sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Sabemos que estamos crescidos quando estas coisas nos preocupam

Há um processo muito engraçado pelo qual alguns de nós vão passando e que está associado à escola. Infelizmente nem toda a gente chega a este nível, mas quero acreditar que ainda há muita gente que se preocupa o suficiente com o seu futuro para que estas questões virem preocupações sérias. Falo da nossa progressão no sentido de querer ter aulas, professores exigentes, trabalhos para fazer, passar à prática. Durante anos tememos a escola, queremos sair de lá o mais depressa possível, nem sabemos muito bem como nos fomos meter num curso superior e tudo é feito com um custo muito grande, tudo muito forçado, porque tem que ser. Mas depois lá chega uma altura em que queremos exigência, queremos ser desafiados, queremos realmente aprender coisas para sermos bons no que queremos fazer no futuro.

Isto a propósito de uma  conversa recorrente que vou tendo com os meus colegas que estão com problemas com o estágio. Já toda a gente começou menos eles, por causa de um erro da faculdade. E isto revolta-me. E, claro, revolta-os muito mais, que vêm toda a gente de mãos na massa e eles sem nada para fazer. Dizem eles que já nem querem saber para onde vão, só querem ir. Ter um sítio que os acolha, fazer alguma coisa útil, aprender. E isto é incrível. Para quem passa anos a desejar que a escola seja cancelada, que faz mini-festas quando os professores faltam, para quem adora aqueles professores que têm políticas de facilitismo... Maturidade, diz que sim.

Um comentário:

  1. ainda bem que assim é, e depois à ainda aqueles que fazes o estágio sem querer muito saber daquilo e quando se vêem sem escola, sem estágio e à procura do primeiro emprego percebem que "se calhar devia ter-me aplicado mais". lembro-me do inglês, que odiava e fazia as cadeira à rasquinha, quando precisei dele arrependi-me logo de nunca ter-me aplicado. O caminho mais fácil, nem sempre é o melhor.

    :) boa reflexão M

    ResponderExcluir