque tornares-te amiga do SPSS, por estranho que pareça. :p Eu tornei-me amiga dele e, por incrível que me tivesse parecido na altura, tivemos uma relação muito pacífica. Às vezes já vamos com aquela ideia de que é difícil, de que não entendemos e aí é quando as coisas correm pior. Eu, por exemplo, não apanhei nada das cadeiras de estatística e de métodos de investigação e sinceramente nem sei como as fiz! O meu maior medo quando iniciei a tese era a análise estatística e a interpretação dos dados. Não foi fácil, claro, mas tentei atirar-me a isso com a cabeça vazia, esquecendo tudo o que "sabia" sobre o assunto e começando do zero. Se tens alguém que te explique, aproveita, anota os passos num caderno, repete sozinha em casa. Foi assim que fiz e mais tarde era a minha orientadora que me ligava a perguntar como se fazia esta ou aquela análise. :) Por isso não desesperes! Claro que agora já não me lembro de praticamente nada! :p Aliás, agora o SPSS está a ficar fora de moda no campo da investigação. O que está a dar é o Mplus. E acredita, se o SPSS é complicado, pelo que vi do Mplus é como fazer análise em chinês! xD Força aí querida M!

    ResponderExcluir
  6. Vais ver que tudo há-de correr bem! Tem esperança a cima de tudo! Conseguirás tudo o que quiseres e te esforçares para conquistar. Boa sorte!!

    ResponderExcluir
  7. Nunca pensei que fosse tão difícil escrever uma tese e é uma fase muito exigente e complicada, pelo menos para mim foi muito. Mas temos de seguir em frente que só esse pode ser o caminho e tu estás encaminhada. Já faltou mais, força. Estou a torcer por ti :)

    ResponderExcluir