segunda-feira, 20 de outubro de 2014

E é por isto que precisamos de feminismo

A propósito de um projeto lei acerca do casamento forçado, falava hoje de manhã na rádio um representante da comunidade cigana. Dizia o senhor que as miúdas da comunidade cigana não são obrigadas a casar contra a vontade, mas que há desde cedo uma preparação para o casamento, aprendendo a cuidar da casa e do marido, coisa que não acontece com as outras mulheres que, segundo o próprio,"Não sabem sequer estrelar um ovo". Depois dizia, com algum desprezo, que fora da comunidade cigana as mulheres conduzem carros e põem os maridos a guiar os carrinhos dos bebés. E é isto. Enquanto as pessoas (seja de que etnia for) acharem indigno uma mulher conduzir, enquanto considerarem um desrespeito um pai tomar conta de um filho porque esse é o trabalho das mães, é óbvio que esta questão do casamento em idades precoces (seja ele forçado ou não) nunca será resolvida. É casá-las novinhas, enquanto são virgens e não têm ideias de gente moderna na cabeça, para que deixem rápido a escola (esse antro de perdição onde as mulheres aprendem, vejam lá bem o desplante, a lutarem pelos seus direitos e a querer mais para si do que passar uma vida atrás do fogão) e se dediquem a ser parideiras e empregadas domésticas. 

Fico possuída com mentalidadezinhas destas. Atenção que eu respeito todo o tipo de cultura, acho que cada um é livre de adotar as regras de socialização dos grupos que bem entender e nada tenho contra nenhum grupo religioso/étnico/etc. Mas a nossa liberdade acaba onde começa a liberdade dos outros. E não posso deixar de ficar enervada com estas questões, porque embora não me toque diretamente na pele, toca-me de forma indireta. Porque sou mulher e não posso apoiar mentalidades e práticas que oprimem assim o livre arbítrio da mulher, tomando-nos a todas como meras almas disponíveis e ao serviço dos e para os homens.

4 comentários:

  1. Subscrevo, ouvir barbaridades destas mexe-me com os nervos ! em pleno séc. 21 e ainda se ouve coisas destas, medoo...

    ResponderExcluir
  2. São este tipo de mentalidades que me fazem perder o controlo...
    Custa me acreditar que no século XXI ainda haja tanta gente a pensar desta forma e pior... O que mais me custa é saber que haverá sempre culturas com estes pensamentos de me***. Desculpa o comentário mas fico mesmo revoltada com este tipo de tema...
    Beijinhos*

    ResponderExcluir