sexta-feira, 3 de abril de 2015

O dia que poderia ter sido perfeito, mas não foi


O dia de ontem tinha tudo para ser perfeito. Saí de manhãzinha para tomar o pequeno-almoço com a minha bff, passamos a manhã na conversa e a espreitar lojas. Depois almocei com a minha madrinha, que já não via desde antes do Natal, e fomos comprar a minha cartola. Ainda vi dois dos meus grandes amigos e cheguei a casa a horas de ainda ver o meu namorado. Tudo perfeito até aqui. Um dia muito bonito de sol e calor, roupas mais frescas, a pessoa até se sente mais feliz.
À noite ficou combinado que ia com os meus pais às compras. Como não costumo andar de carro sem ser para ir para o trabalho, aproveitei para conduzir eu, já que seriam mais de 30kms em estrada com os mais diversos obstáculos, trânsito e essas coisas todas muito boas para ganhar mais prática. Tudo muito bem até que, para aí 15 minutos depois de sairmos de casa, após ter parado para um senhor virar à esquerda, meto a primeira e o carro não anda. Foi abaixo, as pessoas atrás de mim a passarem-se e a passarem à minha frente, e eu nervosa. Tento outra vez e acontece a mesma coisa, mas depois lá segui caminho. Mais à frente aparece um semáforo e acontece a mesma coisa. O meu pai ao lado a bufar por todos os lados, que eu quero arrancar em terceira e assim não dá. E eu feita parva já nem sabia o que fazia, então se eu estava a meter a primeira como é que ele dizia que estava na terceira? Fiz mais de 20kms assim. Sempre que havia um semáforo ou tinha que parar, o carro ia abaixo quando arrancava porque supostamente andava a arrancar em terceira, apesar de eu meter a primeira. Quase a chegar ao nosso destino, passo-me da marmita, estaciono o carro num sítio que encontrei e disse ao meu pai para conduzir ele, já que acha que eu só faço asneiras. Quando ele vai a tentar sair, percebemos que a marcha-atrás não estava a entrar. Aliás, percebemos que nenhuma mudança entrava, além da terceira e quarta e que tínhamos a caixa de velocidade estragada. Great! Eu conduzi mais de 20kms com a caixa de velocidades partida, notei a diferença e não disse nada porque o meu pai ia começar a dizer que só ponho defeitos no carro, que é de eu não ter prática, etc. Lá conseguimos tirar o carro do estacionamento, empurrando, e depois o meu pai foi a custo arrancando em cada semáforo. Escusado será dizer que já não fomos às compras. E que me senti uma verdadeira aselha, porque nem conseguia arrancar, quando na verdade era o carro que estava avariado.
No final de tudo ainda me deu razão, que muito fiz eu em conseguir levar o carro até tão longe naquele estado, que afinal até sou é muito boa. Pois sim, mas até perceber que algo de errado se passava, andava a passar-se comigo, como se eu não soubesse que não se arranca em terceira. Ai pá, as coisas que me acontecem. Lá se foram as compras e lá se vai um dinheirão para arranjar o carro. Só a mim.

3 comentários:

  1. Agora contado tem graça, tens que admitir! ahah!

    ResponderExcluir
  2. Não deixes que isto te estrague o dia :) Houve muitas coisas boas, e os pais são sempre assim com a condução! Ainda hoje falei disso com a minha mãe, íamos a passar num determinado sítio cheio de curvas e contra-curvas e ela disse "tive tanto medo quando conduziste aqui pela primeira vez". E eu depois tive que lhe dizer que ainda bem que ela já não tinha as mesmas atitudes, porque senão qualquer dia andaria a pé! Ah.. E também houve um dia em que parei o carro e troquei com ela, estava completamente farta xD Isto tudo para dizer que é normal não teres prática, se não conduzes assim tanto, e que de certeza que conduzes muito melhor do que aquilo que pensas :D beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. É horrível ir a conduzir com alguém ao lado a reclamar de tudo o que fazemos e não fazemos. Mais vale ir sozinho/a, é assim que ganhamos confiança em nós próprios :)

    ResponderExcluir