terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Coisas do meu estágio #7

Desde o primeiro dia que a orientadora se esforça way too much em ser nossa amiguinha. Não aquela simpatia normal, aquele querer integrar-nos da melhor maneira, mas sim uma necessidade de se mostrar uma porreira, igual a nós, na tentativa de a vermos como uma colega e não como superior hierárquico.  Isso enerva-me profundamente. Gosto muito de ser bem recebida, de estar integrada, de não ter problemas em dirigir-me "à chefia" por saber que do outro lado vou ter alguém compreensivo e não um bicho papão. Mas não gosto destas confianças a mais. Há um limite, tem que haver. Não é suposto sermos amigalhaças que partilham confidências pessoais.

4 comentários:

  1. Concordo plenamente contigo. Em tempos, tive uma "chefe" no meu local de trabalho (que actualmente já não está por cá). Éramos pessoas com confiança para dar um abraço e sempre que nos víamos na rua, ele fazia questão de - como é óbvio - cumprimentar-me com dois beijinhos. A primeira vez que o vi no emprego, cheguei perto dele para lhe dar um beijinho. No fim do dia, quando nos vimos, ele fez questão de dizer-me para não o fazer. Que tem que existir uma linha que nos separa, independentemente da relação que temos no exterior. E eu concordo inteiramente.

    ResponderExcluir
  2. ha que manter sempre o nível como dizia uma colega minha... o nivel profissional!

    ResponderExcluir
  3. Até podem ficar as melhores amigas, mas só depois do estágio xD

    ResponderExcluir
  4. Olha aí está a mina opinião bem chapada! :p Acho que é bom ter à vontade suficiente para que as coisas corram bem. É bom ter alguém que converse connosco e nos incentive, nos mostre que está disponível. Mas tudo dentro do que é necessário para um bom trabalho. A vida pessoal não deve interferir.

    ResponderExcluir