quarta-feira, 30 de abril de 2014

E porque a minha vida agora é isto...

... acordei cedinho para aproveitar a manhã para escrever mais umas coisinhas para a tese. Agora que comecei a escrever, aquilo vai andando. Devagarinho, é certo, mas anda. Quanto mais escrevo mais necessidade tenho de ler outras referências, de perceber mais sobre este ou aquele assunto, e por isso perco imenso tempo a procurar livros e artigos e depois a ler e a retirar o importante, o que me está a atrasar, mas faz parte do processo obviamente. Mas agora que começo a ver aquilo a compor-se, até me dá mais gosto pegar nisto. Tem que ser porque ainda não mostrei trabalho à minha orientadora e a senhora deve pensar que sou uma baldas. Que não sou! Tenho andado muito empenhada nisto desde o inicio, mas perdi muito tempo na procura de referências e a ler, sem escrever nada, e agora demora mais. Sinto-me um bocadinho mal por ter que me estar a dedicar a 100% a isto nesta fase de correria porque queria ter mais tempo livre esta e a próxima semana, mas se quero mostrar alguma coisa à orientadora tenho que ter uma parte considerável do trabalho feita. Depois começo a ouvir a minha amiga a falar da dela, que já vai com mais de 50 páginas de introdução teórica e tudo já visto e revisto mil vezes pelo orientador e começo a stressar. Devia ter começado logo a escrever, mas não o fiz, feita parva. Agora tenho que recuperar trabalho perdido. Ao menos agora já não estou no impasse de não saber como começar, é só escrever. 

5 comentários:

  1. I told you so ;) agora que começas a escrever, as coisas vão fluindo. É um processo moroso porque implica muita pesquisa e capacidade de síntese, mas no final vai ficar orgulhosa do teu trabalho :)

    ResponderExcluir
  2. Dica de quem teve 19 na tese (modéstia à parte :-P ) - estabelecer prazos pra cada tarefa ajuda, mas mais do que ser rápida é importante que faças o teu trabalho bem feito. Vão haver muitos momentos em que vais desesperar e achar que não vais fazer as coisas em tempo útil, principalmente na recta final, mas isso só te vai dar mais motivação pra continuar! Por ultimo, evita comparar o teu trabalho seja com o de quem for. Eu também cheguei a fazer isso em relação a uma amiga minha que em maio já tinha praticamente a tese concluída e eu ainda tinha pouco mais que a revisão teórica... Mas quantidade não é qualidade e depressa e bem não há quem. Essa amiga teve uma nota bastante mais baixa que a minha, apesar de ter feito as coisas todas nos timings certos e não ter passado aquela fase final de stress. Se queresque te diga, pra mim, essa fase foi a mais produtiva e aquela em que trabalhei mais e melhor! Boa sorte! :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só estou com pressa porque tenho que ter alguma coisa para apresentar no final do seminário deste semestre e não quero fazer má figura! Além disso não quero estar a tratar destas coisas na época de exames porque senão dou em louca, por isso é que tenho estabelecido na minha cabeça estes prazos :)

      Obrigada pelas dicas

      Excluir
  3. Comigo foi igual. Só custou começar a tese... depois foi sempre a andar.

    ResponderExcluir
  4. Demorei um ano a fazer a minha tese; comecei-a no início do último ano da faculdade, pois sabia que ia ser bastante extensa. Acabei-a dentro do prazo previsto, mas foram tantas horas e tanta pesquisa. Não foi fácil manter a motivação para terminar (quando os prazos apertavam, acontecia-me uma de duas coisas: ou faltava a motivação, ou o aperto do prazo fazia-me trabalhar com todo o afinco). As pesquisas são tão secantes; o pior é o que descreves: quanto mais se escreve, mais se pesquisa. No meu caso, mais vontade tinha de adicionar mais e mais à tese. Tive de meter um travão a mim mesma, senão a tese passava de 200 referências bibliográficas para 500 (sim, é verdade; tinha 20 páginas de bibliografia).
    Custa, mas depois de escrita e de entregue, é um peso que sai de cima. Depois quando a vais defender, custa, mas não custa tanto, porque ninguém conhece melhor a tua tese do que tu própria ;)

    ResponderExcluir