quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Odiozinho de estimação

Aquelas pessoas que, a partir do momento em que começam a usar um traje, vão a todo e qualquer evento trajadas. Acontece principalmente em terrinhas pequenas. A avó faz anos e vai haver festança num restaurante lá da terrinha? Há missa de festa/procissão na terrinha? Os pais fazem 25 anos de casados e vão renovar os votos? Aquela amiga de infância vai casar? É o batizado do primo mais novo? Tudo isto é oportunidade para essas alminhas mostrarem aos outros que andam na Universidade e até têm um traje. Traje esse que, a avaliar pela forma como está tão cuidado e limpinho, só sai à rua nestes eventos que nada têm a ver com a vivência académica e praxística.
Isto irrita-me solenemente porque é uma forma descarada e parola de mostrar às pessoas que se tem um traje e se anda a estudar E, sejamos sinceros, qual é a cena de se andar na faculdade hoje em dia? Qualquer um consegue lá entrar! Só mesmo nas terriolas é que as pessoas ainda acham que ter um curso superior é a coisa mais altamente deste mundo, uma cena inatingível. Falo por experiência própria, que moro numa terriola e sempre que saio trajada para ir para a faculdade tenho toda uma audiência à janela a ver-me passar.

Reparem, eu não tenho nada contra quem enverga o seu traje orgulhosamente. Eu tenho um traje e orgulho-me muito de todas as marcas que ele tem. Gosto muito de ser estudante e mais ainda de ser praxista. Gosto de trajar (apesar de achar que os trajes são uma coisa feiinha que dói, não favorecem ninguém). Mas faço-o nos devidos contextos. Quer dizer, tudo bem que facto de ter os sapatos todos abertos e lixados me deixe contente porque me lembra todas as histórias que passei para que ficassem assim, mas não são apropriados para usar em qualquer outra situação. Fosse eu à missa com a minha avó trajada, com os sapatos numa lástima e uma capa toda rota que mais parece um farrapo enrolada ao pescoço, era menina para atrair olhares de pena e ainda receber o valor do ofertório desse dia para comprar uma roupa nova.

Eu percebo que estar a estudar seja um acontecimento importante na vida das pessoas, principalmente tendo em conta o estado da economia familiar da maior parte das famílias do nosso país. Para mim também o é. Sei que para os meus pais é um orgulho enorme, não só pelo esforço que fizeram/fazem e pelo gosto que têm em poder proporcionar-me isso, mas também pelo feedback que vão tendo das pessoas amigas (porque ter um filho a estudar na universidade é quase uma coisa do outro mundo para quem não conhece a realidade das coisas). Mas juro que esta coisa de usar o traje em tudo quanto é evento me enerva. Porque não é porque têm muito orgulho em ser estudantes, é porque querem que toda a gente saiba que estudam e trajam.
Quem é que no seu perfeito juízo perde a oportunidade de vestir uma roupinha toda pipi para se enfiar num saco de batatas? 

8 comentários:

  1. também não convinha usar o meu em cerimónias pipis, porque só os arraiais e praxar em lugares limpinhos (nooooot) não ajuda a que o traje fique limpo ahah também me meto um bocado de nervos essas situações, apesar de só discordar contigo que o traje é feio, eu acho LINDOOO, e acho que fica muito bem a quase toda gente, não sei, adoro traje e ver a cidade toda a usá-lo no início do ano, qualquer dia são os meus bichinhos, aaah estou velha :P

    ResponderExcluir
  2. A sério que isso acontece?
    Eu só me trajei em Coimbra e aí confesso que abusava um bocadinho principalmente na altura da quiema e da latada..

    kisses***

    ResponderExcluir
  3. Eu por acaso sou das pessoas que gosto do traje e acho que favorece muito até o rapaz menos bonito da faculdade. Sou sincera que não usei assim tanto o meu (também porque não praxei). Só me falta ir a um sítio com ele vestido, mas de resto penso que não o iriei mais usar. A capa sim, a capa faço questão de usar quando for às noites da latada ou da queima. E, claro, sempre que casa algum amigo que andou na faculdade, a capa também vai para se fazer o grito e para os noivos passarem por cima. Um dia também quero isso para mim :) mais de resto, considero que usei o meu traje nos devidos acontecimentos e tive muito orgulho em fazê-lo. Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Pelo preço dos trajes parece-me bem que lhe dêem muito uso :P Estou a brincar. A mim custa-me um bocadinho a perceber porque nem se quer comprei traje para mim... Não ligo muito a isso sinceramente. Mas pronto, há gente para tudo... ;)

    ResponderExcluir
  5. Só usei traje nos acontecimentos relacionados com a vida académica. Também não percebo essa mania de vestir o traje em qualquer momento. Só consigo conceber essa ideia, por exemplo, num casamento em que os noivos fizeram parte da tuna ou algo do género. Já vi isso acontecer em momentos específicos mas acho que se justificava. Quando é só porque sim também me faz confusão.

    ResponderExcluir
  6. eu usava-o quando tinha mesmo de ser, ou quando vinha para casa e preferia levá-lo vestido em vez de ir a pesar na mala. ah, também havia os dias na queima em que o levava apenas porque não tinha roupa para levar/não conseguia encontrar nada de jeito para vestir :P

    ResponderExcluir
  7. Eu não tenho traje e, como nunca vi ninguém a ir de traje a algum evento (chamemos-lhe assim) que não fosse adequado fiquei surpreendida com as situações que mencionaste em que algumas pessoas usam traje... Sinceramente, é mesmo não ter a noção! Pior: é como tu dizes, é apenas para "dizerem" que andam a estudar... Enfim. E concordo plenamente com a tua frase:"Quem é que no seu perfeito juízo perde a oportunidade de vestir uma roupinha toda pipi para se enfiar num saco de batatas? "!

    ResponderExcluir
  8. Cá está uma coisa também me mexe com os nervos. Ah que gentinha! É como tu dizes, só mesmo na parvónia para se achar que estar na Universidade é coisa de gente muito inteligente. Antes fosse...
    Mas bem, também concordo que o traje se use em eventos académicos e na cidade onde se estuda. Caso contrário, poderia ter um traje qualquer pessoa e usá-lo em qualquer ocasião. Se o traje é uma indumentária ligada à Academia, qual a cena de andar com aquilo vestido na procissão?! A única vez que usei a capa fora Coimbra foi no casamento de uma amiga mas, de resto, é em Coimbra que ele mora e de Coimbra não sai. E aqui bem que o uso e abuso dele! :D

    ResponderExcluir