quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

So long 2014


Último dia do ano é dia de abrir a caixinha das memórias e ler os papelinhos que lá fui depositando com os melhores momentos do meu ano. Curiosamente, o primeiro papelinho que retirei foi sem dúvida a melhor coisa que me aconteceu este ano: voltar a escrever a nossa história, juntos; ter o meu amor de volta, coração cheio, parte tão grande de mim. Foi um ano de construção de muitas memórias, entre conversas de recomeço, passeios de mãos dadas e a certeza que é mesmo isto que eu quero para mim, para a vida, para sempre. 

Em 2014, fui consumista. Ter o meu primeiro emprego e gerir o meu dinheiro fez-me ser mais responsável com as minhas contas, mas também a aproveitar os frutos do meu trabalho. Comprei uma televisão para o meu quarto e raramente a ligo. Comecei a fazer parte dos detentores de smartphones, após anos e anos fiel aos Nokia super práticos e funcionais, sem paneleirices, e agora não me imagino sem um destes. Fiz estragos na conta bancária nos saldos (e em outras ocasiões em que senti que merecia uma roupinha nova). Gastei rios de dinheiro no dentista, mas finalmente cumpri um objetivo de há muitos anos e coloquei aparelho. Apeteceu-me muitas vezes arrancar isto tudo de dentro da boca. Quase chorei de felicidade ao constatar que a marca da minha mordida já fica redondinha e bonita. 

Fui agraciada com um estado de espírito mais feliz e mais agradecido pelas coisas e pessoas que tenho. Percebi quem realmente importa na minha vida (e se importa comigo). Trouxe à minha casa as pessoas que me são mais importantes e vivemos dias incríveis! Entre conversas, passeios e muitas mensagens trocadas, criamos memórias e laços inquebráveis. 
Entretanto acabei o 4º ano com boas notas, tive a minha última aula, fiz os últimos exames. Chorei que nem um bebé na minha penúltima Queima, fui muito feliz (e nostálgica) a abanar fitas com as pessoas que gosto. Comecei o último ano do curso, iniciei o estágio e fiz as minhas primeiras consultas sozinha. Apercebi-me que é muito mais difícil do que contava mas que, apesar de tudo, é o que eu quero fazer a vida toda. Tive saudades de ter aulas (o que nunca pensei vir a dizer em toda a minha vida). Compreendi porque é que custa tanto ser finalista e ando ainda a tentar gerir o sentimento de felicidade e, ao mesmo tempo, de "dor" que isso acarreta. Fui caloira infiltrada, chorei muito abraçada às minhas pessoas na minha última serenata da casa como estudante, tornei-me avó e apercebi-me que estou realmente "velha" e em poucos meses acabo o curso. 
Tornei-me mais permissiva comigo mesma e com as minhas vontades. Pintei o cabelo de vermelho e quase chorei de arrependimento. Depois habituei-me, adorei, fiquei frustrada por ser tão difícil manter o cabelo lindo e maravilhoso com aquela cor e mudei outra vez. Voltei a ser morena, quase com a mesma cor que a natural, mas apetece-me todos os dias voltar ao vermelho. 
Comi crepes como uma desalmada, apaixonei-me por waffles e aprendi que não há nada mais reconfortante do que comer com pessoas de quem gosto.
Passei tardes e tardes na cama, a ver filmes, a ser mimada. Passei horas a ler e a ver filmes. Descobri novos gostos musicais.
Percebi que o mundo não pára porque nós queremos parar e aprendi a remar contra a maré, a ver os dias passar, a esperar por dias melhores. 

Essencialmente, 2014 foi um ano calmo e ao mesmo tempo intenso. Todas as batalhas, todas as conquistas, todos os sacrifícios foram vividos a mil, coração apertado, cabeça confusa, sentimentos a fervilhar. Mas tudo isso me trouxe uma paz incrivelmente boa de se sentir. Quando se fazem as escolhas certas e sentimos que estamos a seguir o caminho que queremos percorrer, tudo se torna mais fácil. Principalmente se tivermos ao nosso lado as pessoas que queremos que nos dêem a mão e nos ajudem a seguir caminho.

Se não puder ser melhor, que 2015 seja igual a 2014 que já não me posso queixar.

2 comentários:

  1. Gostei muito de ler este textinho :) que 2015 seja igualmente bom ou melhor, como dizes!!

    ResponderExcluir
  2. Que coisas boas :)
    Que 2015 seja ainda melhor querida !

    ResponderExcluir