domingo, 21 de setembro de 2014

Está a crescer...

Apesar dos nervos viscerais que ele me provoca tantas e tanta vezes, obviamente adoro o meu irmão. E é estranho perceber que aquela coisinha que eu tanto desejei, que outrora fora tão fofinha e amorosa e pequenina, é hoje um homem, com barba e montes de pêlo no peito. Com 16 anos. O meu irmão tem 16 anos e eu juro que não sei como raio foi ele crescer assim e se foi tornando neste palerma que não tem piadinha nenhuma a maior parte do tempo. Ainda assim, nos últimos tempos tem estado mais engraçado e sossegado. Não sei se é ele que está a amadurecer, se sou eu que o começo a ver como o homem que já quase é ou uma combinação das duas coisas, mas a verdade é que se tem tornado mais suportável. 

Ele não sabe, mas por baixo deste meu desinteresse fingido e de todas as vezes que lhe digo, a rir, que nem sequer gosto assim tanto dele, sinto-me eternamente responsável por ele, como se fosse um filho. Vou sempre olhar para ele como se fosse pequenino e amparar-lhe as quedas como fazia quando aprendeu a andar, mesmo que ele tenha 100 anos. E ele vai ser sempre uma parte tão grande de mim...fez de mim irmã mais velha, pessoa responsável, exemplo a seguir. Somos tão iguais e no fundo tão diferentes, frascos semelhantes com essências desiguais.
Teremos sempre as nossas divergências mas seremos sempre partes indissociáveis da mesma carne, do mesmo sangue, das mesmas vivências. E apesar de me apetecer espancá-lo de cada vez que me chateio por causa da escola, de me queixar das mais pequenas coisas acerca dele, sei que não o trocaria por nada deste Mundo. Sei que tenho muita sorte. Ter um irmão é das melhores coisas do mundo, foi algo que sempre quis muito (por mim tinha mais dois ou três!), vê-lo crescer e tê-lo comigo enquanto também eu crescia foi o melhor que os meus pais me podiam ter dado. E cá para nos que ninguém nos escuta, este irmão que me calhou até que nem é mau de todo. 

4 comentários:

  1. quando passar essa fase estúpida, a vossa relação vai melhorar e muito..

    kisses***

    ResponderExcluir
  2. Também tenho uma peste assim cá em casa. Percebo-te perfeitamente. (:

    ResponderExcluir
  3. eu com o meu gosto de pensar que podia ser pior!

    ResponderExcluir
  4. Como me revejo em tanto do que dizes... Isto de sermos a irmã mais velha tem muito que se lhe diga. Mais curioso ainda é facto de, por vezes, ter que ser o irmão mais novo a cuidar de mim... A vida e as suas voltas!

    ResponderExcluir