quarta-feira, 30 de julho de 2014

E lá vou eu, todos os dias, ver o e-mail... sem sucesso


Estou de férias há mais de um mês. Quer dizer, o meu último exame foi há mais de um mês, depois tive uma semana a trabalhar para o seminário de projeto. O prazo para a entrega estabelecido pela minha orientadora era dia 11 de Julho, mas eu, de ideias fixas e com vontade de me livrar daquilo para poder estar, efetivamente, de férias, entreguei no dia 30 de Junho. Exatamente no mesmo dia que uns amigos meus, que entregaram na fase normal. Três dias depois saíram as notas deles e a minha, bem, a minha ainda está para vir.
Acho uma tremenda falta de respeito que os professores nunca tenham prazos para nada (ou tenham e finjam que não, adiando sempre, atrasando tudo mais um bocadinho). Se eu não tivesse entregue no dia 11 e dissesse que tal tinha acontecido porque tenho uma vida complicada, uma vida ocupada, que trabalho e mimimi, ninguém se importaria e não teria nota, sendo reprovada. O problema seria meu. No entanto, nós temos que perceber que os professores, coitadinhos, têm vidas complicadas, vidas ocupadas, que dão aulas mas ainda exercem a profissão que ensinam, que têm filhos e famílias e precisam de descansar. Porque nem há alunos nessas mesmas condições nem nada, toda a gente sabe que só estudam os miúdos cujos paizinhos sustentam e apaparicam. Não há trabalhadores estudantes, não há estudantes com filhos, não há estudantes com problemas de saúde ou outros que os impeçam de se dedicar a 100% aos estudos. É uma vergonha a forma como temos estes double standards tão enraizados. 

Que me vale é que só tenho mais um ano disto, se tudo correr bem. Estou cansada destas coisas. Eu respeito muito os professores e sei que não têm uma vida fácil, mas caramba, custa assim tanto cumprir prazos? É a única coisa que peço, que cumpram prazos, tal como eu e outros alunos somos obrigados a cumprir. 

4 comentários:

  1. Pois, é triste quando é assim...nós aqui é que desesperamos para ter o resultado!
    Espero que o resultado venha e seja mais do que positivo !

    ResponderExcluir
  2. Como te compreendo. A vida dos alunos tem que ser exclusivamente dedicada aos estudos. Não podemos te vida, nem ficar doentes nem ter outros planos. Se não conseguirmos entregar as coisas a tempo, problema nosso...

    ResponderExcluir
  3. Mesmo, na minha faculdade isto também é muito comum. Alguns dos professores ainda se sentem ofendidos quando, já depois dos prazos, os alunos perguntam quando saem as notas... Alguns precisam delas para efeitos de documentação e coisas assim e têm que implorar que os professores lancem as pautas. É uma tristeza e essa história da vida que têm só funciona para o lado deles...

    ResponderExcluir
  4. eles nuncam pensam na ansiedade que os alunos passam..

    kisses***

    ResponderExcluir