sexta-feira, 6 de junho de 2014



Estava com um assunto pendente há meses. Remoía aquilo mais vezes do que gosto de admitir, mas também nunca ganhava coragem para resolver o assunto de uma vez por todas. Além disso, tendo sido eu a principal visada e sabendo que a pessoa em questão tinha conhecimento que tinha errado comigo, achei que não tinha que ser eu a dar o passo de pedir explicações mas sim a outra pessoa a vir falar comigo e esclarecer o que fez e porque o fez. Na verdade, só queria uma explicação. Não estava chateada, estava magoada e isso é muito pior. Não que lhe guardasse algum rancor, apenas me questionava o porquê de alguém que eu tinha como família me ter feito algo tão desleal, estava magoada. 

Ontem a pessoa em causa pediu para falar comigo, depois de meses do sucedido. Não esperava outra coisa dessa pessoa, que eu sempre tive como alguém de confiança, honesto. Achou que devia esperar que as coisas assentassem, porque estava tudo muito fresco e seria pior. Falou, falou, falou. Explicou o seu ponto de vista, eu expliquei o meu. Pediu-me desculpas, eu desculpei. E não há nada neste mundo melhor do que a paz de espírito. Aconteceu, resolveu-se, perdoou-se. Nada paga a leveza de um assunto devidamente arrumado, já posso voltar a viver em paz. 

Um comentário:

  1. Nada melhor que se resolver as coisas e ficarmos em paz de espírito :-) ainda bem que tudo acabou bem.

    ResponderExcluir